Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

MAI abre inquérito ao comandante da PSP que agrediu adeptos em Guimarães

  • 333

O elemento da PSP que agrediu um adepto do Benfica é o comandante da esquadra de investigação criminal de Guimarães

Captura de ecrã CMTV

Ministério da Administração Interna garante que "irá decorrer inquérito aos incidentes ocorridos" e que "o agente em questão já foi identificado". PSP vai emitir um comunicado nos próximos minutos.

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

O Ministério da Administração Interna anunciou que vai ser aberto um inquérito às agressões em Guimarães, após o jogo de futebol Vitória de Guimarães/Benfica, avançando que o agente da PSP envolvido na agressão já foi identificado.

Esta domingo, depois do jogo que deu o título de campeão nacional de futebol ao Benfica, após empate com o Vitória de Guimarães, dois homens, pai e filho, acompanhados de duas crianças, foram agredidos por um agente da PSP junto ao Estádio D. Afonso Henriques, com a agressão a ser filmada por uma equipa do Correio da Manhã TV (CMTV).

Ao Expresso, fonte oficial do Ministério da Administração Interna garante que "irá decorrer inquérito aos incidentes ocorridos" e que "o agente em questão já foi identificado".

É o comandante da esquadra de investigação criminal de Guimarães, apurou o Expresso. Já trabalhou em Lisboa, tendo sido comandante da esquadra de Rio de Mouro

Uma equipa da CMTV filmou à saída do estádio D. Afonso Henriques uma agressão ao pai de uma família que estava acompanhado de dois filhos menores e do avó, tendo falado com o agredido após este ter sido identificado numa esquadra de Guimarães.

"Eu estava desesperado com a segurança dos miúdos. Já estávamos há meia hora, três quartos de hora parados dentro do estádio. Tivemos a compreensão de quatro agentes à porta do estádio que nos deixaram sair, mas depois, o comandante da Esquadra de Investigação Criminal da PSP de Guimarães, o senhor agente Filipe Silva, veio perguntar o que estava ali a fazer", explicou José de Magalhães, de 43 anos, à CMTV.

O empresário de Matosinhos disse que respondeu ao agente que as autoridades estavam a fazer um "mau trabalho" por não deixarem as pessoas sair do estádio, adiantando que estava a socorrer o filho quando foi abordado pelo agente que o agrediu e que a seguir agrediu o seu pai, enquanto as crianças choravam e gritavam, como de pode ver na imagens.

José Magalhães disse ainda que o agente da PSP lhe perguntou porque é que tinha levado as crianças para o estádio e que ele lhe terá respondido que "levava os miúdos para onde quisesse, onde houvesse festa e onde se sentissem bem".

Segundo a CMTV, o homem foi libertado cerca da meia-noite, tendo sido constituído arguido.

As Relações Públicas da Direção Nacional da PSP vão emitir um comunicado  a qualquer momento.

  • O filho do pai e o filho da mãe

    O Benfica tinha acabado de ser campeão e, em Guimarães, um polícia agride um homem à frente do filho, que fica a gritar apavorado. Em artigo de opinião, Pedro Santos Guerreiro escreve sobre as imagens que marcaram o domingo que deveria ter sido de festa.