Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

"A juventude é um grupo social que foi desproporcionalmente afetado pela crise"

  • 333

A politóloga Marina Costa Lobo salienta a abstenção como a marca da relação da juventude com a política, num estudo sobre os jovens apresentado numa conferência promovida pela Presidência da República.

Luísa Meireles

Luísa Meireles

Redatora Principal

"A juventude é um grupo social que foi desproporcionalmente afetado pela crise, nomeadamente pelo desemprego e por alguns outros fatores que deixaram marcas na tensão política", afirmou a politóloga Marina Costa Lobo, na apresentação do estudo sobre "Emprego, Mobilidade, Política e Lazer" dos jovens na conferência internacional sobre os jovens promovida pela Presidência da República.

"Há tendências comuns, mas a abstenção marca a relação da juventude com a política", salientou ainda, considerando que os resultados do estudo se inserem todavia no contexto mais geral em que os portugueses se empenham pouco em política e sentem-se pouco recompensados por ela.

Para a politóloga, são fatores fundamentais na participação a escolaridade e, ao mesmo tempo, a entrada na vida ativa. Os mais jovens (grupo entre os 15/24 anos) tornam-se depois mais ativos, mais consumidores de notícias, e até mais participantes na vida política.

Marina Costa Lobo salientou ainda que os níveis de participação estão porém muito abaixo dos verificados nas democracias europeias consolidadas, pelo menos no que diz respeito à perceção da quebra de qualidade da democracia.

No aspeto relativo ao trabalho, o sociólogo Vítor Ferreira, também coordenadou do estudo, salientou que é uma preocupação fundamental entre os jovens, de um modo transversal, sendo que esse aspeto também se expressa no facto dos fluxos migratórios serem igualmente compostos por grupos altamente qualificados e não qualificados.

Segundo o sociólogo, a propor ção dos que considera ir trabalhar no estrangeiro é nitidamente mais elevada entre os jovens do que nos restantes grupos etários - 70 % dos jovens estão abertos a essa possibilidade, motivados pela procura de melhores oportunidades e de melhores condições de trabalho.