Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

18 anos de prisão. Publicava na net imagens de gente nua e exigia dinheiro para as retirar

  • 333

É uma sentença pesada da Justiça norte-americana para um crime cada vez mais espalhado, o da pornografia de vingança.

Luís M. Faria

Jornalista

Kevin Bollaert, um homem que publicou online mais de 10 mil imagens íntimas, sobretudo de mulheres, sem o respetivo consentimento, acaba de ser condenado a 18 anos de cadeia. Para justificar a sentença, o tribunal de San Diego (Califórnia) disse que refletia o número de vítimas. Ao todo, dezenas de mulheres assumiram ter sido sujeitas a essa violação brutal de privacidade, muitas delas por iniciativa de antigos namorados à procura de vingança.



Bollaert não agia por simples maldade ou voyeurismo. A sua lógica era comercial. Colocava as imagens no seu site e esperava que as mulheres descobrissem - quase sempre por alguém lhes dizer que as tinha visto. Quando o contactavam a exigir que apagasse as imagens, estavam normalmente em estado de angústia. Nessa altura, dirigia-as para um outro site, onde lhes era prometido retirar as fotos da net desde que pagassem centenas de dólares.



Uma das razões porque o tribunal foi tão severo foi o gozo evidente de Bollaert perante o sofrimento das vítimas, algumas das quais chegaram a pensar suicidar-se. Outra foi o facto de, após ser apanhado, ter dito que aquilo começara como uma brincadeira mas arruinara a sua vida - a dele, não a dos outros. "Acho que ele merece uma grande dose de castigo, com franqueza", disse o juiz durante a leitura da sentença, que considerou o réu culpado de 21 crimes de roubo de identidade e seis de extorsão.

O "revenge porn" (pornografia de vingança) nunca mais vai ser a mesma coisa.