Anterior
A serenata aos desempregados de Passos Coelho
Seguinte
Subsídios/Tribunal Constitucional: a 1.ª derrota de Passos Coelho!
Página Inicial   >  Blogues  >  Politicoesfera  >   Santana Lopes ou Fernando Seara: qual o candidato do PSD a Lisboa?

Santana Lopes ou Fernando Seara: qual o candidato do PSD a Lisboa?

|

1. No PSD, já se fala dos candidatos às autárquicas de 2013. Domina a convicção geral no partido de que tais eleições representam um marco importante: uma derrota poderia dar um novo fôlego a António José Seguro e fragilizar (ainda mais) o executivo de Passos Coelho. Por conseguinte, Jorge Moreira da Silva e Miguel Relvas (sempre presente na vida do partido, claro!) têm dado a entender aos líderes locais do partido a relevância central das autárquicas. Sabe-se que a vitória é importante, mas muito, muito, muito difícil de alcançar: o Governo sofrerá naturalmente o castigo dos portugueses pela sua governação estrategicamente titubeante, socialmente injusta e financeiramente pouco útil. Acresce, ainda, a circunstância de o PSD ser hoje um partido em estado de "coma, adormecido, que se limita a assistir com subserviência ao que Passos Coelho vai fazendo. Como facilmente se percebe, o cenário é muito desfavorável para o PSD.

2. Posto isto, as linhas gerais da estratégia do PSD para as autárquicas será definida em Conselho Nacional no final do presente mês - e candidatos anunciados previsivelmente em Outubro. Resta saber se os candidatos às câmaras com maior visibilidade e impacto, serão divulgados antecipadamente, maxime, ainda este mês. Sabemos que existe essa tentação em certos dirigentes do PSD - e Passos Coelho não descarta essa possibilidade. No entanto, entendemos que não será a decisão mais cauta. Isto porque a revelação antecipada do candidato a Lisboa ou Porto (por exemplo) iria gerar uma enorme atenção mediática em torno do candidato escolhido já durante o próximo Verão, correndo-se o risco de esgotar e fragilizar a candidatura (como um balão de oxigénio que se vai esgotando aos poucos). Por outro lado, anunciar o candidato do PSD antes de o PS o fazer oficialmente, levará a que o debate político se foque já no candidato a Lisboa ou Porto, podendo António José Seguro chamar a si a responsabilidade de criticar as escolhas do PSD, fragilizá-las politicamente, associando-as à política do Governo PSD. Além disso, dará tempo para que o PS lime todas as arestas da sua estratégica, jogando na defensiva, esperando o erro, a gaffe dos candidatos do PSD durante os meses de Agosto ou Setembro. Concluímos, pois, que o PSD só deverá apresentar candidatos autárquicos (incluindo a Lisboa) em Outubro/Novembro. Até porque essa matéria não está na ordem do dia e os portugueses têm assuntos muito mais relevantes para a sua vida diária que pretendem que a classe política discuta e resolva.

3. Dito isto, surge a terceira (inevitável) questão: quem será o candidato do PSD à Câmara Municipal de Lisboa? Duas hipóteses: Fernando Seara e Pedro Santana Lopes, com uma amplíssima vantagem do primeiro. Seara é o candidato de Passos Coelho e de Miguel Relvas - e está cheio de vontade para abraçar o desafio. Com um grande ânimo para fazer uma campanha próxima dos lisboetas e uma estonteante confiança na vitória. A sua ligação ao Benfica e as aparições televisivas para comentar as incidências das jornadas futebolísticas conferem-lhe uma visibilidade importante. No entanto, confronta-se com uma dificuldade: Fernando Seara já fez saber que pretende o apoio do CDS à sua candidatura, ou seja, exige uma coligação entre os dois partidos. Lembre-se que esta foi a exigência de Fernando Seara para se candidatar a Sintra - onde foi vitorioso - e nos mandatos que efectuou como edil desta autarquia "governou" com o CDS. A coligação correu relativamente bem - e Seara já se municiou de sondagens que confirmam que uma candidatura conjunta dos dois partidos é mais forte. Contudo, no sábado, foi eleito o novo presidente da concelhia de Lisboa: Mauro Xavier, um "delegado" de Passos Coelho na estrutura do partido. Ora, a bandeira mais forte de Mauro Xavier foi, precisamente, a recusa de uma coligação com a CDS nas próximas autárquicas, garantindo que o PSD apresentará uma candidatura própria e exclusiva. O que representa uma ruptura com a estratégia autárquica do PSD para Lisboa dos últimos largos anos (desde a primeira vitória de Pedro Santana Lopes, com a excepção das eleições antecipadas de 2007). Será, pois, muito curioso seguir os próximos episódios desta novela autárquica: por um lado, Seara é apoiado por Miguel Relvas e indirectamente por Passos Coelho, mas impõe uma coligação pré-eleitoral com o CDS; por outro, o líder do aparelho lisboeta escolhido por Relvas e Passos opõe-se a uma candidatura em coligação com o CDS, impedindo aparentemente uma candidatura de Fernando Seara. Veremos como será resolvido este dilema que Mauro Xavier criou a Passos Coelho.

4. Por último, quanto a Santana Lopes, é improvável que seja candidato por uma razão simples: a estrutura lisboeta do PSD nutre um ódio e uma animosidade em relação a Santana Lopes sem precedentes, em virtude ainda das últimas eleições autárquicas. Santana Lopes optou então por fazer uma campanha solitária, com uma presença mínima do PSD. A máquina ainda não lhe perdoou.

Email:politicoesfera@gmail.com


Opinião


Multimédia

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola, em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

United Colors of Gnocchi

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Strogonoff de peixe espada preto

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Caril de banana

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Cantaril com risotto de espargos

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.


Comentários 7 Comentar
ordenar por:
mais votados
Santana Lopes,bom candidato paraLisboa!
Lisboa merecia voltar a ter na Câmara Santana Lopes. A falta de obras e de uma dinâmica á altura de uma capital,são visivéis a quem estiver atento á fraca gestão socialista de António Costa.
O PSD não pode arriscar em Lisboa ,apresentando-se com figuras de 2ª linha,o caso de Seara:está bem onde está ,mas não serve para ganhar a capital.
O regresso de Santana Lopes signifcaria a revitalização da cidade e a recolocação no lugar onde Lisboa deve estar:no centro internacional das atenções e no lugar cimeiro da politica autárquina do País!
Re: Santana Lopes,bom candidato paraLisboa!
E porque não nenhum deles?
Hã? Eu diria mais: porque não se mandam todos esses políticos da treta pentear macacos para a Amazónia,políticos esses que nada fazem nem nada fizeram (o Santana Lopes? LOLOLOL) por este país a não ser enterrá-lo cada ano mais e mais, e se coloca lá alguém que perceba de finanças, de gestão e de outras matérias importantes para a gestão de uma autarquia? Porquê sempre os mesmos? Porquê sempre gente com interesses político-partidários escondidos e obscuros a governar (!) este país? Parece que gostamos de ser comidos por parvos e roubados ano após ano! Triste país este de gente otária e ceguinha!...
JLE
O Dias Loureiro, Oliveira e costa, ferro podre rodrigues, tudo gente séria!
Politiquice à parte...
Chama-me à atenção não a questão das candidaturas às câmaras(isso é paleio para as maquinas...;)), mas a descrição do atual governo...."governação estrategicamente titubeante, socialmente injusta e financeiramente pouco útil"...para o isento a descrição assentaria na perfeição no anterior executivo que "acabaria por cair de podre". Chama a atenção a expressão "natural punição"...mas anda tudo doido ou a amnésia dos politiqueiros é um caso clínico. Como é possível num ano alterar significativamente algo que caiu de podre? Atualmente quando surge alguém ligado ao anterior executivo, o que sinto é coceira e vómitos próprios da pior das alergias...e...aparecem estes senhores a falar naturalmente, em punições para o atual executivo...só pergunto...para beneficiar quem?

"ENTRE OS DOIS"
Prefiro a Judite de Sousa (sem aneis).
kácus

santana lopes já
o unico candidato que os lisboetas gostam é este.
qual seabra qual què
Comentários 7 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub