19 de abril de 2014 às 13:32
Página Inicial  ⁄  Blogues  ⁄  Blogues Life & Style  ⁄  A vida de saltos altos  ⁄  "Se uma mulher está semi-nua nós ficamos excitados. Você não fica?"

"Se uma mulher está semi-nua nós ficamos excitados. Você não fica?"

Não senhor Presidente, não fico. E imagino que muitos homens também não. Afinal creio, e tenho quase a certeza, que muitos homens já conseguem ser minimamente civilizados.
Solange Cosme (sapato nº39) (www.expresso.pt)

O título, como facilmente devem antever, não é uma citação minha mas sim de Ramzan Kadyrov, presidente da Chechénia, que anunciou recentemente estar à procura da segunda esposa. Aos 34 anos de idade Ramzan Kadyrov governa o país com punho de ferro e segundo diretrizes da lei islâmica. Em declarações ao jornal Komsomolskaya Pravda, Kadyrov diz que procura uma "mulher decente" para a tornar sua segunda esposa, mas que ainda não encontrou uma que seja bonita suficiente (assim, num à parte de brincadeira, faz-me lembrar aquela anedota do homem que submete várias mulheres a testes de inteligência e honestidade para encontrar a perfeita e, no final, acaba por escolher a que tem o peito maior).

Poligamia para estimular a taxa de natalidade

No contexto muçulmano a que, infelizmente, já estamos habituados, as declarações de Kadyrov podiam passar despercebidas, contudo, há que relembrar que a poligamia é proibida por lei na Rússia. Nada que não seja facilmente ultrapassado. Alguns políticos russos, como o nacionalista e vice-presidente do Parlamento Vladimir Zhirinovsky, vieram a público pedir que a poligamia seja legalizada por forma a estimular as taxas de natalidade do país (gostava de fazer um comentário sobre isto mas, lamento, estou demasiado chocada).

Quando questionado sobre a posição da legítima esposa sobre a poligamia, Kadyrov defende-se alegando que não está a "enganar a mulher", que é "honesto" pois ela sabe que ele tem outra esposa e por isso - dada a extrema honestidade deste homem - a mulher não se incomoda. Pois.

A culpa é sempre da mulher, o homem apenas é homem

O rol de declarações contra os direitos das mulheres não se fica por aqui e por este aparente consenso na poligamia. Ramzan Kadyrov descreve as mulheres como propriedade dos seus maridos e que têm como único propósito dar-lhes filhos. Segundo o mesmo, desde que o homem seja capaz de prover as suas mulheres e filhos com casa, comida e boas condições de vida, nada o impede de ter várias famílias em simultâneo.

No entanto, para mim, o culminar de todas estas declarações está no título do presente texto. Mais do que colocar a mulher num patamar inferior e desumano, estas mesmas declarações colocam o próprio homem muitos séculos atrás na evolução da civilização.

No seguimento da repressão que algumas mulheres têm sofrido por se recusarem a vestir segundo o costume islâmico, Kadyrov diz que não impõe regras mas que as mesmas devem estar alertas quando estiverem insuficientemente vestidas nas ruas da Chechénia: "Os nativos do Cáucaso são homens quentes, se uma mulher está seminua, nós ficamos excitados. Você não fica?"

Não querendo levantar uma guerra religiosa, parece-me que este senhor poderia até dar-se bem com o padre ortodoxo que acha que Mulheres de minissaia não se devem admirar se forem violadas .

Haja paciência para tanto auto-controlo masculino.

A Vida de Saltos Altos no Facebook

A Vida de Saltos Altos também está presente no Facebook. Na página desta popular rede social qualquer um pode ser fã deste blogue. Clique para visitar.



A Vida de Saltos Altos no Twitter

A Vida de Saltos Altos é presença assídua no Twitter, onde estão todos os posts deste blogue. Junte-se às pessoas que aí nos seguem. Clique para visitar.


Comentários 26 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
Calma, Solange! Calma!
São apenas obras de deus e são somente actos de homens de deus.

Todos eles pacíficos, todos eles generosos, todos eles justos, todos eles correctos, todos eles bondosos...

E, já agora, alguém que puxe o autoclismo!

A paciência para aturar "crentes" cretinos como estes esgota o maior de todos os "santos".
Re: Calma, Solange! Calma! Ver comentário
Se as coisas fossem assim tão simples...
Não defendo nem deixo de defender a poligamia desde que seja exercida livremente.
Seria interessante saber quantas candidatas voluntárias arranjou o rapaz e para que não me acusem de machismo imaginemos quantos candidatos teria, por exemplo, a actual presidente da Argentina se resolvesse ter primeiro marido, segundo, terceiro, etc, uma vez que também terá posses para isso?
Sabedoria oriental
Uma mulher pergunta a um sábio chinês:

- Mestre, porque é que um homem que faz sexo com várias mulheres, é chamado de garanhão, e se uma mulher que faz sexo
com vários homens, é chamada de puta?

Responde o mestre:

- Filha, uma chave que abre várias fechaduras é uma chave-mestra. Já uma fechadura que abre com qualquer chave, não serve para nada...
Se eu vir uma mulher semi-nua eu fico preocupado
e dou-lhe um cobertor para ela não ter frio...
Então D. Solange, Anime-se.
Lembre-se sempre
Que Deus fez primeiro o Homem e depois a Mulher - porque preferiu começar pelo rascunho.
Re: Lembre-se sempre Ver comentário
Re: Lembre-se sempre Ver comentário
Criticas?
Sra.Solange,pelo que me dá a entender voce sabe pouco ou está a ser tendeciosa.Penso que sabe que há milhões de Kadyrovs.Nos EUA são bem conhecidos e até por lá realizaram uns jogos olimpicos.Em portugal até à pouco tempo èra normal os homens de bem terem a sua amante.Falar dos direitos das mulheres deverá ser feito sem hipocrisias.
Poligamia legalizada??
A poligamia não necessita de ser legalizada para ser praticada...Há tantos homens e mulheres que o praticam todos os dias....as religiões é que colocaram esse tabu que persiste até hoje...é como tudo em relação ao sexo...quantos mais proibido é o fruto mais gente busca esse fruto...
Claro que "todos ficamos", claro...
À parte do (algo forçado) "Portugueses e portuguesas", alguém tem realmente dúvidas de que boa parte das comunicações feitas para o "público em geral" continuam a ser, maioritariamente, feitas tendo em mente homens, brancos, heterossexuais, entre os 25 e 55 anos, continuando as mulheres e outros supostos desvios à regra (atrás citada) a serem tratadas como nichos mal tipificados?

Alguém tem ilusões de pensar que o ser humano by default é, basicamente, um homem?

Fora isso - excluindo, claro está, a lamentável correlação entre "mulher" e "propriedade" - prefiro n vezes a honestidade da poligamia (ou da poliandria... que também existe, lembram-se?), do que as desculpas mete-nojo que se arranjam para trair a(o) parceira(o).
lol
Na minha opinião ainda falta uma revolução por fazer, e uma revolução que mudaria o actual status quo da sociedade.

A mulher está biologicamente preparada para sentir empatia (de se colocar nos sapatos dos outros) coisa que o homem (tudo isto de forma geral) não está. O homem tem a capacidades a nível espacial (por isso é que o homem conduz melhor que a mulher, obviamente há excepções, mas são excepções que comprovam a regra e estudos sobre o cérebro masculino e feminino comprovam o que estou a dizer).

Num mundo em que cada vez mais necessita de valores, de bons valores, não me parece que caiba ao homem, um mero pateta egoísta que dificilmente consegue olhar para além do seu umbigo (estou a escrever de forma generalizada, há sempre excepções que comprovam a regra), a tarefa de fazer ressurgir os bons valores da família, amor, compaixão, empatia e espírito de entreajuda. Parece me a mim que essa tarefa cai que nem uma luva nas mulheres.. não sou só eu que digo isto há muitas pessoas que defendem este ponto de vista..

Portanto, a melhor revolução que poderia acontecer agora era a mudança no poder, do homem pela mulher. Isto vindo de um homem significa qualquer coisa, só espero estar cá para ver...
Eu cá confesso humildemente que ...

Eu cá confesso humildemente que, quando uma mulher se me apresenta, semi-nua, eu nunca fico completamente indiferente.
Re: Eu cá confesso humildemente que ... Ver comentário
Re: Eu cá confesso humildemente que ... Ver comentário
A Solange escreve "peito"
O nome cientifico não é esse. Mamas é o correcto. Excitado? Só quando estou nervoso.

http://oanaogigante.blogs...
Bem...
Para já, não me chama a atenção uma mulher de calças, nem que sejam esses jeans provocantes ou shorts. Se está de saias, aí fico logo antenado.
A nudez de uma mulher em si, é vulgar, mas se ela começa com os truques de saia a cruzar as pernas, ou provocantemente semi-tapada com um lençol, o caso muda de figura.
O que excita não é o corpo dela nu e cru, mas semi-descoberto, porque aí trabalha a nossa imaginação e a imaginação é como o código postal, meio caminho andado. É electrizante. Até arrepia.
Isso elas sabem-no muito bem desde novas e aplicam-no no dia a dia, porque também sentem prazer em excitar um homem. Trabalha no seu ego. Fá-las sentirem-se poderosas.
Re: Bem... Ver comentário
Re: Bem... Ver comentário
LOL... Ver comentário
Re: LOL... Ver comentário
Sim, na bica, tudo roda em volta do seu umbigo Ver comentário
Re: Sim, na bica, tudo roda em volta do seu umbigo Ver comentário
Re: Nem penso... Ver comentário
Sobre a poligamia
Esta peça da Solange é preocupante mas talvez não pelas razões que todos estariam a apontar.

A poligamia não é sinal de atrasos civilizacionais (ou melhor é, mas esperem um bocadinho para perceber) ou de arcaísmos bacocos, o que ela é é um sinal de sociedades onde existe um forte desequilíbrio na distribuição dos sexos. Se por alguma razão, os homens com direito a casar são muito menos que as mulheres, então vai haver uma forte pressão para a instauração da poligamia. A própria poligamia pode depois suportar-se a si própria criando as razões do desequilíbrio.

Repare-se que o Islão, por exemplo, não promove a poligamia. As 4 esposas permitidas são um compromisso numa sociedade tribal que não punha limite naquelas. Deserto, ambientes hostis, e rapazes mortos em rixas tribais/familiares dá nisso. Por outro lado, aceitando-se a poligamia, há aqueles que têm muita sorte e outros forçados a lutar pelos restos... mais mortes. Estas mortes são um sinal de fraqueza da sociedade, e por isso considerei a poligamia um sinal de atraso, mas uma vez que seria uma resposta ao ambiente, não a penso arcaica per si.

O que é preocupante é que se Ramzan Kadyrov, presidente da Chechénia, se permite defender a poligamia dessa forma na Chechénia, incluindo, invocando o argumento da natalidade, então a mortandade lá deve ter chegado a níveis mais elevados do que gostava de supor.
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub