0
Anterior
Viegas
Seguinte
Sanduíche de Estado...
Página Inicial   >  Blogues  >  Gente  >   Roupa suja

Roupa suja

|

Roupa suja
Esta foi a melhor semana dos últimos anos para falar com gabinetes ministeriais. Dos lados do PSD, só se fala de negócios obscuros de dirigentes centristas alegadamente prejudicados pelo governo. Do lado do CDS, a moeda é equivalente, mas sobre a inépcia política dos ministros do PSD e dos seus assessores. Gente já tinha saudades do clima de fim de ciclo

O mundo não para
Com tanta incerteza, a corrida às privatizações é o que sobra para negócios. Advogados, consultores e afins não têm olhado a meios para conseguir ficar com a conta dos novos donos da TAP. O mais disputado é o brasileiro-colombiano-polaco Efromovich, dono da Avianca, que para desespero de muitos não parece gostar de grandes escritórios e prefere negócios à moda antiga.

O sr. conselheiro
No convite para uma sessão a decorrer este sábado, a Câmara de Soure arranjou uma maneira original que apelidar António José Seguro: "sr. conselheiro de Estado".

Minoritários uni-vos
Apesar da crise, Paulo Portas não resistiu em sair de Portugal por umas horas. E lá foi ele direto a Berlim, para participar numa conferência internacional sobre os valores da Europa, a convite do seu homólogo alemão, Guido Westerwelle. Homólogo em vários sentidos: é MNE e também lidera um partido pequeno que faz a vida negra à chefe do Governo alemão. Portas deve ter vindo cheio de ideias para perturbar o PSD por uns meses.

Modelar ou remodelar?
A velocidade a que o Governo inova na linguagem política é estonteante. Depois de 'ajustar', eis que 'modelar' é usado por tudo e por nada. Tudo indica que o próximo verbo seja mais familiar aos leitores: 'remodelar'.

Nova banda sonora
Na última campanha eleitoral, Paulo Portas surpreendeu com a escolha de uma música pouco óbvia para os comícios do CDS: em vez do hino do partido, cantado por Dina, ou de uma música épica, no estilo do "Gladiador" de Sócrates, Portas escolheu um tema instrumental dos The XX, uma banda britânica de grande sucesso nos circuitos alternativos. Mais de um ano depois, Portas já não é candidato, é ministro e está coligado com o PSD, e os The XX já não são tão alternativos e têm disco novo. Mas, mais uma vez, são a música certa para o momento que o líder do CDS atravessa. O disco chama-se "Coexist", e um dos temas principais chama-se 'Chained'. Gente não encontraria melhor banda sonora para um líder que tem de coexistir com o parceiro de coligação ao qual está amarrado.

Gente revela poema inédito de Portas


O PSD já despachou o CDS?
No primeiro debate do novo ano parlamentar, Paulo Mota Pinto foi um dos protagonistas pela bancada do PSD. E, num momento de grande tensão com o parceiro de coligação, disse uma frase que fez sorrir vários deputados na bancada do CDS. "Partidos responsáveis, partidos de Governo, como o PSD e o PS, não podem deixar o país sem governo". Será que o PSD já despachou o CDS para o rol dos partidos irresponsáveis que não são 'de Governo'?

Ler jornais é saber mais
No mesmo debate parlamentar, outro deputado do PSD lançou uma frase de grande efeito. Emídio Guerreiro, vice-presidente do grupo parlamentar laranja, acusou o último Governo do PS de ter deixado o maior endividamento da história de Portugal. Gente recomenda a Emídio Guerreiro que leia um bocadinho mais. E nem precisa de ler livros de história (o que mal não faria). Basta que leia jornais.

Coligação 5
Representantes de cada partido na cimeira da crise. Quantos entram no governo na remodelação?

A palavra-chave é...
Perante a trapalhada em que mergulhou a coligação, um centrista bem informado dizia, um destes dias, que só via uma maneira de o Governo tentar dar a volta: "Isto só tem uma solução: começa por ere e acaba em emodelação." Esclarecidos?

Não preferirão ficar a sós?
Com a coligação a ferver, o líder parlamentar do PCP, Bernardino Soares, não escondeu a surpresa ao deparar-se, terça-feira, com uma cimeira entre os líderes das bancadas do PSD e do CDS. Luís Montenegro e Nuno Magalhães conversavam em pleno corredor da AR. Bernardino não resistiu e ofereceu uma sala do grupo parlamentar do PC, caso quisessem discutir mais à vontade.


Rui Ochôa
EM BUSCA DE MONTI Com o agudizar da crise, meio país político entreteve-se a descobrir quem seria o Mario Monti português, caso Cavaco decidisse fazer um governo de iniciativa presidencial. Na foto, tirada na Fundação Champalimaud, Marcelo parece sondar a disponibilidade de Almeida Santos. Ou não fosse o comentador perito em cenários políticos.

 


Ditosos filhos que tal pátria têm


Comendador Marques de Correia
comendador@expresso.impresa.pt

Indiferente às tempestades políticas, às manifestações milionárias (com um milhão de pessoas) e aos arrufos de governantes, aqui se declina e incensa aqueles a quem a Pátria deve a sua glória. Esta semana, temos uma senhora que depois de injustamente atacada, foi devidamente recompensada.

Maria de Lurdes Reis Rodrigues, que tem hoje 56 anos de vida mas muitos mais de experiência, é uma professora. Licenciou-se em Sociologia, mas omite o que fez até então. Provavelmente, por modéstia, não indica que foi professora primária de profissão e - segundo dizem, mas aqui não ponho as mãos no fogo - anarquista de paixão!

A vida começa, porém, a sorrir-lhe a partir das 28 primaveras, ano da licenciatura e do início das sua atividade como professora e investigadora no ISCTE. Mas seria em 2005 que dois momentos marcariam, indelevelmente, a sua vida. Saía do prelo uma das suas obras magnas, "O Papel Social dos Engenheiros", parte de um livro organizado por Manuel Heitor sobre a engenharia portuguesa, e o engenheiro que mais papel teve em Portugal, José Sócrates, convidava-a para ministra da Educação, depois de ela ter presidido ao Observatório das Ciências. Como membro do Governo, não há palavras para a sua ação. Apenas se sabe, pelas palavras da própria, que houve uma grande festa, e pelas palavras de outros, que essa grande festa custou uma fortuna. Também houve um Magalhães e um outro amigo a quem é acusada de ter dado emprego...

Tendo saído do Governo com toda a dignidade que uma mulher carrega quando 100 mil professores exigem a sua demissão, foi nomeada pelo supracitado engenheiro presidente da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento. Embora a língua de Shakespeare não fosse o seu forte (pelo que recorreu, então, a aulas de inglês), sabia o suficiente para dizer yes. Acoita-se, pois, no vetusto palacete da rua do Sacramento à Lapa, onde leva vida tranquila e recatada, ou, como diz o grande Luís de Camões, está "posta em sossego, de seus anos colhendo doce fruto". Como convém, aliás, a senhora da sua condição.


Opinião


Multimédia

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola, em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Costeletas de borrego com migas de castanhas

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Strogonoff de peixe espada preto

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Caril de banana

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Cantaril com risotto de espargos

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.


Comentários 0 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub