29
Anterior
Os 'Bartolomeus' do futebol português
Seguinte
Euro 2012: animais envenenados e queimados vivos na Ucrânia (vídeo)
Página Inicial   >  Blogues  >  100 reféns  >  Soares é fixe, a troika que se lixe

Soares é fixe, a troika que se lixe

|

Não costumo concordar em quase nada com o que o ex-Presidente da República Mário Soares diz, manda dizer, dá a entender ou sequer acena. Não gosto do estilo, detesto os epítetos disparatados de "Pai da Nação", de grande "senador", etc. Acho patético. Até porque se assim é, se o senhor é efetivamente o pai deste cemitério social e económico em que vivemos só tem de se envergonhar por não ter interrompido a gravidez a tempo. Convenhamos que a situação a que chegámos é um aborto vivo. E Mário Soares é tão ou mais responsável do que todos os outros que lhe seguiram as pisadas. Não governou ele com o FMI em Portugal?

Apesar disto, acho que li pela primeira vez uma declaração deste senhor com a qual concordo em absoluto: "Romper com a troika". Rasgar o acordo assinado e que mais não é do que a sentença de morte lenta de um país e de um povo. A execução do memorando assinado com a troika é provavelmente o pior ato de gestão política de que há memória neste país. Não está em causa a intenção, mas o que esta execução (literalmente) acarreta. É suicídio político e assassinato económico-social.

O famigerado memorando tem funcionado não apenas como a subjugação pura e simples de um país aos desmandos de padrinhos alemães e franceses, mais do que expectável, mas como uma verdadeira carta branca para os Governos (PS e PSD-PP) poderem aplicar indiscriminadamente  todo o tipo de medidas de austeridade que visam tapar no imediato o buraco que os mesmo escavaram durante décadas. Execráveis na actuação, os nossos políticos pensam no presente (deles) hipotecando o futuro (nosso). O habitual - nada de novo.

A crise está a ser usada para esconder a incompetência com que este país tem sido e continua a ser gerido. À passagem alienam-se direitos, rouba-se quem trabalha, atiram-se milhares de pessoas para o desemprego e levam-se centenas de milhares à miséria. Sem vergonha ou decoro continuam estes senhores a governarem-se às nossas custas fingindo que nos governam. A crise e a conjuntura parecem servir que nem uma luva à total desresponsabilização.

Este país é uma bomba-relógio e Mário Soares sabe disso perfeitamente. E quando estoirar ele quer estar do lado certo, como sempre. O velho ancião - dirão alguns. Os políticos que temos - digo eu.

 

Acompanhe o 100 Reféns no Facebook

Na página oficial do 100 Reféns no Facebook juntam-se pessoas que gostam e que não gostam, que odeiam e que adoram, que veneram e que detestam, mas que não são indiferentes a este blogue do Expresso. Dê um passo e junte-se a nós.

Clique no link para aceder à página do 100 Reféns no Facebook .



Opinião


Multimédia

Retrato político de um país livre

Traçámos um mapa partindo dos resultados das eleições para a Assembleia Constituinte de 1975 e dos resultados das últimas eleições legislativas em 2011. O que mudou ao longo desse tempo? Como é que cada concelho votou em 1975 e em 2011? E como evoluiu a abstenção? Clicando sobre o ano e depois sobre os concelhos, no mapa ou no filtro, surgem as respostas.

Quase ninguém ficou em casa

Foi num 25 de Abril como o deste sábado, mas há 40 anos e numa liberdade então recentemente tomada: a 25 de Abril de 1975, Portugal testemunhou as primeiras eleições livres e universais após quase meio século de ditadura. Estas são as histórias, os retratos, os apelos e as memórias de um tempo que mudou o rosto do país.

Edwin. O rapaz que aprendeu a sonhar

O que Edwin sabia sobre a vida era sobreviver. Na cabeça dele não cabiam sonhos e os dias eram passados à procura de comida para ele e para a mãe e para o irmão. A fome espreitava nos cantos da barraca de palha no Quénia e ele escondia-se dela como podia - chupar as pedras era uma forma de a enganar. Mas a sorte dele mudou porque alguém viu nele outra coisa. E tudo começou numa dança. Agora, os mesmos dedos que agarravam as pedras tocam hoje teclas de um piano Bechstein. E os pés dele já não estão nus mas calçados. Com chuteiras. Primeiro no Benfica, agora no Estoril, o miúdo de 15 anos que fala como gente grande descobriu que tinha um sonho: ser futebolista. Como Drogba.

26 mil esferográficas, 14 mil urnas e 760 quilos de lacre. Os números de uma eleição histórica

Mais de mil caixas de lacre foram usadas pelas secções de voto que por todo o país, no dia 25 de abril de 1975, recolheram os boletins de milhões de eleitores. O Expresso percorreu os quatro mapas de despesas das eleições para a Assembleia Constituinte, elaborados pelo STAP, para saber quanto dinheiro esteve envolvido, onde e como foi gasto. Cada valor em escudos foi convertido para euros a preços correntes, tendo em conta a inflação. 

Todas as ilhas têm a sua nuvem

Raul Brandão chamou-lhe 'A Ilha Branca'. Como viajante digo que tem um verde diferente das outras oito que com ela formam o arquipélago dos Açores. É tenra, mansa, repousante e simultaneamente desafiante. Esconde segredos como a lenda da Maria Encantada e um vulcão florestado a meio do século passado que nos transporta para uma dimensão sulfurosa e mágica. Obrigatória para projetos de férias de natureza.

Em três quartos de hora não se esquece só a idade. "Esquece-se o mundo"

Maria do Céu dá três voltas ao lar sempre que pode. Edviges vai a todos os velórios, faz hidroginástica e sopas de letras. António dá um apoio na Igreja e nos escuteiros. Tudo é uma ajuda para passar os dias quando se tornam todos iguais. No Pinhal Interior Sul, a região mais envelhecida da União Europeia, quase um terço da população tem mais de 65 anos. Os mais velhos ficaram, os mais novos partiram.

Profissão: Sniper

O Expresso foi ver como são selecionados, que armas usam, para que missões estão preparados os snipers da Força de Operações Especiais do Exército. São uma elite dentro da elite. Um pelotão restrito. Anónimo. Treinam diariamente com um único objetivo: eliminar um alvo à primeira, mesmo que esteja a centenas de metros. Humano ou material. Sem dramas morais, dizem.

Xarém com conquilhas

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione com esta nova receita.

O que se passa dentro da cabeça dele

O que leva um tipo a quem iam amputando uma perna a regressar ao sítio onde os ossos se desfizeram, uma e outra vez, e testar os limites do seu corpo? Resposta: a busca pelo salto perfeito, que ele diz existir dentro dele e que ele encontrará mais dia menos dia. É a fé e a confiança que o movem e o levam a pular para lá do que é exigido a um campeão olímpico e mundial que não tem mais nada a provar a ninguém - a não ser a ele próprio. Este é um trabalho que publicámos em agosto de 2014, quando o saltador se preparava para os Europeus e falava das metas que tinha traçado para 2015 e 2016: mostrar que não estava acabado. Sete meses depois, provou-o no Europeu de pista coberta em Praga, onde venceu este fim de semana.

Amadeu, que aprendeu o mundo no campo e tinha o coração na ponta dos dedos

Em Portugal, a dedicação à língua mirandesa tem nome próprio: Amadeu Ferreira, o jurista da CMVM que - quando todos diziam que "era uma loucura impossível" - arranjou tempo para traduzir "Os Lusíadas", a "Mensagem", os quatro Evangelhos da Bíblia e ainda duas aventuras do Asterix para uma língua que pertence a um cantinho do nordeste português e é falada por menos de 15 mil pessoas. No final de 2014 deu ao Expresso aquela que viria a ser a sua última entrevista. Morreu no passado domingo e esta quinta-feira foi lançada a sua biografia, "O fio das lembranças", com quase 800 páginas.

Temos 16 imagens que não explicam o mundo, mas que ajudam a compreendê-lo

O júri do World Press Photo queria dar o prémio maior da edição deste ano (e talvez das edição todas) a uma fotografia com "potencial para se tornar icónica". A primeira imagem desta fotogaleria, por ser "esteticamente poderosa" e "revelar humanidade", é o que o júri procurava. A fotografia de um casal homossexual russo, a grande vencedora, é a primeira de 16 imagens de uma seleção onde há Messi desolado, migrantes em condições indignas no Mediterrâneo, a aflição do ébola, mistérios afins e etc - são os contrastes do mundo.

Elvis. Gostamos ou não gostamos?

Ele não é consensual, mas é incontornável. Dispunha de penteado majestoso e patilha marota, aparentava olhar matador e pose atrevida. E deixou canções: umas fáceis e outras nem tanto, por vezes previsíveis e às vezes inesperadas, ora gentis ora aceleradas. E ele, Elvis, nasceu em janeiro de 1934 - há precisamente 40 anos, ao oitavo dia. Temos quatro textos sobre o artista: Nicolau Santos, Rui Gustavo, Nicolau Pais e João Cândido da Silva explicam o que apreciam, o que toleram e o que não suportam.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Desfile de vedetas

Saiba tudo sobre os modelos concorrentes ao Carro do Ano 2015/Troféu Essilor Volante de Cristal. Conheça o essencial sobre os 20 automóveis participantes nesta iniciativa, da estética, às características técnicas, do preço ao consumo. A apresentação ficará completa no dia 3 de janeiro.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.


Comentários 29 Comentar
ordenar por:
mais votados
Irresponsabilidade avulsa
Ter acesso a um meio de comunicação social, para debitar uma opinião, deveria dar a estes jovens escribas a prudência necessária para evitar o disparate.

Pinta-se um cenário de catástrofe, irreal e imaginário. Gostaria de saber em quê se sente o autor prejudicado com esta governação e esta troika. Os lixados sou eu e outros como eu, que vimos os rendimentos cortados em 20% e mais alguns milhares que ficaram sem emprego. Milhões de portugueses, falam da crise, mas não a sentem na algibeira, estão a passar-lhe ao lado.
Defender que se rasgue o assinado, sendo uma indignidade intrínseca, é também uma impossibilidade. Para suspender e anular o acordo, é necessário repor o entretanto recebido. Onde é que está dinheiro para levar o assunto à estaca zero ??

As bacoradas de Soares não têm desculpa, são fruto da frustração de um velho que gosta de andar na ribalta, que o adorem, que lhe chamem rei.
Felizmente ninguém o leva a sério, pois poderia ter consequências na tal visão dos mercados (tem aí na redacção um especialistas em percentagens de bancarrota, que lhe explica)
Escreva sobre o que observa nas ruas, nos transportes,nos restaurantes,nos centros comerciais e não ande a imaginar misérias e cataclismos, que só existem na sua cabeça......
Re: Irresponsabilidade avulsa
Re: Oportuno
Re: Irresponsabilidade avulsa
Se comparar portugal 2012 a portugal 1995
Re: Irresponsabilidade avulsa
Re: Irresponsabilidade avulsa
Re: Irresponsabilidade avulsa
dizer adeus à troika, como ?
Se dissermos adeus à Troika , hà sério risco de esta nos deixar de passar o cheque de que precisamos. Declaramos pois bancarrota. O euro português desvaloriza brutalmente. É a inflação.
Isso é bom ? Importamos 70% da comida. Esta aumentará brutalmente de preço.
Isso é bom..?
Pouco entendo de economia mas acho que sair do euro a seco, declarando bacarrota , é solução arriscada.
Não creio estar errado.
Re: Não está errado
O carrasco da nação é fixe?
Concordo apenas numa pequena parte do seu discurso.
Porque hei-de estar eu a pagar uma divida que não contraí?

Agora da mesma maneira que se eu pedir um empréstimo ao banco tenho de o honrar pagando as prestações, também o estado quando pede assistência tem de honrar as obrigações dele.

O resgate era inevitável mas nunca colocando o povo português como "fiador".

Actualmente o tecido politico está com os olhos vendados com a crise e não vê o país a afundar com o passar dos dias, com muitas famílias inocentes a serem enforcadas por bancos e afins.

Nunca gostei deste velho falso e mesquinho que obrigou a minha família a fugir de angola apenas com a roupa que tinha vestida.
Que desde que está na politica cavou a sepultura deste país a cada ano que passava.

Pergunto eu...Sr. Soares se nunca tivesse existido onde estaria Portugal agora?
Re: O carrasco da nação é fixe?
Re: O carrasco da nação é fixe?
Re: O carrasco da nação é fixe?
Re: O carrasco da nação é fixe?
Re: O carrasco da nação é fixe?
Re: Oportuno
!
Soares é fixe, o POVO que se lixe.
Durante 14 anos que o partido dele esteve a desgovernar e a desbaratar o País sempre esteve tudo bem. Em todo os anos que o País estava a caminhar para a ruína sempre este chulo festejou o 25 do 4. Este ano como já não está no poder a camarilha dele a democracia já não vale nada, embora os que lá estão tivessem sido eleitos pelos portugueses. Haja paciência com este velhadas.
Mário calça as pantufas e vai para asilo tá?
Temos de dar outros passos...
Não é com a crítica estéril baseada na ignorância que se constrói um país próspero. Para maldizer não é preciso ser nenhum génio e o tradicional hábito tuga de mostrar a boçalidade em público mão me parece ser uma virtude. Por uma questão de consciência criei um fórum com a intenção de ser uma incubadora de projectos válidos com o objectivo de ajudar a induzir a construção de um Portugal melhor. Quem estiver interessado visite www.forumportugalxxi.blogspot.com . Um povo que não se sabe nem se quer governar, entregue a si próprio só se consegue desgovernar e fazer prosperar os oportunistas.
Re: Soares é fixe, a troika que se lixe
Há menos de um ano o Mesquita, com o seu voto, fez eleger um dos partidos da atual maioria. Na altura, vozes avisadas (poucas, diga-se...), foram alertando que os termos do memorando de entendimento eram o primeiro passo (ou Passos...) rumo ao abismo, reivindicando de premeio, neste entretanto, empenho governamental para 'renegociar' (diferente que 'não pagar') a dívida pública perante a finança internacional.

O Mesquita assume o seu erro? Voltaria a votar no Paulinho Portas? Ou será que como muitos portugueses ntambém se auto-intitula (convenientemente...) 'enganado'?...
Re: Soares é fixe, a troika que se lixe
Como tudo na vida, há os que choram e os que lutam
Como tudo na vida, há os que choram e os que lutam. Diz-me lá Tiago de que lado tu estás?
Só descobriste agora que foi Soares que "emprenhou" isto tudo? Não notaste que até há um ano, toda a gente gostava da "emprenhadela"?
Agora que as coisas estão feias, deitas culpas à Troika? Não foram eles que entraram com o dinheiro vivo?
Não entendes que temos que pagar de volta o que nos foi emprestado?
Ou não tens princípios e não queres que este País honre os seus compromissos.
Ainda tens cara de fedelho, por isso não passaste pelas dificuldades e apertos causados pelo Marocas e os seus governos. Aí é que vias, a incompetência em pleno, sem vergonha ou decoro em tempo de austeridade.
Não sejas agora bébé-chorão, pois mais pareces o resultado da "acção" do "pai da Nação".
Re: Como tudo na vida, há os que choram e os que l
Criticar é simples, dificil é apresentar soluções
Como refere moncarapacho, o possibilidade de dispor de direito priviligiado à publicação de opinião, deveria obrigar a alguma prudência. O autor, bem como o Dr. M Soares esquecem-se de referir como iriamos pagar as contas sem o dinheiro da Troika, a começar pelas mordomias que aufere como ex-presidente da republica, dignas apenas de um pais de 3º mundo.
Talvez no mundo imaginario que se movimentam seja possivel um cliente falido impor condições aos seus credores, quando desespera por mais credito para sobreviver.
È facil criticar o que é dificil é encontrar respostas. Se não fossem sempre os mesmos a pagar, a Troika teria sido a melhor coisa que aconteceu a Portugal nos ultimos anos, porque veio acabar com o regabofe da classe politica que nos governa desde o 25 Abril, que mais não tem feito do que estorquir quem paga impostos, para distribuir por alguns priviligiados. Sem a Troika e a UE, dentro de pouco tempo voltariamos à ditadura, conforme aconteceu na primeira Republica, que aliás foi gerida por alguns ilustres antepassados dos actuais politicos.
Curiosidade
E por falar nisso: será que alguém me pode esclarecer quais foram as exigencias do FMI quando este senhor lhe pediu que nos emprestassem uns dólares? A que juro ? Quanto? Ou a troco de quê? Não creio que tenha sido do estilo:" Toma lá que isto é a fundo perdido..."
Mommy and Daddy in the sky
«Apesar disto, acho que li pela primeira vez uma declaração deste senhor com a qual concordo em absoluto...»
O jornalista está de parabéns! (riso). Mas explica para mim, Se o pasteleiro sabia a receita do bolo, porquê só a revelar agora?

«E quando estoirar ele quer estar do lado certo, como sempre.»
Quis decerto dizer do lado mais cómodo, não?

Tenho ouvido e lido as inteligências que me chegam, e começo a ficar preocupado, tudo apontando para a minha teoria de que a inteligência humana seja oriunda de um tumor maligno!

«... é efetivamente o pai deste cemitério social e económico em que vivemos...»
Será que se sente tão bem como Mommy and Daddy in the sky?:

joacartoons.blogspot.pt/2012/05/dady-and-mammy.html
IMPOSTO PROFISSIONAL COM RETROACTIVOS
COMENTADORES,

LEMBRAM-SE QUANDO mário só-ares pediu a intervenção do FMI ???

LEMBRAM-SE QUE TIVEMOS QUE PAGAR UM RETROACTIVO DO IMPOSTO PROFISSIONAL DO ANO ANTERIOR ???

COMO PODE ário só-ares FALAR EM "BOA GOVERNAÇÃO ", ELE SABE O QUE É ISSO ?????.
PARABÉNS Sr JORNALISTA

-PARABÉNS pois só os homens inteligentes mudam de opinião. De escritos anteriores pareceu-me que apoiava os desmandos dos atuais incompetentes governantes; erro meu.

- PARABÉNS por interpretar, no meu entender, corretamente as palavras de Mário Soares. Não se trata de não cumprir com o estabelecido mas sim de ir muito para além do estabelecido levando-nos para a miséria. Mário Soares mais uma vez atirou uma pedra para o charco/pântano.
Comentários 29 Comentar

Últimas

Receba a nova Newsletter
Ver Exemplo

Pub