16 de abril de 2014 às 23:53
Página Inicial  ⁄  Atualidade / Arquivo   ⁄  EUA vão apresentar plano para a Síria

EUA vão apresentar plano para a Síria

Hillary Clinton anunciou o apoio dos EUA à Síria, através da apresentação de um plano para o país, após a reunião do grupo de ação para a Síria, em Genebra.
Lusa
Hillary Clinton anunciou o apoio dos EUA à Síria, na sede das Nações Unidas EPA Hillary Clinton anunciou o apoio dos EUA à Síria, na sede das Nações Unidas

Os Estados Unidos da América (EUA) vão apresentar um plano para a Síria ao Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), anunciou hoje secretária de Estado Hillary Clinton.

O Governo de transição da Síria deverá incluir membros do Governo atual, disse hoje Koffi Annan.

O grupo de ação para a Síria, que hoje esteve reunido em Genebra, chegou a acordo sobre os princípios e as diretrizes para uma transição naquele país, anunciou Kofi Annan, citado pela agência de notícias francesa, France Press.

A declaração do mediador da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Liga Árabe para a Síria foi proferida no final da reunião daquele grupo em que Kofi Annan leu um comunicado que refere que o Governo de transição pode incluir membros do atual executivo.

"Duvido que os sírios escolham pessoas com as mãos manchadas de sangue para os dirigir"


Os participantes na reunião identificaram ainda as medidas e as ações a adotar pelas partes de modo a garantir a aplicação completa do plano em seis pontos assim como as resoluções 2042 e 2043 do Conselho de Segurança da ONU.

Este plano, composto por seis pontos e adotado pelo Conselho de Segurança da ONU em abril, previa, entre outras medidas, um cessar-fogo a partir de 12 de abril último que nunca foi respeitado nem cumprido.

O Governo transitório exercerá o poder executivo, poderá incluir membros do Governo atual e da oposição assim como de outros grupos e deve ser formado com base no "consentimento mútuo", sublinhou Kofi Annan.

"Duvido que os sírios escolham pessoas com as mãos manchadas de sangue para os dirigir", precisou Annan, numa conferência de imprensa.

"O futuro de Bashar al-Assad é da sua responsabilidade"


Questionado sobre o futuro do Presidente sírio Bashar al-Assad, Annan disse que "o documento é claro em relação às diretrizes e aos princípios que assistem às partes sírias para que avancem no processo de transição, estabeleçam um governo de transição e efetuem as mudanças necessárias".

"O futuro de Bashar al-Assad é da sua responsabilidade", acrescentou. O grupo de ação para a Síria reúne chefes de diplomacia dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU - EUA, China, Rússia, França e Grã-Bretanha - e países representantes da Liga Árabe, como o Iraque, Koweit e Qatar, da Turquia e os secretários-gerais da Liga Árabe e da ONU assim como o Alto Representante para os Negócios Estrangeiros da União Europeia.

Em mais de 15 meses de revolta, a repressão e os combates armados na Síria já fizeram perto de 15.800 mortos, na maioria civis, segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

Comentários 9 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
Posso perguntar
Porque não ofende, posso perguntar a Síria tem ouro negro, é que as mudanças de regime no Médio Oriente, ou melhor o "abate" da classe dirigente, que de repente passa de aliada a inimiga, é proporcional ao número de barris de crude produzidos. Tanto quanto sei, os governantes da Somália Etiópia e do Sudão, podem dormir descansados, pois por lá só há fome e muita areia.
A não perder este filme....
youtu.be/6UsYkl0izaQ
Nem sempre acabar com um conflito
é vantajoso para o rentável negócio de armas e mercenários. Por isso, qualquer protelação é bem aceita, só que desta vez há muitos interessados no negócio, no qual de um dos lados, tem a Russia e a China, que querem participar da divisão do mundo, como reais atores deste nosso mundo em permanente conflito. Uma guinada na geopolítica que, ainda, pende muito para os aliados. Mas que é uma situação transitória. Vamos ver como fica daqui das nossas confortáveis poltronas ... Rio Grande
Re: EUA vão apresentar plano para a Síria
Meus amigos o plano é este...
Ai os russos e chineses não concordam?
Bem, assim o nosso excelente plano não serve para nada.

E depois há aqueles patriotas-tótos que dizem que os EUA são uma super-potência!

O que eu já me ri com estas "bocas", chega a ser imoral!!
O AMIGO AMERICANO.
SE A SIRIA TIVESSE PETROLEO, OS BASTARDOS DOS AMERICANOS JÁ TIMHAM INVADIDO A SIRIA COMO FIZERAM COM O IRAQUE E COM A LIBIA.
apresentar ???
divulgar quanto muito, pois não creio que o não tivessem... resta saber se divulgam o A o B ou o C....
Qual o interesse
Para os EUA o interesse na Siria é abrir o corredor entre Israel e Irão e, por isso, estão-se nas tintas para o plano de Koffi Annan e vão adiar este para meter mais gasolina no conflito. Os Russos estão-se a preparar atraves da ajuda financeira a Chipre para se deslocarem para a ilha.
Ou a Europa ajuda em força Chipre que hoje toma a presidencia sa UE o temos o caldo entornado.
Tese-Antítese-Síntese!
Os americanos criaram um problema, a resposta a esse problema e agora com a síntese vão ficar com o petróleo.

Novamente a teoria maçónica de tese-antítese-síntese. Há quem saiba do que eu estou a falar.
Deixa ver....
"Se tu, Assad, não te puseres a mexer, já sabes, vamos mandar-te com tudo o que temos. A saber: bombas, que adoram ser guiadas à distância; mísseis, que gostam de fazer cruzeiro; drones, cujos donos os mandam disparar a uma distância do caneco...."

Assad, meu caro. Ponha-se a mexer enquanto é tempo. Lembre-se do que aconteceu ao Kadahfi!
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub