Anterior
O verdadeiro esterco em forma de gente (vídeo de assalto em Londres)
Seguinte
O Dr. Passos Coelho mentiu aos portugueses
Página Inicial   >  Blogues  >  100 reféns  >  Sequestrou e violou uma mulher durante 3 dias e sai em liberdade?

Sequestrou e violou uma mulher durante 3 dias e sai em liberdade?

|
Há quem diga que a justiça neste país bateu no fundo, mas quer-me parecer que não há fundo para a nossa justiça. E a existir os juízes rapidamente tratariam de o escavar mais um bocadinho de forma a possibilitar aos cidadãos continuarem a descer o nível de consideração que têm pela classe e por muitas decisões tomadas nos tribunais que a desonram e cobrem de vergonha. Justiça made in Portugal.

Vou relembrar a notícia saída aqui no expresso, e que reli, imagine-se, no site da ASJP - associação sindical dos juízes portugueses:

"Uma turista italiana, de 25 anos, foi sequestrada em Lisboa e repetidamente agredida e violada durante três dias, numa pensão do centro da capital. Na passada sexta-feira a recém-licenciada chegou a Lisboa, após uma viagem pela Europa. Junto à estação de metro de Arroios, um homem, de 42 anos, perguntou-lhe se precisava de ajuda e ofereceu-se para lhe indicar o caminho para o hotel, mas acabou por leva-la para pensão onde estava hospedado. O rapto durou até domingo, dia em que a jovem conseguiu fugir ao terror, avança o "Correio da Manhã". 

As perícias levadas a cabo pela Polícia Judiciária e Instituto de Medicina Legal não deixam dúvidas sobre a violação e repetidas agressões que deixaram a jovem com o corpo todo marcado. O homem foi presente ao tribunal, mas o juiz deixou-o sair em liberdade, ficando apenas obrigado a apresentar-se quinzenalmente na esquadra (coitado, o dinheirão que o homem vai gastar em viagens...). A jovem turista está a receber acompanhamento psicológico e apoio da embaixada italiana em Portugal." (até admira não a terem deixado em prisão preventiva, por eventual perigo de fuga para Itália)

O nojo e estupefacção perante a notícia não me permitem fazer qualquer reparo sob pena de perder a minha liberdade e não me ser aplicada igual e benevolente pena. Deixo apenas uma pergunta, simples e directa: se no lugar da desafortunada italiana tivesse sido a filha ou a esposa do meritíssimo juiz que tomou esta brilhante e inusitada decisão a vítima de tamanha desumanidade cometida por um animalzinho doente durante três longos e tortuosos dias, e visse vexa um seu colega sentado num tribunal tomar a mesma decisão, o que sentiria?

O que lhe passaria pela cabeça se no dia seguinte à audiência, enquanto bebericava o seu galão quentinho, visse entrar na pastelaria do bairro o indivíduo que três dias antes tinha levado a sua filha, prima, mulher, amiga ou colega para uma pensão ranhosa e a tivesse forçado a fazer coisas indescritíveis sob ameaças e agressões permanentes? Sentir-se-ia bem? Continuaria impávido e sereno a beber o leitinho com café, sem pestanejar?

Se sim já cá não está quem falou. Se não sugiro-lhe que bata com a cabeça numa parede porque merece (acredite).Desculpem o termo, mas não há outro que melhor defina a justiça em Portugal: é uma merda!
Acompanhe o 100 Reféns no Facebook

Na página oficial do 100 Reféns no Facebook juntam-se pessoas que gostam e que não gostam, que odeiam e que adoram, que veneram e que detestam, mas que não são indiferentes a este blogue do Expresso. Dê um passo e junte-se a nós.

Clique no link para aceder à página do 100 Reféns no Facebook .



Opinião


Multimédia

Edwin. O rapaz que aprendeu a sonhar

O que Edwin sabia sobre a vida era sobreviver. Na cabeça dele não cabiam sonhos e os dias eram passados à procura de comida para ele e para a mãe e para o irmão. A fome espreitava nos cantos da barraca de palha no Quénia e ele escondia-se dela como podia - chupar as pedras era uma forma de a enganar. Mas a sorte dele mudou porque alguém viu nele outra coisa. E tudo começou numa dança. Agora, os mesmos dedos que agarravam as pedras tocam hoje teclas de um piano Bechstein. E os pés dele já não estão nus mas calçados. Com chuteiras. Primeiro no Benfica, agora no Estoril, o miúdo de 15 anos que fala como gente grande descobriu que tinha um sonho: ser futebolista. Como Drogba.

Todas as ilhas têm a sua nuvem

Raul Brandão chamou-lhe 'A Ilha Branca'. Como viajante digo que tem um verde diferente das outras oito que com ela formam o arquipélago dos Açores. É tenra, mansa, repousante e simultaneamente desafiante. Esconde segredos como a lenda da Maria Encantada e um vulcão florestado a meio do século passado que nos transporta para uma dimensão sulfurosa e mágica. Obrigatória para projetos de férias de natureza.

Em três quartos de hora não se esquece só a idade. "Esquece-se o mundo"

Maria do Céu dá três voltas ao lar sempre que pode. Edviges vai a todos os velórios, faz hidroginástica e sopas de letras. António dá um apoio na Igreja e nos escuteiros. Tudo é uma ajuda para passar os dias quando se tornam todos iguais. No Pinhal Interior Sul, a região mais envelhecida da União Europeia, quase um terço da população tem mais de 65 anos. Os mais velhos ficaram, os mais novos partiram.

Profissão: Sniper

O Expresso foi ver como são selecionados, que armas usam, para que missões estão preparados os snipers da Força de Operações Especiais do Exército. São uma elite dentro da elite. Um pelotão restrito. Anónimo. Treinam diariamente com um único objetivo: eliminar um alvo à primeira, mesmo que esteja a centenas de metros. Humano ou material. Sem dramas morais, dizem.

Xarém com conquilhas

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione com esta nova receita.

O que se passa dentro da cabeça dele

O que leva um tipo a quem iam amputando uma perna a regressar ao sítio onde os ossos se desfizeram, uma e outra vez, e testar os limites do seu corpo? Resposta: a busca pelo salto perfeito, que ele diz existir dentro dele e que ele encontrará mais dia menos dia. É a fé e a confiança que o movem e o levam a pular para lá do que é exigido a um campeão olímpico e mundial que não tem mais nada a provar a ninguém - a não ser a ele próprio. Este é um trabalho que publicámos em agosto de 2014, quando o saltador se preparava para os Europeus e falava das metas que tinha traçado para 2015 e 2016: mostrar que não estava acabado. Sete meses depois, provou-o no Europeu de pista coberta em Praga, onde venceu este fim de semana.

Amadeu, que aprendeu o mundo no campo e tinha o coração na ponta dos dedos

Em Portugal, a dedicação à língua mirandesa tem nome próprio: Amadeu Ferreira, o jurista da CMVM que - quando todos diziam que "era uma loucura impossível" - arranjou tempo para traduzir "Os Lusíadas", a "Mensagem", os quatro Evangelhos da Bíblia e ainda duas aventuras do Asterix para uma língua que pertence a um cantinho do nordeste português e é falada por menos de 15 mil pessoas. No final de 2014 deu ao Expresso aquela que viria a ser a sua última entrevista. Morreu no passado domingo e esta quinta-feira foi lançada a sua biografia, "O fio das lembranças", com quase 800 páginas.

Temos 16 imagens que não explicam o mundo, mas que ajudam a compreendê-lo

O júri do World Press Photo queria dar o prémio maior da edição deste ano (e talvez das edição todas) a uma fotografia com "potencial para se tornar icónica". A primeira imagem desta fotogaleria, por ser "esteticamente poderosa" e "revelar humanidade", é o que o júri procurava. A fotografia de um casal homossexual russo, a grande vencedora, é a primeira de 16 imagens de uma seleção onde há Messi desolado, migrantes em condições indignas no Mediterrâneo, a aflição do ébola, mistérios afins e etc - são os contrastes do mundo.

Vamos falar de sexo. Seis portugueses revelam tudo o que lhes dá prazer na cama

Neste primeiro episódio de uma série que vai durar sete semanas, seis entrevistados falam abertamente sobre aquilo que lhes dá mais satisfação na intimidade. Sexo em grupo, sexo na gravidez, prazer sem orgasmo e melhor sexo após a menopausa são alguns dos temas referidos nos testemunhos desta semana. O psiquiatra Francisco Allen Gomes explica ainda a razão de muitas mulheres fingirem o orgasmo. O Expresso e a SIC falaram com 33 portugueses que deram a cara e o testemunho de como são na cama. Ao longo das próximas sete semanas, contamos-lhe tudo.

Elvis. Gostamos ou não gostamos?

Ele não é consensual, mas é incontornável. Dispunha de penteado majestoso e patilha marota, aparentava olhar matador e pose atrevida. E deixou canções: umas fáceis e outras nem tanto, por vezes previsíveis e às vezes inesperadas, ora gentis ora aceleradas. E ele, Elvis, nasceu em janeiro de 1934 - há precisamente 40 anos, ao oitavo dia. Temos quatro textos sobre o artista: Nicolau Santos, Rui Gustavo, Nicolau Pais e João Cândido da Silva explicam o que apreciam, o que toleram e o que não suportam.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Desfile de vedetas

Saiba tudo sobre os modelos concorrentes ao Carro do Ano 2015/Troféu Essilor Volante de Cristal. Conheça o essencial sobre os 20 automóveis participantes nesta iniciativa, da estética, às características técnicas, do preço ao consumo. A apresentação ficará completa no dia 3 de janeiro.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

Desacelerámos a realidade para observar a euforia da liberdade

Ela, Jacarandá, é algarvia. Ele, Katmandu, é espanhol. São linces e agora experimentam a responsabilidade da liberdade: foram soltos esta terça-feira numa herdade alentejana, próxima de Mértola, eles que saíram de centros de reprodução em cativeiro. Foi inédito: nunca tinha acontecido algo assim em Portugal. Estivemos lá e ensaiámos o slow motion.


Comentários 61 Comentar
ordenar por:
mais votados
Ó Tiago...
Trate de saber o nome do juiz e escarrapache-o aqui!!!!

E não é este caso.

São muitos em que as decisões dos doutos administradores de leis são uma completa aberração em termos de justiça e equidade.

De um lado uma reforma profunda da justiça, em tremos do funcionamento das suas estruturas internas de controlo, fiscalização e avaliação.

Do outro, gente séria que não copie nos exames do CEJ, competente e equilibrada.

Este, é só mais um caso a juntar a tantos outros onde temos uma dificuldade tremenda em ver nas decisões racionalidade, coerência, justiça.

 
Re: Pleno acordo
Re: Pleno acordo
Re: Ó Tiago...
Re: Ó Tiago...
Re: Ó Tiago...
Re: Ó Tiago...
Re: Ó Tiago...
Re: Ó Tiago...
Está desculpado.
É uma merda, pois é.

A justiça tem de ser igual para todos, ou não é justiça. Este caso é por demais gritante. Relembro que há uns meses, umas rapariguinhas estúpidas ficaram presas preventivamente por terem agredido barbaramente uma colega. Já este cavalheiro fez o que fez, e só tem de ir picar o ponto a cada quinze dias.
Há coerência nesta justiça??

Quando toda a gente achou muito bem o que se fez às raparigas, eu já sabia que isto ia acontecer!
Prisão preventiva não faz um culpado mas quando se aplicam «exemplos», está-se a um passo da ditadura.

As coisas têm de ser regidas pela lei e só pela lei. Argumentos do tipo «ai se fosse a tua filha» ou «ai, se fosse a tua loja» são a negação da própria justiça. Por algum motivo ela é aplicada pelo o Estado e não pelas vítimas.

Pede-se é que seja cega, coerente e proporcional! Neste momento não é o que ela é em lado nenhum. (Nomes como Manning, Bin Laden e Guantânamo vêm-me à cabeça...)
Mais Guantânamos! Please!
Re: E não só ...
Re: Mais Guantânamos! Please!
TM
Isto não é só uma merda está transformada numa pocilga de onde este tipo de juízes chafurdam, mas eles não se importam até gostam porque o exemplo já deve vir de casa.
Re: TM
Re: TM
Mata mata esfola esfola
E depois ainda há quem se pergunte como foi possível tanta gente inteligente seguir Hitler. Aqui, só por causa de uma "notícia" saída num tablóide, e sem quaisquer dados oficiais sobre o que realmente aconteceu, já há gente disposta a matar, violar, esventrar e pegar fogo aos restos. Pior que uma justiça pobre é a falta de sentido crítico e a cegueira acéfala.
Re: Mata mata esfola esfola
Portugal...
está-se a transformar num verdadeiro "paraíso" para violadores, pedófilos, corruptos, ladrões...
Até quando?
Boa, malhar na (in)justiça...


Excelente texto! Aliás, todos os textos aqui publicados são excelentes, ou não estivéssemos no jornal da referência.

"se no lugar da desafortunada italiana tivesse sido a filha ou a esposa do meritíssimo juiz que tomou esta brilhante e inusitada decisão…”

Uáhúuuu, esta passagem está genial, repito, GENIAL!!!

Lembrou-me o muito querido AvôMetralha que passava a vida a gozar com este tipo de boçalidade usada como argumento…

Aqui fica uma amostra, das dezenas de comentários que escreveu com a mesma lengalenga…"isto só acaba quando a mulher, marido, filho, do/da juiz, juíza for..."

Uma vergonha!*

AvôMetralha (seguir utilizador), 2 pontos , 23:55 | Segunda feira, 12 de julho de 2010

Mais uma vergonha da (in)justiça portuguesa. Isto só acaba quando a mulher de um juíz for permutada por uma corista do parque mayer. Uma vergonha.

* Texto elaborado de acordo com a regra segundo a qual, na dúvida, malhar na justiça, para não ser censurado ou expulso.


http://goo.gl/jw8ZD

AvôMetralha (seguir utilizador), 2 pontos , 17:34 | Sexta feira, 9 de julho de 2010

"e isso só vai acabar quando ele disser mal da mulher de um juíz."

http://goo.gl/wrTxm

E "prontus" isto só acaba quando o marido de uma juíza for violado em pleno Parque Eduardo VII...

Enorme bocejo...

O juiz é dos que copiam nos exames
Estavam à espera de quê?
A justiça está entregue a gente dessa...
Crónicos Justiceiros
Por momentos pensei estar a navegar no sítio do paquete Correio da Manhã,mas não!Eis-me perante uma crónica tendenciosa,falaciosa e incendiária escrita no mais respeitável dos nossos semanários.O caro Tiago Mesquita fala daquilo que desconhece e julga sem o mínimo conhecimento técnico para o fazer(já para não falar de legitimidades).O Senhor baseia-se em não factos,não dados como provados-apenas arremessados para a opinião pública-para daí concluir (eloquentemente) que toda a justiça é uma merda!!Se esse indivíduo acusado de rapto e agressão sexual acaso for condenado pode sempre alegar que é injusto-que a nossa justiça é uma valente merda!Pelo meio o entusiástico Autor acusa e julga sumariamente o juiz que mandou o gatuno para casa.Pois é caro Justiceiro Mesquita,o juiz que aplicou a medida Termo e Residência ao arguido nada mais poderia fazer pois não pode,em caso algum,aplicar medida de coação mais gravosa para o arguido daquela que é requerida pelo Ministério Público na acusação-que foi no caso,precisamente,Termo e Residência.
        Rotular de "merda" tão elementar instituição para a nossa vida em democracia(com base numa brejeira análise de um caso isolado) só porque se leu alguns contos,ouviu-se dizer que aconteceu,quer-se ser populista e moralista,mesmo quando não se sabe do que se trata,ignorando-se completamente a natureza e o funcionamento da "merda",soa-me a-e com todo o respeito que tenho pelo Sr. Tiago Mesquita-mediocridade intelectual...e bem merdosa!
Re: Crónicos Justiceiros
Deixe-se de tretas…
Re: Crónicos Justiceiros
Re: Crónicos Justiceiros
Infelizmente é realmente o que existe em Portugal
Não considero um bom analista, muito menos um bom comunicador, mas de facto é dificil não concordar consigo em determinados assuntos...tais como este, que é obvio que não deve exitir niguem que não concorde com o que aqui foi dito...
É triste ver que a nossa justiça não consegue reagir ou actuar à altura do que lhe é exigido...falhas demasiadas vezes... é talvez o sector do estado que mais vezes falha ao cidadão... Mas que fazer... esta conduta e erros nada pragmáticos dos nosso tribunais, já estão entranhados, nenhuma reforma irá muadr os vicios dos senhores juizos, nenhuma reforma irá mudar a conduta do criminoso assim como do juiz... Não nos podemos esquecer, é que tudo isto, é um reflexo da nossa sociedade... Eles são benovelentes, porque a sociedae o permite e " deixa andar"...
 
Talvez...
Talvez você não saiba a história toda... Talvez as coisas não se tenham passado bem assim... Talvez nem tenha sido bem um rapto... Talvez até a mocinha pudesse ter "fugido" mais cedo, por exemplo, durante uma das muitas refeições que fizeram em vários restaurantes da cidade (ou a mocinha não sabia, por exemplo, ir à casa de banvho e dar de frosques)? Talvez, quem sabe?
Re: Talvez...
Re: Talvez...
Tenho pena...
mas Tiago, depois do que assitimos da incompetência da justiça não me parece que lhe retirassem a liberdade! Esse sr. Juiz devia de lhe ser retirada a acrteira de profissão e ir trabalhar para uma pensão dessas que mostram na televisão para perceber em que mundo vive na realidade!
Re: Sequestrou e violou uma mulher durante 3 dias
De facto, quando achava que já tinhamos batido no fundo, aparece um caso que nos relembra que ainda há espaço para considerar a nossa justiça um absoluto nojo!

O TM tem razão quando brinca com a situação do juiz estar calmamente a bebericar o seu café e entrar o violador. Um homem que viola e sequestra outro ser humano pode ser deixado em liberdade, com apresentações quinzenais? E porquê quinzenais? Para não estragar as férias?

Esta notícia é tão absurda que terá que haver algo mais. Espero que a italiana seja maluca e que esteja a inventar a história para chamar a atenção. Espero mesmo. Pela italiana e pelo nojo e vergonha que sinto em viver num país com uma justiça que permite tais situações.

E fica a nota. A sorte do tipo é a rapariga ser italiana. Se fosse minha filha e o criminoso saisse em liberdade, juro que encontrava o tipo e, depois de lhe bater com um taco de basebol, enfia-o "onde o sol não brilha", pela parte larga...

A justiça pelas mãos próprias é errada? Absolutamente.
Mas não há pai, irmão, esposo ou amigo que suporte estas decisões da nossa justiça...
Apenas mais um caso. Infelizmente.
Infelizmente este caso nem é inédito nem novo. Não faltam precedentes como o ínfame acordão do SUPREMO Tribunal de Justiça de 1989, a famosa "coutada do macho ibérico": http://tinyurl.com/3qhten... (procure no Google e encontrará mais resultados sobre esta abominação).
Muito recentemente, houve também aquele caso do psiquiatra ou psicólogo que abusou da sua paciente grávida. Não segui depois o caso, mas inicialmente foi também deixadp em liberdade.

Muitas vezes a Justiça, como sistema e como instrumento da sociedade, por se basear num modelo próprio desfasado da realidade, falha os objectivos para os quais a sociedade a criou.
Re: Apenas mais um caso. Infelizmente.
E uma tareia no juiz decisor?
Será que se eu der uma tareia no Juiz decisor também me aplicam a mesma pena " comparecer numa esquadra de 15 em 15 dias"? Se assim for vou dar uma tareia nesse pulha que tem o poder de decisão. Se o Berllusconi lá faz dessas coisas e nada lhe acontece não devia inspirar os nossos juízes por esse critério de justiça à italiana.
Estupefacção...
Não posso conceber, nem admitir, que ainda haja comentários sobre esta notícia ( que presumo seja verdadeira) que ainda tentem amenizar o acto em si, discorrendo sobre a "Lei", e que só a "Justiça" é que é capaz de ajuizar o veredicto aplicável.

  Só mentes incapazes de saber contrabalançar entre o bem e o mal, o direito e o dever, o castigo e o perdão, se podem atrever a invocar este ou aquele pressuposto legal, para banalizar tal repugnante atitude.

  Não há Direito, Código, ou legalidade, na balança da Justiça que possa justificar tão incompetente julgamento que o "Douto" Juiz aplicou.

Só uma sociedade doentia e malevolamente incapaz de evoluir eticamente, pode consentir que uma anormalidade destas fique impunível para a entidade que a tomou.

O mais grave de tudo isto é que, atitudes destas, ( e que são tantas) semeiem a descrença da população nesta instituição que deveria ser o garante duma Nação que se pretende caminhar para um futuro melhor.

Todos somos culpados, pela nossa inércia e atitude passiva, para com os intervenientes destas anomalias.

Re: Estupefacção...
Re: Estupefacção...
Re: Estupefacção...
Re: Estupefacção...
Re: Estupefacção...
Comentários 61 Comentar

Últimas

Receba a nova Newsletter
Ver Exemplo

Pub