Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Criança não resiste a sete horas no mar

  • 333

Criança de seis anos seguia a bordo de um dos cinco veleiros apanhados numa grande tempestade a sul dos Açores e não terá resistido a mais de sete horas passadas dentro de água.

Carlos Abreu

Jornalista

Um dos náufragos do veleiro francês Reves D’o que se afundou esta madrugada no Atlântico, uma menina de seis anos, não resistiu à longa permanência na água e acabou por morrer, informou esta quinta-feira a Marinha.

O Reves D’o foi um dos cinco veleiros apanhados na madrugada desta quarta-feira por uma grande tempestade quando navegavam a cerca de 500 milhas náuticas (930 quilómetros) a sul do arquipélago dos Açores. A bordo estavam dois adultos e duas crianças, de seis e nove anos.

Durante a megaoperação de busca e salvamento lançada pela Marinha e pela Força Aérea, foi pedido ao navio mercante Yuan Fu Star, de Hong Kong, que seguisse para o local. Pela 4h recuperou dois náufragos, um adulto e uma criança de nove anos, que se encontravam a bordo de uma balsa salva-vidas. Pouco depois, aa Força Aérea fez descolar um avião P-3C Orion para localizar os dois desaparecidos, pai e filha de seis anos.

“Após duas horas de buscas e aos primeiros alvores, o meio aéreo da FAP localizou os desaparecidos tendo lançado para junto deles um kit de sobrevivência até à chegada, cerca das 9h30, do navio hospital Esperanza del Mar, que efetuou o seu resgate e prestou assistência médica”, informa a Marinha em comunicado.

Ventos de 90 kms/h e ondas de dez metros

Os alertas lançados por navios originários da França, Holanda, Noruega, Suécia e EUA, que navegavam em direção ao continente europeu, começaram a ser recebidos no Centro de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo de Ponta Delgada (MRCC Delgada) cerca das 02h de dia 6, resultantes das condições meteorológicas muito adversas que se faziam sentir no Atlântico Norte.

Pela 1h a madrugada desta quinta-feira, dia 7, estavam concluídas três das cinco missões de salvamento, tendo sido resgatados seis tripulantes. Prosseguiam as operações de resgate de mais seis tripulantes de dois veleiros, entre as quais estavam duas crianças, informou em comunicado a Marinha.

Segundo a mesma fonte, metade dos tripulantes então resgatados tinham sido recuperados pelo helicóptero EH-101 da Força Aérea Portuguesa “numa exigente missão, que durou cerca de 12 horas sob ventos na ordem dos 50 nós (cerca de 90 km/h) e ondulação de 10 metros que muito dificultaram a operação de resgate. Os outros foram recolhidos por dois navios mercantes que encaminhados para local pelo MRCC Delgada, e que os recolheram para bordo com sucesso.”

De acordo com o porta-voz da Marinha, as condições meteorológicas hoje são mais favoráveis do que na quarta-feira, embora sejam ainda "adversas, com o vento mais fraco ainda assim", sendo a temperatura da água do mar de 21 graus, enquanto a ondulação baixou para metade.

Segundo a Marinha, foram empenhados nestas missões duas aeronaves C-295M, um helicóptero EH-101 Merlin e um avião P3-C Orion da Força Aérea Portuguesa. Foi ainda necessário reforçar estes meios com uma aeronave C-130J da Guarda-Costeira norte-americana que se encontra nos Açores, no âmbito do exercício de busca e salvamento SAREX 15, entretanto suspenso face ao empenhamento destes meios aéreos nas cinco missões reais.