Anterior
Homenagem a "um homem que é contra Portugal", diz Duarte Pio
Seguinte
Venda de livros de Saramago aumenta quase dez vezes
Página Inicial   >  Dossiês  >  Dossies Atualidade  >  José Saramago (1922-2010)  >   Seleção com fumos negros em homenagem a Saramago

Seleção com fumos negros em homenagem a Saramago

A seleção portuguesa de futebol vai ouvir o hino no encontro com a Coreia do Norte, do Mundial-2010, com fumos negros, em memória de José Saramago.
Lusa |
Jogadores portugueses vão ouvir o hino com fumos negros nos casacos
Jogadores portugueses vão ouvir o hino com fumos negros nos casacos / Julie Jacobson/AP
A seleção portuguesa de futebol vai ouvir o hino no encontro com a Coreia do Norte, do Mundial2010, com fumos negros, em memória do prémio Nobel José Saramago, que faleceu na sexta feira.  
 
De acordo com o diretor de comunicação, Onofre Costa, a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) já pediu autorização à FIFA para colocar fumos negros nos casacos que a equipa costuma vestir no momento do hino português.  
 
Durante o encontro, que se vai disputar na Cidade do Cabo, a seleção portuguesa não poderá utilizar os fumos negros, devido aos regulamentos da FIFA.  
 
À margem de uma cerimónia em que a comitiva portuguesa colocou um ramo de flores na estátua de Bartolomeu Dias, o presidente da FPF, Gilberto Madail, transmitiu "à família as mais sentidas condolências".  
 
"Acho que, concordando ou não com as ideias de Saramago, Portugal teve a perda de um grande vulto, um dos dois prémios Nobel. Espero que onde esteja se nos puder ajudar, que ajude", afirmou.  
 
*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Opinião


Multimédia

Cheesecake com manjericão e doce de tomate

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 4 Comentar
ordenar por:
mais votados
Exagero!
Acho que Portugal começa a cair para o lado do ridículo, ou seja, exactamente para aquele lado que José Saramago tanto desprezava: servilista, oportunista, incapaz de se manter de pé! A encenação, quanto a mim, começa a ser grotesca e começo a duvidar se, entre os "dirigentes" nacionais, o Presidente da República é já o único com um verdadeiro sentido da decência e da justa proporção! O que é demais é erro! Mas entendamo-nos: eu acho muito bem que a Selecção manifeste o seu patriotismo honrando Saramago. No fundo, todos o fazemos, mesmo os que tantas vezes discordamos dele. Mas prolongar este tipo de encenações, quanto a mim só faz mal: por um lado, à Memória do Escritor, que agora valerá apenas pelo que escreveu; a Portugal e ao seu sentido mais profundo. E pergunto mesmo, com ar de provocação: não seria mais adequado/verdadeiro deixar uma manifestação assim aos Jogadores da Coreia do Norte? Em suma: começo a sentir que o sentido dos limites e o mero bom-senso se começam a perder de novo! Triste Portugal sempre que te deixas enganar assim!
Ensandecer ou endoidar ?!?
Preparem-se, dentro de dias o Policarpo dirá a missa de 7º dia recomendando Saramago às alminhas.
Agora ouvi Cavaco Silva justificar a sua ausência
Fiquei muito perturbado. aukistuxegol...
Acho lidamente.
Pelo menos o mundo inteiro vai ficar a saber que Saramago era da naturalidade portuguesa, se bem que contrariado, e não espanhola.

Esperemos, no entanto, que quando alguém perguntar onde fica Portugal não lhe respondam que é ao pé do Brasil, depois do selecionador do euro ter mostrado a bandeira brasileira no fim da final, quando as televisões de todo o mundo estavam a transmitir e nós a pagar.

Comentários 4 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub