Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

PJ detém empresários têxteis. Estado lesado em dezenas de milhões de euros

Polícia Judiciária deteve esta tarde nove pessoas ligadas ao setor têxtil suspeitas de fraude fiscal e branqueamento de capitais.

Isabel Paulo

A Polícia Judiciária do Porto desmantelou, hoje, uma associação criminosa com negócios no sector têxtil indiciada pela prática continuada de crimes de  fraude fiscal e branqueamento de capitais. Ao todo foram já detidas nove pessoas com idades compreendidas entre os 38 e os 63 anos, após três dezenas de buscas, alegadamente, na área do Grande Porto, Lisboa, Coimbra e Braga.

No âmbito da operação "Fazenda Branca", investigação que já se prolonga há vários meses, dirigida pelo Ministério Público através do DIAP do Porto em articulação com a  Autoridade Tributária e Aduaneira, foram apreendidos milhares de euros em dinheiro, documentação relevante para o inquérito em curso, obras de arte, bens móveis e vários veículos automóveis.

Em comunicado, a PJ refere que as investigações permitiram indiciar a existência de um grupo organizado no sector da compra e venda de testeis que, de forma concertada e permanente, efetuava transações comerciais sem proceder "à respetiva declaração fiscal ou fazendo-o com falsidade, lesou a Fazenda Nacional em dezenas de milhares de euros" em sede de IRC e IVA.

Segundo fonte da PJ, no grupo de nove detidos estarão ainda indiciados três advogados.