Anterior
Será que necessita mesmo de suplementos de cálcio?
Seguinte
Sexo e a Cidade no masculino
Página Inicial   >  Blogues  >  Blogues Life & Style  >  A vida de saltos altos  >  "Se uma mulher está semi-nua nós ficamos excitados. Você não fica?"

"Se uma mulher está semi-nua nós ficamos excitados. Você não fica?"

Não senhor Presidente, não fico. E imagino que muitos homens também não. Afinal creio, e tenho quase a certeza, que muitos homens já conseguem ser minimamente civilizados.
|

O título, como facilmente devem antever, não é uma citação minha mas sim de Ramzan Kadyrov, presidente da Chechénia, que anunciou recentemente estar à procura da segunda esposa. Aos 34 anos de idade Ramzan Kadyrov governa o país com punho de ferro e segundo diretrizes da lei islâmica. Em declarações ao jornal Komsomolskaya Pravda, Kadyrov diz que procura uma "mulher decente" para a tornar sua segunda esposa, mas que ainda não encontrou uma que seja bonita suficiente (assim, num à parte de brincadeira, faz-me lembrar aquela anedota do homem que submete várias mulheres a testes de inteligência e honestidade para encontrar a perfeita e, no final, acaba por escolher a que tem o peito maior).

Poligamia para estimular a taxa de natalidade

No contexto muçulmano a que, infelizmente, já estamos habituados, as declarações de Kadyrov podiam passar despercebidas, contudo, há que relembrar que a poligamia é proibida por lei na Rússia. Nada que não seja facilmente ultrapassado. Alguns políticos russos, como o nacionalista e vice-presidente do Parlamento Vladimir Zhirinovsky, vieram a público pedir que a poligamia seja legalizada por forma a estimular as taxas de natalidade do país (gostava de fazer um comentário sobre isto mas, lamento, estou demasiado chocada).

Quando questionado sobre a posição da legítima esposa sobre a poligamia, Kadyrov defende-se alegando que não está a "enganar a mulher", que é "honesto" pois ela sabe que ele tem outra esposa e por isso - dada a extrema honestidade deste homem - a mulher não se incomoda. Pois.

A culpa é sempre da mulher, o homem apenas é homem

O rol de declarações contra os direitos das mulheres não se fica por aqui e por este aparente consenso na poligamia. Ramzan Kadyrov descreve as mulheres como propriedade dos seus maridos e que têm como único propósito dar-lhes filhos. Segundo o mesmo, desde que o homem seja capaz de prover as suas mulheres e filhos com casa, comida e boas condições de vida, nada o impede de ter várias famílias em simultâneo.

No entanto, para mim, o culminar de todas estas declarações está no título do presente texto. Mais do que colocar a mulher num patamar inferior e desumano, estas mesmas declarações colocam o próprio homem muitos séculos atrás na evolução da civilização.

No seguimento da repressão que algumas mulheres têm sofrido por se recusarem a vestir segundo o costume islâmico, Kadyrov diz que não impõe regras mas que as mesmas devem estar alertas quando estiverem insuficientemente vestidas nas ruas da Chechénia: "Os nativos do Cáucaso são homens quentes, se uma mulher está seminua, nós ficamos excitados. Você não fica?"

Não querendo levantar uma guerra religiosa, parece-me que este senhor poderia até dar-se bem com o padre ortodoxo que acha que Mulheres de minissaia não se devem admirar se forem violadas .

Haja paciência para tanto auto-controlo masculino.

A Vida de Saltos Altos no Facebook

A Vida de Saltos Altos também está presente no Facebook. Na página desta popular rede social qualquer um pode ser fã deste blogue. Clique para visitar.



A Vida de Saltos Altos no Twitter

A Vida de Saltos Altos é presença assídua no Twitter, onde estão todos os posts deste blogue. Junte-se às pessoas que aí nos seguem. Clique para visitar.



Opinião


Multimédia

Edwin. O rapaz que aprendeu a sonhar

O que Edwin sabia sobre a vida era sobreviver. Na cabeça dele não cabiam sonhos e os dias eram passados à procura de comida para ele e para a mãe e para o irmão. A fome espreitava nos cantos da barraca de palha no Quénia e ele escondia-se dela como podia - chupar as pedras era uma forma de a enganar. Mas a sorte dele mudou porque alguém viu nele outra coisa. E tudo começou numa dança. Agora, os mesmos dedos que agarravam as pedras tocam hoje teclas de um piano Bechstein. E os pés dele já não estão nus mas calçados. Com chuteiras. Primeiro no Benfica, agora no Estoril, o miúdo de 15 anos que fala como gente grande descobriu que tinha um sonho: ser futebolista. Como Drogba.

Em três quartos de hora não se esquece só a idade. "Esquece-se o mundo"

Maria do Céu dá três voltas ao lar sempre que pode. Edviges vai a todos os velórios, faz hidroginástica e sopas de letras. António dá um apoio na Igreja e nos escuteiros. Tudo é uma ajuda para passar os dias quando se tornam todos iguais. No Pinhal Interior Sul, a região mais envelhecida da União Europeia, quase um terço da população tem mais de 65 anos. Os mais velhos ficaram, os mais novos partiram.

Profissão: Sniper

O Expresso foi ver como são selecionados, que armas usam, para que missões estão preparados os snipers da Força de Operações Especiais do Exército. São uma elite dentro da elite. Um pelotão restrito. Anónimo. Treinam diariamente com um único objetivo: eliminar um alvo à primeira, mesmo que esteja a centenas de metros. Humano ou material. Sem dramas morais, dizem.

Xarém com conquilhas

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione com esta nova receita.

O que se passa dentro da cabeça dele

O que leva um tipo a quem iam amputando uma perna a regressar ao sítio onde os ossos se desfizeram, uma e outra vez, e testar os limites do seu corpo? Resposta: a busca pelo salto perfeito, que ele diz existir dentro dele e que ele encontrará mais dia menos dia. É a fé e a confiança que o movem e o levam a pular para lá do que é exigido a um campeão olímpico e mundial que não tem mais nada a provar a ninguém - a não ser a ele próprio. Este é um trabalho que publicámos em agosto de 2014, quando o saltador se preparava para os Europeus e falava das metas que tinha traçado para 2015 e 2016: mostrar que não estava acabado. Sete meses depois, provou-o no Europeu de pista coberta em Praga, onde venceu este fim de semana.

Amadeu, que aprendeu o mundo no campo e tinha o coração na ponta dos dedos

Em Portugal, a dedicação à língua mirandesa tem nome próprio: Amadeu Ferreira, o jurista da CMVM que - quando todos diziam que "era uma loucura impossível" - arranjou tempo para traduzir "Os Lusíadas", a "Mensagem", os quatro Evangelhos da Bíblia e ainda duas aventuras do Asterix para uma língua que pertence a um cantinho do nordeste português e é falada por menos de 15 mil pessoas. No final de 2014 deu ao Expresso aquela que viria a ser a sua última entrevista. Morreu no passado domingo e esta quinta-feira foi lançada a sua biografia, "O fio das lembranças", com quase 800 páginas.

Temos 16 imagens que não explicam o mundo, mas que ajudam a compreendê-lo

O júri do World Press Photo queria dar o prémio maior da edição deste ano (e talvez das edição todas) a uma fotografia com "potencial para se tornar icónica". A primeira imagem desta fotogaleria, por ser "esteticamente poderosa" e "revelar humanidade", é o que o júri procurava. A fotografia de um casal homossexual russo, a grande vencedora, é a primeira de 16 imagens de uma seleção onde há Messi desolado, migrantes em condições indignas no Mediterrâneo, a aflição do ébola, mistérios afins e etc - são os contrastes do mundo.

Vamos falar de sexo. Seis portugueses revelam tudo o que lhes dá prazer na cama

Neste primeiro episódio de uma série que vai durar sete semanas, seis entrevistados falam abertamente sobre aquilo que lhes dá mais satisfação na intimidade. Sexo em grupo, sexo na gravidez, prazer sem orgasmo e melhor sexo após a menopausa são alguns dos temas referidos nos testemunhos desta semana. O psiquiatra Francisco Allen Gomes explica ainda a razão de muitas mulheres fingirem o orgasmo. O Expresso e a SIC falaram com 33 portugueses que deram a cara e o testemunho de como são na cama. Ao longo das próximas sete semanas, contamos-lhe tudo.

Elvis. Gostamos ou não gostamos?

Ele não é consensual, mas é incontornável. Dispunha de penteado majestoso e patilha marota, aparentava olhar matador e pose atrevida. E deixou canções: umas fáceis e outras nem tanto, por vezes previsíveis e às vezes inesperadas, ora gentis ora aceleradas. E ele, Elvis, nasceu em janeiro de 1934 - há precisamente 40 anos, ao oitavo dia. Temos quatro textos sobre o artista: Nicolau Santos, Rui Gustavo, Nicolau Pais e João Cândido da Silva explicam o que apreciam, o que toleram e o que não suportam.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Desfile de vedetas

Saiba tudo sobre os modelos concorrentes ao Carro do Ano 2015/Troféu Essilor Volante de Cristal. Conheça o essencial sobre os 20 automóveis participantes nesta iniciativa, da estética, às características técnicas, do preço ao consumo. A apresentação ficará completa no dia 3 de janeiro.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

Desacelerámos a realidade para observar a euforia da liberdade

Ela, Jacarandá, é algarvia. Ele, Katmandu, é espanhol. São linces e agora experimentam a responsabilidade da liberdade: foram soltos esta terça-feira numa herdade alentejana, próxima de Mértola, eles que saíram de centros de reprodução em cativeiro. Foi inédito: nunca tinha acontecido algo assim em Portugal. Estivemos lá e ensaiámos o slow motion.


Comentários 26 Comentar
ordenar por:
mais votados
Calma, Solange! Calma!
São apenas obras de deus e são somente actos de homens de deus.

Todos eles pacíficos, todos eles generosos, todos eles justos, todos eles correctos, todos eles bondosos...

E, já agora, alguém que puxe o autoclismo!

A paciência para aturar "crentes" cretinos como estes esgota o maior de todos os "santos".
Re: Calma, Solange! Calma!
Se as coisas fossem assim tão simples...
Não defendo nem deixo de defender a poligamia desde que seja exercida livremente.
Seria interessante saber quantas candidatas voluntárias arranjou o rapaz e para que não me acusem de machismo imaginemos quantos candidatos teria, por exemplo, a actual presidente da Argentina se resolvesse ter primeiro marido, segundo, terceiro, etc, uma vez que também terá posses para isso?
Sabedoria oriental
Uma mulher pergunta a um sábio chinês:

- Mestre, porque é que um homem que faz sexo com várias mulheres, é chamado de garanhão, e se uma mulher que faz sexo
com vários homens, é chamada de puta?

Responde o mestre:

- Filha, uma chave que abre várias fechaduras é uma chave-mestra. Já uma fechadura que abre com qualquer chave, não serve para nada...
Se eu vir uma mulher semi-nua eu fico preocupado
e dou-lhe um cobertor para ela não ter frio...
Então D. Solange, Anime-se.
Lembre-se sempre
Que Deus fez primeiro o Homem e depois a Mulher - porque preferiu começar pelo rascunho.
Re: Lembre-se sempre
Re: Lembre-se sempre
Criticas?
Sra.Solange,pelo que me dá a entender voce sabe pouco ou está a ser tendeciosa.Penso que sabe que há milhões de Kadyrovs.Nos EUA são bem conhecidos e até por lá realizaram uns jogos olimpicos.Em portugal até à pouco tempo èra normal os homens de bem terem a sua amante.Falar dos direitos das mulheres deverá ser feito sem hipocrisias.
Poligamia legalizada??
A poligamia não necessita de ser legalizada para ser praticada...Há tantos homens e mulheres que o praticam todos os dias....as religiões é que colocaram esse tabu que persiste até hoje...é como tudo em relação ao sexo...quantos mais proibido é o fruto mais gente busca esse fruto...
Claro que "todos ficamos", claro...
À parte do (algo forçado) "Portugueses e portuguesas", alguém tem realmente dúvidas de que boa parte das comunicações feitas para o "público em geral" continuam a ser, maioritariamente, feitas tendo em mente homens, brancos, heterossexuais, entre os 25 e 55 anos, continuando as mulheres e outros supostos desvios à regra (atrás citada) a serem tratadas como nichos mal tipificados?

Alguém tem ilusões de pensar que o ser humano by default é, basicamente, um homem?

Fora isso - excluindo, claro está, a lamentável correlação entre "mulher" e "propriedade" - prefiro n vezes a honestidade da poligamia (ou da poliandria... que também existe, lembram-se?), do que as desculpas mete-nojo que se arranjam para trair a(o) parceira(o).
lol
Na minha opinião ainda falta uma revolução por fazer, e uma revolução que mudaria o actual status quo da sociedade.

A mulher está biologicamente preparada para sentir empatia (de se colocar nos sapatos dos outros) coisa que o homem (tudo isto de forma geral) não está. O homem tem a capacidades a nível espacial (por isso é que o homem conduz melhor que a mulher, obviamente há excepções, mas são excepções que comprovam a regra e estudos sobre o cérebro masculino e feminino comprovam o que estou a dizer).

Num mundo em que cada vez mais necessita de valores, de bons valores, não me parece que caiba ao homem, um mero pateta egoísta que dificilmente consegue olhar para além do seu umbigo (estou a escrever de forma generalizada, há sempre excepções que comprovam a regra), a tarefa de fazer ressurgir os bons valores da família, amor, compaixão, empatia e espírito de entreajuda. Parece me a mim que essa tarefa cai que nem uma luva nas mulheres.. não sou só eu que digo isto há muitas pessoas que defendem este ponto de vista..

Portanto, a melhor revolução que poderia acontecer agora era a mudança no poder, do homem pela mulher. Isto vindo de um homem significa qualquer coisa, só espero estar cá para ver...
Eu cá confesso humildemente que ...

Eu cá confesso humildemente que, quando uma mulher se me apresenta, semi-nua, eu nunca fico completamente indiferente.
Re: Eu cá confesso humildemente que ...
Re: Eu cá confesso humildemente que ...
A Solange escreve "peito"
O nome cientifico não é esse. Mamas é o correcto. Excitado? Só quando estou nervoso.

http://oanaogigante.blogs...
Bem...
Para já, não me chama a atenção uma mulher de calças, nem que sejam esses jeans provocantes ou shorts. Se está de saias, aí fico logo antenado.
A nudez de uma mulher em si, é vulgar, mas se ela começa com os truques de saia a cruzar as pernas, ou provocantemente semi-tapada com um lençol, o caso muda de figura.
O que excita não é o corpo dela nu e cru, mas semi-descoberto, porque aí trabalha a nossa imaginação e a imaginação é como o código postal, meio caminho andado. É electrizante. Até arrepia.
Isso elas sabem-no muito bem desde novas e aplicam-no no dia a dia, porque também sentem prazer em excitar um homem. Trabalha no seu ego. Fá-las sentirem-se poderosas.
Re: Bem...
Re: Bem...
LOL...
Re: LOL...
Sim, na bica, tudo roda em volta do seu umbigo
Re: Sim, na bica, tudo roda em volta do seu umbigo
Re: Nem penso...
Sobre a poligamia
Esta peça da Solange é preocupante mas talvez não pelas razões que todos estariam a apontar.

A poligamia não é sinal de atrasos civilizacionais (ou melhor é, mas esperem um bocadinho para perceber) ou de arcaísmos bacocos, o que ela é é um sinal de sociedades onde existe um forte desequilíbrio na distribuição dos sexos. Se por alguma razão, os homens com direito a casar são muito menos que as mulheres, então vai haver uma forte pressão para a instauração da poligamia. A própria poligamia pode depois suportar-se a si própria criando as razões do desequilíbrio.

Repare-se que o Islão, por exemplo, não promove a poligamia. As 4 esposas permitidas são um compromisso numa sociedade tribal que não punha limite naquelas. Deserto, ambientes hostis, e rapazes mortos em rixas tribais/familiares dá nisso. Por outro lado, aceitando-se a poligamia, há aqueles que têm muita sorte e outros forçados a lutar pelos restos... mais mortes. Estas mortes são um sinal de fraqueza da sociedade, e por isso considerei a poligamia um sinal de atraso, mas uma vez que seria uma resposta ao ambiente, não a penso arcaica per si.

O que é preocupante é que se Ramzan Kadyrov, presidente da Chechénia, se permite defender a poligamia dessa forma na Chechénia, incluindo, invocando o argumento da natalidade, então a mortandade lá deve ter chegado a níveis mais elevados do que gostava de supor.
Comentários 26 Comentar

Últimas

Receba a nova Newsletter
Ver Exemplo

Pub