Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Católica chega ao 38º lugar no ranking das melhores escolas de negócio do mundo

  • 333

Católica-Lisbon continua a subir no ranking do Financial Times para a formação de executivos. Nova School of Business and Economics e Porto Business School também entram nas listas, mas ficam abaixo do top 50 mundial

Pelo 9º ano consecutivo, a Católica Lisbon Business and Economics surge entre as 50 melhores escolas do mundo no ranking do Financial Times para a formação de executivos . Os resultados são divulgados esta segunda-feira e mostram uma subida de sete lugares desta instituição em relação a 2014, colocando-se agora na 38ª posição. 

Para este ranking, o jornal britânico Financial Times (FT) avalia vários critérios, desde o grau de internacionalização das formações à qualidade do ensino, passando pela qualidade da alimentação e alojamento. A análise é feita separadamente em relação aos cursos abertos (dirigidos a qualquer gestor) e aos programas feitos à medida (encomendados por uma empresa para os seus trabalhadores).  

Tanto a Nova  School of Business and Economics (nNova SBE)  como a Porto Business School aparecem nestas duas listas. Mas só a Católica-Lisbon integra o ranking global do FT das 50 melhores escolas de negócios nesta área e que combina os resultados nas formações abertas e feitas à medida. 

"É com muito orgulho que a Católica-Lisbon conquista a melhor classificação de sempre de uma escola portuguesa. Esta posição afirma-nos como parceiro privilegiado para a internacionalização da economia portuguesa e reflete a confiança depositada em nós pelas empresas e uma bem sucedida política de alianças com as melhores escolas internacionais, afirma Francisco Veloso, diretor da escola.  

Kellog School of Managemente (EUA), HKUST Business School (Hong Kong) ou a Bocconi University (Itália) são algumas das escolas parceiras e que contribuem para que a Católica-Lisbon tenha sido classificada neste parâmetro das parcerias internacionais como a 10ª melhor do mundo.  

Já a Nova SBE (60º lugar nas formações abertas e 69º nos cursos à medida) distingue-se como a escola portuguesa com maior presença no mundo e a 14ª escala global, à frente de escolas como Oxford, Stanford , London Business School ou Harvard. 

"Os resultados traduzem o trabalho que a escola tem vindo a desenvolver em quatro mercados estratégicos - Portugal, Angola, Moçambique e Brasil - e em três continentes distintos", explica Daniel Traça, o novo diretor da Nova SBE. 

Mudanças no topo 
O ranking das melhores escolas para a formação de executivos é liderado este ano pela IESE Business School (Espanha) - trocou de posição com a Hec Paris, que passou para 2º lugar. A suíça IMD mantém a terceira posição.  

Há ainda a registar o aparecimento de mais instituições de países asiáticos, com destaque para China e Singapura.