Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

"A TAP não viola os regulamentos de segurança. Ponto final"

  • 333

Ao terceiro dia de greve, a TAP continua a manter a taxa de realização de voos nos 70%. Às 19h00 deste domingo, o balanço do dia é de 189 voos concretizados, num universo de 272 voos previstos, avança porta-voz da empresa. Sindicato apresenta outros números.

"Nunca. Jamais. Os pilotos que fazem greve sabem que na TAP são escrupulosamente cumpridos os horários de voo", afirmou o porta-voz da TAP, André Serpa Soares, respondendo às declarações do dirigente do Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC), que acusou este sábado a TAP de usar os mesmos pilotos para substituir aqueles que participam na greve de dez dias da empresa. "Penso que a posição do sindicato não terá sido refletida. A TAP não viola os regulamentos de segurança de voo. Ponto final", remata. 

Questionado sobre o número de pilotos que estiveram a trabalhar desde sexta-feira, André Serpa Soares 'foge' à pergunta, afirmando apenas: "A TAP não entra em guerras de números. Da parte da TAP, nunca contem com essa guerra. O que interessa é saber se a TAP está a conseguir voar e a TAP está a conseguir voar". Mas admite que, "a cada dia que passa", "a situação pode agravar-se" e os números tornarem-se menos animadores para a empresa.

Os números apresentados pela companhia aérea portuguesa apontam para uma concretização de voos na ordem dos 70%, durante o fim de semana prolongado. Só este domingo, e até às 19h00, a empresa divulgou que 189 voos foram realizados (dos quais 26 da Portugália e 31 já previstos nos serviços mínimos) e 83 voos foram cancelados, incluindo os 38 da Portugália. 

Sindicato volta a contradizer TAP

"A TAP foi forçada a cancelar cerca de 50% dos voos programados", afirmou este domingo o sindicato, em conferência de imprensa. O SPAC sublinha que "a greve continuará até ao fim, até que o Governo decida dialogar".  

Recorde-se ainda que este sábado o dirigente do SPAC, Hélder Santinhos, garantiu que a adesão à greve está entre os 70 e os 80%. Em declarações à SIC, acusou a TAP de estar ausar os mesmos comandantes e pilotos para assegurar os voos que estariam atribuídos a outros que aderiram à greve, reforçando que "apenas 20% dos voos estão a sair com o planeamento" inicial. Uma gestão de recursos que, segundo afirma, não será "sustentável no tempo", porque "existe regulamentação internacional que limita os tempos de voo dos pilotos e os obriga a tempos de descanso".