Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Tempestade no Atlântico. Megaoperação de salvamento a sul dos Açores

  • 333

Marinha e Força Aérea, com o apoio de dois navios mercantes, retiraram das águas muito agitadas do Atlântico 12 tripulantes de cinco veleiros. 

Carlos Abreu

Jornalista

A Marinha e a Força Aérea estiveram desde a madrugada de quarta-feira, dia 6, envolvidos numa megaoperação de busca e salvamento de 12 tripulantes de cinco veleiros que navegavam a cerca de 500 milhas náuticas (930 quilómetros) a sul do arquipélago dos Açores.

Um dos veleiros que estava a ser resgatado, o francês Reves D’o, afundou-se esta quinta-feira de madrugada. A bordo estavam dois adultos e duas crianças de 6 e 9 anos. Durante o naufrágio, a criança de 9 anos e um dos adultos saltaram para uma balsa, enquanto uma menina de seis anos e o seu pai cairam à água.

Os dois primeiros foram resgatados às 4h pelo navio mercante Yuan Fu Star, de Hong Kong, entretanto encaminhado para o local. A menina e o pai foram dados como desaparecidos e localizados pela tripulação de um P3-C Orion da Força Aérea manhã cedo. Permeceram na água durante mais de sete horas. A criança acabou por secumbir já depois de resgatada.

Esta manhã, o porta-voz da Marinha contou à Lusa que o último caso do resgate de cinco veleiros não teria corrido da melhor forma. "Quando um navio mercante de Hong Kong se estava a aproximar do local para lhe prestar assistência, o veleiro francês afundou-se. Dois dos tripulantes conseguiram entrar para a balsa salva-vidas e os outros dois saltaram para a água e estão desaparecidos", explicou o comandante Paulo Vicente.

"A informação que temos é de que estão neste momento fora de água", disse entretanto à Lusa o comandante Matos Nogueira, capitão do Porto de Ponta Delgada, relatando que os dois primeiros tripulantes foram encontrados numa balsa salva-vidas, enquanto os dois outros náufragos foram resgatados da água, depois de terem subido para uma balsa atirada pelo avião P3-Cda Força Aérea que participou na operação de busca dos dois desaparecidos.

Os alertas lançados por navios originários da França, Holanda, Noruega, Suécia e EUA, que navegavam em direção ao continente europeu, começaram a ser recebidos no Centro de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo de Ponta Delgada (MRCC Delgada) cerca das 02h de dia 6, resultantes das condições meteorológicas muito adversas que se faziam sentir no Atlântico Norte.

Pela 1h a madrugada desta quinta-feira, dia 7, estavam concluídas três das cinco missões de salvamento, tendo sido resgatados seis tripulantes. Prosseguiam as operações de resgate de mais seis tripulantes de dois veleiros, entre as quais estavam duas crianças, informou a Marinha em comunicado.

Segundo a mesma fonte, metade dos tripulantes então resgatados tinham sido recuperados pelo helicóptero EH-101 da Força Aérea Portuguesa “numa exigente missão, que durou cerca de 12 horas sob ventos na ordem dos 50 nós (cerca de 90 km/h) e ondulação de 10 metros que muito dificultaram a operação de resgate. Os outros quatro foram recolhidos por dois navios mercantes que encaminhados para local pelo MRCC Delgada, e que os recolheram para bordo com sucesso.”

De acordo com o porta-voz da Marinha, as condições meteorológicas hoje são mais favoráveis do que na quarta-feira, embora sejam ainda "adversas, com o vento mais fraco ainda assim", sendo a temperatura da água do mar de 21 graus, enquanto a ondulação baixou para metade.

Segundo a Marinha, foram empenhados nestas missões duas aeronaves C-295M, um helicóptero EH-101 Merlin e um P3-C Orion da Força Aérea Portuguesa (FAP). Foi ainda necessário reforçar estes meios com uma aeronave C-130J da Guarda-Costeira norte-americana que se encontra nos Açores, no âmbito do exercício de busca e salvamento SAREX 15, entretanto suspenso face ao empenhamento destes meios aéreos nas cinco missões reais.


[Notícia atualizada às 13h]