Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Pontes, feriados, fins de semana prolongados e afins: fazemos as contas para 2015

Vem aí um ano com três feriados numa sexta-feira e dois num sábado. Há mais e explicamos tudo.

O panorama para 2015 é bem diferente se compararmos com o calendário de 2014, no que toca a feriados, fins de semana prolongados e pontes. No novo ano que se avizinha, os portugueses vão contar com nove feriados, sendo que seis serão assinalados em dias úteis. Trata-se de uma diferença considerável para 2014, anos em que os feriados nacionais em vigor permitiram a realização de cinco pontes e o mesmo número de fins de semana prolongados.

Em 2014 houve igualmente nove feriados nacionais em vigor, devido à abolição de feriados instituída em 2013 pelo Governo. Os portugueses tiveram ainda direito a cinco pontes, uma vez que o Carnaval e os feriados municipais de Lisboa e Porto calharam em dias que permitiram aos trabalhadores o mesmo número de fins de semana prolongados. Por outro lado, em 2015 há três feriados a uma sexta-feira, que vão permitir descanso prolongado, mas menos pontes.

A entrada em 2015 começa com o pé direito, com a sinalização do primeiro dia do ano, quinta-feira, como feriado universal, que pode servir para se fazer ponte e ter ainda um fim de semana prolongado. A 3 de abril há sexta-feira santa, a 5 é Páscoa, o 25 de Abril acontece num sábado e o 1º de maio vem numa sexta-feira, estabelecendo-se a segunda ponte oficial sem exigir cedências da entidade patronal.

Junho, que perdeu o feriado religioso do dia 4 (Corpo de Deus), mantém o dia 10 em nome de Portugal, Camões e das Comunidades Portuguesas. No próximo ano, o feriado decorre a meio da semana, quarta-feira. julho passa em branco e em agosto, o feriado de 15 de agosto calha num sábado. Em setembro não há feriados.

Por outro lado, a abolição do 5 de outubro como feriado mantém-se para 2015, deixando em branco qualquer tipo de folgas no 10º mês do ano. O fim do próximo ano só vai ter feriados em dezembro, devido à cedência por parte da Igreja do 1 de novembro, Dia de Todos os Santos.

O 8 de dezembro, feriado, surge numa terça e o Natal e ano novo colam-se ao fim de semana: são numa sexta.

Na base de corte dos feriados está o acordo entre o Vaticano e o Estado português, com validade até 2017. A medida foi justificada com o "intuito de reforçar a competitividade da economia portuguesa", como se pode ler no documento que legitima o acordo estabelecido.

DIAS DOS FERIADOS

1 DE JANEIRO, ANO NOVO: QUINTA-FEIRA

3 DE ABRIL, SEXTA-FEIRA SANTA: SEXTA-FEIRA

5 DE ABRIL, PÁSCOA: DOMINGO

25 DE ABRIL, DIA DA LIBERDADE: SÁBADO

1 DE MAIO, DIA DO TRABALHADOR: SEXTA-FEIRA

10 DE JUNHO, DIA DE PORTUGAL: QUARTA-FEIRA

15 DE AGOSTO, ASSUNÇÃO DE NOSSA SENHORA: SÁBADO

8 DE DEZEMBRO, IMACULADA CONCEIÇÃO: TERÇA-FEIRA

25 DE DEZEMBRO, NATAL: SEXTA-FEIRA

+

13 DE JUNHO, SANTO ANTÓNIO: SÁBADO

24 DE JUNHO, SÃO JOÃO: QUARTA-FEIRA