E vão três. Mais um Bush na fila para a presidência

Anterior
Blanchard: "BCE deve avançar quando estiver preparado"
Seguinte
ERC conclui texto sobre TDT
Página Inicial   >  Economia  >   Salário mínimo em Portugal cada vez mais longe da média da União Europeia

Salário mínimo em Portugal cada vez mais longe da média da União Europeia

Em 2009, correspondia a 83,2% da média da União, que era de 708,2 euros. Em 2014, equivale a ainda menos.
|
Salário mínimo em Portugal cada vez mais longe da média da União Europeia

Quando se olha para a evolução dos salários mínimos na União Europeia (UE) durante o período da crise, percebe-se que Portugal afastou-se da média europeia entre 2009 e 2014.

Há cinco anos, o valor médio na UE era de 708 euros, em paridades de poder de compra. Em 2014, passou para os 823 euros, de acordo com dados do Eurostat. E se em 2009 o salário mínimo em Portugal correspondia a 83% da média, em 2014 passou para 80%.

Os valores usados pelo Eurostat para os casos dos países em que o salário é pago em 14 meses, como em Portugal, são ajustados. É essa a explicação para que o valor usado pelo Eurostat para Portugal seja de 659,74 euros mensais em  2014 [equivale a (485x14)/12 + paridade do poder de compra].

Países como o Reino Unido e a Holanda estão entre os que apresentam as maiores descidas. Pelo contrário, Letónia, Eslovénia, Polónia e Hungria melhoraram a sua posição.

 

Mais aumentos a leste 

Por outro lado, Portugal foi o quinto país com o menor aumento de salário mínimo entre 2009 e 2014. A última subida deu-se em 2011, quando passou de 475 para 485 euros (645,65 para 659,74 com paridade de poder de compra). Depois disso, e até hoje, não voltou a sofrer alterações.

No topo da lista estão novamente os países do Leste europeu, em particular a Letónia, Bulgária, Hungria e Eslovénia. Na Letónia, por exemplo, o salário aumentou quase para o dobro (de 336 euros em 2009 para 642 euros em 2014). Na Bulgária, passou de 239 euros para 360 euros.

Os quatro países que mais aumentaram o salário mínimo aderiram à União Europeia nos últimos anos: em 2004, nos casos da Letónia, Hungria e Eslovénia; em 2007, no caso da Bulgária.

Quanto aos valores nominais dos salários em 2014 (ver quadro em baixo, que não contempla paridade de poder de compra), percebe-se que no topo da lista continua a estar o Luxemburgo (1921 euros de salário mínimo), a Bélgica (1502 euros), a Holanda (1486 euros) e a Irlanda (1462 euros). No caso da Irlanda, intervencionada pela troika, o valor nominal do salário não sofreu alterações desde 2009.

Se estendermos o olhar à Europa, há casos como a Dinamarca, Itália, Áustria, Finlândia, Islândia, Suécia, Noruega e Suíça onde não existe salário mínimo nacional legal. Nos casos de Chipre e Macedónia, o salário mínimo não se aplica à generalidade das pessoas, mas sim apenas a alguns grupos específicos. Na Alemanha, foi anunciado no início do mês de Abril a aprovação do salário mínimo de 8,5 euros por hora.



Opinião


Multimédia

Geração Z

Mais rápidos, mais capazes, mais solitários, os Z vivem agarrados aos ecrãs, pensam com a ajuda da internet e estão permanentemente preocupados com a bateria do telemóvel. Que geração é esta que nasceu com a viragem do século?

Desaparecidos para sempre no Mar do Norte

O dia 15 de novembro já foi feriado, há 90 anos. A razão foi o desaparecimento de Sacadura Cabral algures no Mar do Norte. Depois de fazer mais de oito mil quilómetros de Lisboa ao Rio de Janeiro, o aviador pioneiro não conseguiu completar o voo entre a cidade holandesa de Amesterdão e a capital portuguesa. Ainda hoje, não se sabe o que aconteceu ao companheiro de Gago Coutinho e tio-avô de Paulo Portas, a quem o Expresso pediu um sms.

Os muros do mundo

Novembro relembrou-nos os muros que caem, mas também os que permanecem e os que se expandem. Berlim aproximou-se de si própria há 25 anos, mas há muros que continuam a desaproximar. Esta é a história de sete deles - diferentes, imprevisíveis, estranhos.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Terror religioso está a aumentar

Relatório sobre a Liberdade Religiosa é divulgado esta terça-feira em todo o mundo. Dos 196 países analisados, só em 80 não há indícios de perseguições motivadas pela fé.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.


Comentários 80 Comentar
ordenar por:
mais votados
Ainda temos muito
que descer, para ficarmos realmente competitivos!
esta tal de Joana
Este Tal de Leixoes!!!
Principalmente os "boys" laranjas.
Nada Disso!!!
não foram 2,5 M
Competir p'ra quê e com quem???
O povo traído pelo poder ate ao mais alto nivel
Ora bem. Se eu tiver um deficit em minha casa e o
dinheiro não me der para as despesas e resolver assaltar o meu vizinho, passarei a resolver o meu problema, só que o meu vizinho ficará muito mais pobre ou até na miséria. Foi isso que este governo fez. Assaltou os trabalhadores e os reformados indo até para além da Troika para ficar com alguns milhões de reserva para depois da saída da Troika tentar formatar o pensamento dos incautos dizendo que foi este governo que libertou o País da Troika para em véspera de eleições com esses milhões roubados aos pensionistas a mais aumentar o salário mínimo em 2014 e lá para 2015 baixar o IRS e talvez o IVA da restauração. Tudo isto para conseguirem manter esse sistema ultra liberal corrupto por falta de legislação que incrimine quem faça negócios lesivos contra o Estado, empobrecendo o País e os cidadãos, fragilizando a Democracia com a perda dos direitos mais elementares, enquanto os promotores desta politica têm garantidos lugares altamente rentáveis em grandes empresas ou em estâncias internacionais, enquanto a promiscuidade entre os grandes escritórios de advogados e os deputados da maioria continuam impunemente por falta de legislação que o proíba. O povo português está a ser transformado em orfãos do seu próprio País com estes políticos sem escrúpulos nem vergonha que ficarão na historia juntamente com Cavaco Silva como um dos períodos mais negros vividos nesta Nação....

Ora Bem!!! Estamos Fartos de Ler Isso!!!
Ja não me estou para me chatear muito
Ai Então Somos 2!!!
Oh Joana tens mesmo dificuldade em intrepertar uma
Oh! "Passaroca"...
E que o passos recoperou à primeira oportunidade!
Óbviamente que sim !
Só falta correr com os outros trafulhas.
E que dizer...
Pois tem razão em muito do que diz, mas....
«Lies, damn lies and statistics»
Como dizia Disraeli.

Antes de mais, a «paridade de poder de compra» (e os dólares PPP e preço do big mac) é um exercício que faz sentido para incorporar distorções cambiais. Ora a maior parte dos países mencionados no estudo tem A MESMA MOEDA. Quando a moeda é a mesma, NÃO FAZ QUALQUER SENTIDO CALCULAR a PPP.

Para além disso, não percebo como é calculado o «salário mínimo médio»: é a média dos salários mínimos dos vários países? Ou é a média PONDERADA dos salários mínimos na europa? É o «salário mínimo médio entre Portugal e a França NÃO É «600+1400)/2=1000; é que a França tem muito mais trabalhadores do que Portugal. Isso foi tido em conta?

No fundo da tabela, a rondar os 200/300€, estão Estónia, Lituânia, Letónia, Eslováquia (3/4M hab cada), Bulgária (7M de velhos e crianças), Roménia (20M?), rep. checa e Hungría (10M), enquanto que França, Itália (fora do estudo porquê?) e UK andam nos 1200/1400. Ora os pequeninos do leste todos juntos têm menos trabalhadores do que a França. Não percebo como é que a média pode dar 800 euro.
Calculo do salário mínimo
E acha isso bem?
Mas
Mas,acho que está...
O estudo sugere uma «média» que não é real
Em compensação
Nada de estranhar !

O Farsola prometeu o empobrecimento, ou estão esquecidos !?

Bem sei que o fez uma vez eleito, mas conviria não esquecer !
COMPAREM COM ISTO!!!
europa.eu/rapid/press-release_MEMO-13-816_fr.htm
Basicamente...
Letónia, Hungria e Croácia, quase ultrapassar-nos.
Será que os portugueses vão continuar a votar sempre nos mesmos, ou a dar cheques (votos) em branco!??

Será possível!??
Sim, é possível
Essa é a conclusão mais estúpida até hoje...
Não percebeste...
Não concordo. E muito menos agora...
Comparação insuficiente.
Esta comparação feita pelo Expresso que evidencia um ligeiro decréscimo entre 2009 e 2014 da posição do valor do SMN pago em Portugal comparativamente aos restantes países da União Europeia peca por não estabelecer uma relação entre estes salários e o PIB per capita dos países em análise, uma vez que não se pode dissociar os pagamentos de salários da produtividade. Se tal relação fosse estabelecida estou em crer que Portugal não ficaria abaixo da média europeia na relação entre o SMN e o PIB per capita.
É fundamentar aumentar a produtividade do país para se poder pagar melhores salários, incluindo o SMN em vez de esperar que sejam os aumentos do SMN a impulsionar aumentos de produtividade do país.
Mais valia pagarmos de uma vez os disparates.
Saíamos do euro, pagávamos o preço disso; desvalorização da moeda e dos depósitos bancários, voltávamos às nossas origens (de onde nunca devíamos ter saído) e éramos mais felizes. Quem não pode ter uma fábrica...tem uma chafarica. Pertencer a um clube de ricos, sendo pobre, tem um preço muito elevado.
Os países ricos da Europa e os agiotas é que ganham com a nossa desgraça, com a arrogância e incompetência dos nossos políticos.
Mais uma onda que não vimos chegar...
Salário mínimo nacional
Acabei de manifestar a minha estranheza ( no espaço de outra noticia ) pelo facto de terem decorrido cerca de 60 minutos entre a " disponibilização " desta notícia e o seu "aparecimento" na primeira página !
Mas,comentemos a notícia !
1.A posição portuguesa ,entre 2009 e 2014,regrediu 3,1% face ao salário médio da UE,colocando-nos agora atrás de paises como a a Eslovénia e a Polónia .
2.O salário mínimo mais baixo pertence á Roménia,que aumentou 7% no mesmo período de tempo e que é inferior ao português em 38,2% enquanto o salário mínimo mais alto pertence ao Luxemburgo.que regrediu 4,3% mas que representa mais 111,3% do salário minimo nacional.
3.Á excepção da Croácia e da República Checa ,todos os países com salário mínmo nacional inferior ao português,tiveram crescimento entre 2009 e 2014.

Eis a demonstração do "milagre económico" desta maioria PSD/CDS !
Milagre económico
Ironia !
Milagre econômico?
Mas afinal...
Como não ?
Ora ainda bem...
Polónia
A Polónia tem um s.m. superior ao nosso. VERGONHA.
Quando olhamos para o Grafico.
E vemos alguns Países que estão a nossa frente,isto,40 anos depois do 25 de Abril,os Politicos que todos os dias aparecem nas Tvs a vender banha da cobra se tivessem vergonha e alguma honra nem abriam a boca.
E os que já por lá passaram faziam o favor de desaparecer.
A mediocridade não é só dos políticos...
Bem visto e melhor dito
Não são todos Mediocres,essa é a historia que
Tudo primo
Reino Unido nao tem salário mínimo!!!
Reino Unido nao tem salário mínimo!
E salario minimo da Polonia e inferior!
Claro que não...!
Caro FJFM
Existe muita demagogia
Nao duvido
Ja me esquecia!
SNS inglês
Titulos,
esta enganado
£6.31 age 21 and above!
Estou enganado onde!!!???
Dej
Esta notícia, abalroa todo o discurso governamental, quando tenta fazer querer, que a economia nacional está a crescer. Estes jotinhas, que sempre viveram á sombras dos papás e dos avós, nunca lhes faltaram nada na vida. São duas gerações, em que os pais passaram aos filhos, a forma de se governarem. Todos eles, são filhos do antigo estado novo. No estado novo, havia uma linha de governação, manter o povo na ignorância, dificultando-lhe o acesso á educação, que estava reservado a quem tinha dinheiro para formar os filhos. O povo, era subjugado á subsistência, trabalhavam de sol a sol para sobreviveram. Comiam o que o diabo amaçou, para alimentarem os seus filhos. A história, devia ser recordada e contada a estas gerações, pela comunicação social. Porque, o que estamos a viver, não é uma miragem para os mais velhos. È mais uma consciência, que os mais velhos não aceitam para o futuro dos seus filhos. Nos anos 60, vivemos uma emigração de gente analfabeta sem formação, sem trabalho, nem perspectivas de futuro. Neste momento, estamos a exportar gente, altamente qualificada, sem trabalho, nem futuro. São os próprios governantes, sem qualificações, experiência e de formação duvidosa que, incentivam os jovens a emigrarem. Será que estou a sonhar, ou é uma realidade…!???
Políticos impostores
O salário mínimo controla os vencimentos dos funcionários públicos. No privado a grande maioria dos patrões declara o salário mínimo para fugir aos impostos e depois remunera os seus trabalhadores com mais uns trocos. Claro que assim o estado é penalizado porque recebe menos impostos e ao mesmo tempo os trabalhadores vão ter uma reforma mais precária, como consequência menor poder de compra, logo menos impostos para o estado. Agora vem estes bandalhos dos políticos, incompetentes, manhosos e corruptos, atirar areia aos olhos do povo, na tentativa de tirar dividendos eleitoralistas. Se a grande maioria dos cidadãos andasse com os olhos abertos e ouvidos atentos, jamais votariam nestes partidos que tem passado pelo governo. Voto nulo ou branco nas próximas eleições como forma de protesto contra as políticas seguidas por esta corja de políticos do compadrio.
Pois vota mal..!
Voto em branco.
Voto em branco. (cont.)
Pois...!
Nada disso!
mas
Se formos comparar com o que produzimos, 500 euros é um exagero. No 25 abril destruiu-se a industria portuguesa, agora colhemos os frutos da ideologia comunista.
lol
Mas
Então...
Parem de culpar o 25 de Abril
Está a fazer confusão !
Era para o jupiter..
Jupiter lava mais branco.
Então
Comentários 80 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador

PUBLICIDADE

Pub