Siga-nos

Perfil

Expresso

SIC Notícias

Marques Mendes sobre Barreiras Duarte: “Foi uma novela inqualificável que se arrastou tempo demais”

No habitual comentário de domingo na SIC, Marques Mendes criticou a demora de Rio a resolver a polémica que envolveu o seu secretário-geral: “Andou aos bonés a semana inteira”. E deixou um aviso “amigo” ao novo líder do PSD: “Enquanto não tiver causas para apresentar, vai ter casos. Não há vazios em política”

Ao deixar polémicas como as que envolveram Barreiras Duarte esta semana prolongarem-se muitos dias, Rui Rio está "a deixar-se queimar em lume brando". A expressão é de Luís Marques Mendes, que no seu comentário habitual de domingo, na SIC, disse "não conseguir perceber Rui Rio" no processo que acabou por levar à demissão de Barreiras Duarte de secretário-geral do PSD.

"A única boa notícia é a demissão. Foi uma novela inqualificável e indecifrável que se arrastou tempo demais", declarou Marques Mendes. Para o ex-presidente do PSD, a culpa é, em primeiro lugar, de Feliciano Barreiras Duarte, que foi acusado de mentir no currículo em que se apresentava como visiting scholar da universidade californiana de Berkeley. "Ele aldrabou. É uma saloice esta história de querer títulos. Estava diminuído e fragilizado, a criar num prejuízo sério ao partido, um ruído insuportável".

No entanto, ainda mais "grave e estranha" é a atitude de Rui Rio no processo - e a demora em tomar uma decisão quanto à demissão, que acabou mesmo por vir do próprio Barreiras Duarte, depois de ter conversado este domingo com o líder do partido. "Rui Rio desculpou-o, e mal, dizendo que era um assunto menor. Depois andou aos papéis durante uma semana". Para Mendes, "Rio não está a perceber algumas coisas importantes. Devia ter decidido de forma mais rápida e eficaz", num esforço de preservar a sua imagem de "seriedade" e "coragem": "As pessoas perguntam: onde é que está a coragem? Onden corta a direito? Dá cabo da sua imagem! Enquanto não tiver causas para apresentar, vai ter casos. Não há vazios em política. E António Costa assiste de palanque a tudo isto".

Mais à frente, e comentando o barómetro da Eurosondagem para o Expresso e a SIC que revela que 71% dos portugueses preferem Costa a Rio para primeiro-ministro, Marques Mendes voltou a deixar um aviso "amigo". "Se as pessoas perceberem que o PSD não tem hipóteses, muitos eleitores moderados vão preferir António Costa sozinho no poder. Muitos moderados não gostam da companhia do BE e do PCP. O PSD corre o risco de perceber estas coisas tarde demais".