Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Queda de árvores no norte faz um morto e um ferido

  • 333

Registadas mais de 400 ocorrências relacionadas com queda de árvores. Caso mais grave aconteceu em Braga.

Raquel Pinto com Lusa

Foi uma segunda-feira de danos sobretudo no norte de Portugal continental, com uma vítima mortal em consequência do mau tempo. 

A Autoridade Nacional de Proteção Civil respondeu a 578 ocorrências desde a meia-noite, das quais 404 estavam relacionadas com quedas de árvores. Um homem "não resistiu aos ferimentos" e acabou por falecer no Hospital de Braga, confirmou à Lusa fonte daquela unidade.  A vítima "foi atingida esta tarde por uma árvore quando atravessava a estrada", adiantou ao Expresso fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Braga. 

No mesmo distrito, mas em Esposende, há a registar um ferido ligeiro. Uma mulher foi transferida para o mesmo hospital depois de uma árvore ter tombado sobre a viatura que conduzia na nacional 13, informou ao Expresso o CDOS de Braga.

Os distritos mais afetados foram o Porto (113 ocorrências), Coimbra (103), Aveiro (87) e Braga (72), segundo informações dadas ao Expresso pelo Comando Nacional de Operações de Socorro. Ainda que em menor número, houve ainda queda de estruturas, inundações e deslizamento de terras, embora "nada significativo", segundo a mesma fonte. Várias estradas estiveram cortadas ao trânsito.

Em Viana do Castelo contabilizaram-se 27 quedas de árvores, adianta a Lusa. A queda do poste de iluminação pública na freguesia Santa Maria Maior causou danos materiais numa viatura. Em Ponte de Lima caíram sete árvores e o trânsito na estrada nacional 203, na freguesia de Vitorino das Donas, esteve cortado durante mais de uma hora para a remoção de "uma árvore de grande porte". Na cidade de Viseu verificaram-se entre as 15h e as 18h onze quedas de árvores uma das quais em cima de um carro, mas sem registar vítimas.

Na cidade do Porto, a queda de árvores nas faixas de rodagem obrigou a cortes de trânsito na rotunda da Boavista e na Rua D. Manuel II frente aos jardins do Palácio de Cristal. Na rotunda da Boavista, no acesso à Avenida de França, uma árvore caiu em cima de um veículo, sem causar feridos, disse à Lusa fonte no local segundo a qual o trânsito esteve totalmente interrompido até cerca das 19h40, altura em que uma das faixas de rodagem foi desimpedida.

Em frente aos jardins do Palácio de Cristal, uma árvore de grande porte abateu-se sobre uma das faixas de rodagem da Rua D. Manuel II e pelas 19h30 impedia o acesso à Rua de Vilar e Rua de Entre-Quintas.

À mesma hora os bombeiros voluntários do Porto destacavam uma viatura para a Rua de Camões, depois de terem recebido a indicação de queda de azulejos das fachadas das habitações. Pelas 16h10 a corporação dava por terminada uma operação na Rua 31 de janeiro que tinha estado encerrada ao trânsito por causa de queda de estruturas dos telhados.

Ao final da tarde, as fortes rajadas de vento e a chuva intensa originaram a queda de uma árvore de grande porte na VCI, causando o congestionamento do trânsito, que, pelas 18h40, apenas circulava numa das suas três faixas de rodagem, de acordo com a PSP.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera colocou Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Vila Real e Viseu sob aviso amarelo - situação de risco - devido à previsão de períodos de chuva ou aguaceiros por vezes fortes de granizo e acompanhados de trovoada e vento forte com rajadas que podiam atingir os 90/hora.  

Todos os distritos do litoral encontram-se sob aviso amarelo por causa da agitação marítima com previsão de ondas que podem oscilar entre os 4 e os 4,5 metros.