Anterior
O verdadeiro esterco em forma de gente (vídeo de assalto em Londres)
Seguinte
O Dr. Passos Coelho mentiu aos portugueses
Página Inicial   >  Blogues  >  100 reféns  >   Sequestrou e violou uma mulher durante 3 dias e sai em liberdade?

Sequestrou e violou uma mulher durante 3 dias e sai em liberdade?

|
Há quem diga que a justiça neste país bateu no fundo, mas quer-me parecer que não há fundo para a nossa justiça. E a existir os juízes rapidamente tratariam de o escavar mais um bocadinho de forma a possibilitar aos cidadãos continuarem a descer o nível de consideração que têm pela classe e por muitas decisões tomadas nos tribunais que a desonram e cobrem de vergonha. Justiça made in Portugal.

Vou relembrar a notícia saída aqui no expresso, e que reli, imagine-se, no site da ASJP - associação sindical dos juízes portugueses:

"Uma turista italiana, de 25 anos, foi sequestrada em Lisboa e repetidamente agredida e violada durante três dias, numa pensão do centro da capital. Na passada sexta-feira a recém-licenciada chegou a Lisboa, após uma viagem pela Europa. Junto à estação de metro de Arroios, um homem, de 42 anos, perguntou-lhe se precisava de ajuda e ofereceu-se para lhe indicar o caminho para o hotel, mas acabou por leva-la para pensão onde estava hospedado. O rapto durou até domingo, dia em que a jovem conseguiu fugir ao terror, avança o "Correio da Manhã". 

As perícias levadas a cabo pela Polícia Judiciária e Instituto de Medicina Legal não deixam dúvidas sobre a violação e repetidas agressões que deixaram a jovem com o corpo todo marcado. O homem foi presente ao tribunal, mas o juiz deixou-o sair em liberdade, ficando apenas obrigado a apresentar-se quinzenalmente na esquadra (coitado, o dinheirão que o homem vai gastar em viagens...). A jovem turista está a receber acompanhamento psicológico e apoio da embaixada italiana em Portugal." (até admira não a terem deixado em prisão preventiva, por eventual perigo de fuga para Itália)

O nojo e estupefacção perante a notícia não me permitem fazer qualquer reparo sob pena de perder a minha liberdade e não me ser aplicada igual e benevolente pena. Deixo apenas uma pergunta, simples e directa: se no lugar da desafortunada italiana tivesse sido a filha ou a esposa do meritíssimo juiz que tomou esta brilhante e inusitada decisão a vítima de tamanha desumanidade cometida por um animalzinho doente durante três longos e tortuosos dias, e visse vexa um seu colega sentado num tribunal tomar a mesma decisão, o que sentiria?

O que lhe passaria pela cabeça se no dia seguinte à audiência, enquanto bebericava o seu galão quentinho, visse entrar na pastelaria do bairro o indivíduo que três dias antes tinha levado a sua filha, prima, mulher, amiga ou colega para uma pensão ranhosa e a tivesse forçado a fazer coisas indescritíveis sob ameaças e agressões permanentes? Sentir-se-ia bem? Continuaria impávido e sereno a beber o leitinho com café, sem pestanejar?

Se sim já cá não está quem falou. Se não sugiro-lhe que bata com a cabeça numa parede porque merece (acredite).Desculpem o termo, mas não há outro que melhor defina a justiça em Portugal: é uma merda!
Acompanhe o 100 Reféns no Facebook

Na página oficial do 100 Reféns no Facebook juntam-se pessoas que gostam e que não gostam, que odeiam e que adoram, que veneram e que detestam, mas que não são indiferentes a este blogue do Expresso. Dê um passo e junte-se a nós.

Clique no link para aceder à página do 100 Reféns no Facebook .



Opinião


Multimédia

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 

Crumble. A sobremesa mais fácil do mundo

Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida, especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.


Comentários 61 Comentar
ordenar por:
mais votados
Ó Tiago...
Trate de saber o nome do juiz e escarrapache-o aqui!!!!

E não é este caso.

São muitos em que as decisões dos doutos administradores de leis são uma completa aberração em termos de justiça e equidade.

De um lado uma reforma profunda da justiça, em tremos do funcionamento das suas estruturas internas de controlo, fiscalização e avaliação.

Do outro, gente séria que não copie nos exames do CEJ, competente e equilibrada.

Este, é só mais um caso a juntar a tantos outros onde temos uma dificuldade tremenda em ver nas decisões racionalidade, coerência, justiça.

 
Re: Pleno acordo
Re: Pleno acordo
Re: Ó Tiago...
Re: Ó Tiago...
Re: Ó Tiago...
Re: Ó Tiago...
Re: Ó Tiago...
Re: Ó Tiago...
Está desculpado.
É uma merda, pois é.

A justiça tem de ser igual para todos, ou não é justiça. Este caso é por demais gritante. Relembro que há uns meses, umas rapariguinhas estúpidas ficaram presas preventivamente por terem agredido barbaramente uma colega. Já este cavalheiro fez o que fez, e só tem de ir picar o ponto a cada quinze dias.
Há coerência nesta justiça??

Quando toda a gente achou muito bem o que se fez às raparigas, eu já sabia que isto ia acontecer!
Prisão preventiva não faz um culpado mas quando se aplicam «exemplos», está-se a um passo da ditadura.

As coisas têm de ser regidas pela lei e só pela lei. Argumentos do tipo «ai se fosse a tua filha» ou «ai, se fosse a tua loja» são a negação da própria justiça. Por algum motivo ela é aplicada pelo o Estado e não pelas vítimas.

Pede-se é que seja cega, coerente e proporcional! Neste momento não é o que ela é em lado nenhum. (Nomes como Manning, Bin Laden e Guantânamo vêm-me à cabeça...)
Mais Guantânamos! Please!
Re: E não só ...
Re: Mais Guantânamos! Please!
TM
Isto não é só uma merda está transformada numa pocilga de onde este tipo de juízes chafurdam, mas eles não se importam até gostam porque o exemplo já deve vir de casa.
Re: TM
Re: TM
Mata mata esfola esfola
E depois ainda há quem se pergunte como foi possível tanta gente inteligente seguir Hitler. Aqui, só por causa de uma "notícia" saída num tablóide, e sem quaisquer dados oficiais sobre o que realmente aconteceu, já há gente disposta a matar, violar, esventrar e pegar fogo aos restos. Pior que uma justiça pobre é a falta de sentido crítico e a cegueira acéfala.
Re: Mata mata esfola esfola
Portugal...
está-se a transformar num verdadeiro "paraíso" para violadores, pedófilos, corruptos, ladrões...
Até quando?
Boa, malhar na (in)justiça...


Excelente texto! Aliás, todos os textos aqui publicados são excelentes, ou não estivéssemos no jornal da referência.

"se no lugar da desafortunada italiana tivesse sido a filha ou a esposa do meritíssimo juiz que tomou esta brilhante e inusitada decisão…”

Uáhúuuu, esta passagem está genial, repito, GENIAL!!!

Lembrou-me o muito querido AvôMetralha que passava a vida a gozar com este tipo de boçalidade usada como argumento…

Aqui fica uma amostra, das dezenas de comentários que escreveu com a mesma lengalenga…"isto só acaba quando a mulher, marido, filho, do/da juiz, juíza for..."

Uma vergonha!*

AvôMetralha (seguir utilizador), 2 pontos , 23:55 | Segunda feira, 12 de julho de 2010

Mais uma vergonha da (in)justiça portuguesa. Isto só acaba quando a mulher de um juíz for permutada por uma corista do parque mayer. Uma vergonha.

* Texto elaborado de acordo com a regra segundo a qual, na dúvida, malhar na justiça, para não ser censurado ou expulso.


http://goo.gl/jw8ZD

AvôMetralha (seguir utilizador), 2 pontos , 17:34 | Sexta feira, 9 de julho de 2010

"e isso só vai acabar quando ele disser mal da mulher de um juíz."

http://goo.gl/wrTxm

E "prontus" isto só acaba quando o marido de uma juíza for violado em pleno Parque Eduardo VII...

Enorme bocejo...

O juiz é dos que copiam nos exames
Estavam à espera de quê?
A justiça está entregue a gente dessa...
Crónicos Justiceiros
Por momentos pensei estar a navegar no sítio do paquete Correio da Manhã,mas não!Eis-me perante uma crónica tendenciosa,falaciosa e incendiária escrita no mais respeitável dos nossos semanários.O caro Tiago Mesquita fala daquilo que desconhece e julga sem o mínimo conhecimento técnico para o fazer(já para não falar de legitimidades).O Senhor baseia-se em não factos,não dados como provados-apenas arremessados para a opinião pública-para daí concluir (eloquentemente) que toda a justiça é uma merda!!Se esse indivíduo acusado de rapto e agressão sexual acaso for condenado pode sempre alegar que é injusto-que a nossa justiça é uma valente merda!Pelo meio o entusiástico Autor acusa e julga sumariamente o juiz que mandou o gatuno para casa.Pois é caro Justiceiro Mesquita,o juiz que aplicou a medida Termo e Residência ao arguido nada mais poderia fazer pois não pode,em caso algum,aplicar medida de coação mais gravosa para o arguido daquela que é requerida pelo Ministério Público na acusação-que foi no caso,precisamente,Termo e Residência.
        Rotular de "merda" tão elementar instituição para a nossa vida em democracia(com base numa brejeira análise de um caso isolado) só porque se leu alguns contos,ouviu-se dizer que aconteceu,quer-se ser populista e moralista,mesmo quando não se sabe do que se trata,ignorando-se completamente a natureza e o funcionamento da "merda",soa-me a-e com todo o respeito que tenho pelo Sr. Tiago Mesquita-mediocridade intelectual...e bem merdosa!
Re: Crónicos Justiceiros
Deixe-se de tretas…
Re: Crónicos Justiceiros
Re: Crónicos Justiceiros
Infelizmente é realmente o que existe em Portugal
Não considero um bom analista, muito menos um bom comunicador, mas de facto é dificil não concordar consigo em determinados assuntos...tais como este, que é obvio que não deve exitir niguem que não concorde com o que aqui foi dito...
É triste ver que a nossa justiça não consegue reagir ou actuar à altura do que lhe é exigido...falhas demasiadas vezes... é talvez o sector do estado que mais vezes falha ao cidadão... Mas que fazer... esta conduta e erros nada pragmáticos dos nosso tribunais, já estão entranhados, nenhuma reforma irá muadr os vicios dos senhores juizos, nenhuma reforma irá mudar a conduta do criminoso assim como do juiz... Não nos podemos esquecer, é que tudo isto, é um reflexo da nossa sociedade... Eles são benovelentes, porque a sociedae o permite e " deixa andar"...
 
Talvez...
Talvez você não saiba a história toda... Talvez as coisas não se tenham passado bem assim... Talvez nem tenha sido bem um rapto... Talvez até a mocinha pudesse ter "fugido" mais cedo, por exemplo, durante uma das muitas refeições que fizeram em vários restaurantes da cidade (ou a mocinha não sabia, por exemplo, ir à casa de banvho e dar de frosques)? Talvez, quem sabe?
Re: Talvez...
Re: Talvez...
Tenho pena...
mas Tiago, depois do que assitimos da incompetência da justiça não me parece que lhe retirassem a liberdade! Esse sr. Juiz devia de lhe ser retirada a acrteira de profissão e ir trabalhar para uma pensão dessas que mostram na televisão para perceber em que mundo vive na realidade!
Re: Sequestrou e violou uma mulher durante 3 dias
De facto, quando achava que já tinhamos batido no fundo, aparece um caso que nos relembra que ainda há espaço para considerar a nossa justiça um absoluto nojo!

O TM tem razão quando brinca com a situação do juiz estar calmamente a bebericar o seu café e entrar o violador. Um homem que viola e sequestra outro ser humano pode ser deixado em liberdade, com apresentações quinzenais? E porquê quinzenais? Para não estragar as férias?

Esta notícia é tão absurda que terá que haver algo mais. Espero que a italiana seja maluca e que esteja a inventar a história para chamar a atenção. Espero mesmo. Pela italiana e pelo nojo e vergonha que sinto em viver num país com uma justiça que permite tais situações.

E fica a nota. A sorte do tipo é a rapariga ser italiana. Se fosse minha filha e o criminoso saisse em liberdade, juro que encontrava o tipo e, depois de lhe bater com um taco de basebol, enfia-o "onde o sol não brilha", pela parte larga...

A justiça pelas mãos próprias é errada? Absolutamente.
Mas não há pai, irmão, esposo ou amigo que suporte estas decisões da nossa justiça...
Apenas mais um caso. Infelizmente.
Infelizmente este caso nem é inédito nem novo. Não faltam precedentes como o ínfame acordão do SUPREMO Tribunal de Justiça de 1989, a famosa "coutada do macho ibérico": http://tinyurl.com/3qhten... (procure no Google e encontrará mais resultados sobre esta abominação).
Muito recentemente, houve também aquele caso do psiquiatra ou psicólogo que abusou da sua paciente grávida. Não segui depois o caso, mas inicialmente foi também deixadp em liberdade.

Muitas vezes a Justiça, como sistema e como instrumento da sociedade, por se basear num modelo próprio desfasado da realidade, falha os objectivos para os quais a sociedade a criou.
Re: Apenas mais um caso. Infelizmente.
E uma tareia no juiz decisor?
Será que se eu der uma tareia no Juiz decisor também me aplicam a mesma pena " comparecer numa esquadra de 15 em 15 dias"? Se assim for vou dar uma tareia nesse pulha que tem o poder de decisão. Se o Berllusconi lá faz dessas coisas e nada lhe acontece não devia inspirar os nossos juízes por esse critério de justiça à italiana.
Estupefacção...
Não posso conceber, nem admitir, que ainda haja comentários sobre esta notícia ( que presumo seja verdadeira) que ainda tentem amenizar o acto em si, discorrendo sobre a "Lei", e que só a "Justiça" é que é capaz de ajuizar o veredicto aplicável.

  Só mentes incapazes de saber contrabalançar entre o bem e o mal, o direito e o dever, o castigo e o perdão, se podem atrever a invocar este ou aquele pressuposto legal, para banalizar tal repugnante atitude.

  Não há Direito, Código, ou legalidade, na balança da Justiça que possa justificar tão incompetente julgamento que o "Douto" Juiz aplicou.

Só uma sociedade doentia e malevolamente incapaz de evoluir eticamente, pode consentir que uma anormalidade destas fique impunível para a entidade que a tomou.

O mais grave de tudo isto é que, atitudes destas, ( e que são tantas) semeiem a descrença da população nesta instituição que deveria ser o garante duma Nação que se pretende caminhar para um futuro melhor.

Todos somos culpados, pela nossa inércia e atitude passiva, para com os intervenientes destas anomalias.

Re: Estupefacção...
Re: Estupefacção...
Re: Estupefacção...
Re: Estupefacção...
Re: Estupefacção...
Comentários 61 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub