Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

"É uma cilada." Ministério Público angolano pede 30 dias de prisão para Rafael Marques

  • 333

Paulo Cunha / Lusa

Jornalista tinha chegado a acordo com generais. É acusado de "difamação caluniosa" devido ao livro "Diamantes de Sangue".

O Ministério Público angolano pediu esta segunda-feira 30 dias de prisão para Rafael Marques, apesar de os representantes dos generais no processo de difamação sobre violação dos direitos humanos e exploração diamantífera terem aceitado as explicações do jornalista e ativista.

A posição foi assumida no final das alegações finais do julgamento, em que, segundo o advogado do arguido, David Mendes, os queixosos (generais) afirmaram que não havia motivos para continuar com o processo - após a explicação em tribunal -, deixando cair qualquer pedido de indemnização, tendo a defesa de Rafael Marques pedido igualmente a sua absolvição. 

"É uma cilada. O que houve foi uma cilada. E o Estado angolano há de conhecer-me de uma forma muito mais dura", afirmou, questionado pela Lusa, Rafael Marques, que após o entendimento alcançado com a acusação acabou por prescindir de levar as suas testemunhas ao julgamento, tal como os representantes dos generais.

Os generais e as duas empresas de exploração diamantífera que se consideraram alvos de "injúrias" e processaram o escritor devido ao livro "Diamantes de Sangue" aceitaram quinta-feira fazer um acordo com a defesa. À saída do tribunal, o próprio Rafael Marques explicou os termos do acordo, garantindo que "a questão está esclarecida" e que havia a possibilidade de trabalhar em conjunto com os generais para vigiar a situação na exploração de diamantes abordada no livro. "Ficou lavrado que continuarei a monitorizar a situação dos direitos humanos nas Lundas e espero que todas as empresas que forem contactadas respondam às minhas diligências."

Como contrapartida do acordo, o livro "Diamantes de Sangue", publicado pela primeira vez em Portugal em 2011 pela editora Tinta da China, não podia ser reeditado. "É um ato voluntário da minha parte para facilitar o diálogo e novas consultas. Além disso, já se passaram quatro anos desde a publicação", declarou Rafael Marques. 

A Tinta da China disponibilizou gratuitamente o livro, que já foi descarregado mais de 55 mil vezes - pode fazê-lo também  AQUI.

  • Rafael Marques e generais angolanos chegam a acordo

    Jornalista era acusado de "difamação caluniosa" devido ao livro "Diamantes de Sangue". Bárbara Bulhosa, da editora que publicou a obra em Portugal, diz que "a intimidação não funcionou e que a pressão internacional teve efeito".