18 de abril de 2014 às 0:59
Página Inicial  ⁄  Multimédia  ⁄  Fotogalerias  ⁄  Rostos indignados em Espanha

Rostos indignados em Espanha

Em Madrid, polícia e manifestantes começaram o protesto do mesmo lado, mas acabaram em confrontos. Javier Bardem foi um rosto conhecido entre as gentes que expressaram descontentamento face à austeridade por toda a Espanha.
Alexandre Costa (www.expresso.pt)

Em Madrid, os protestos começaram pacíficos, mas descambaram em violência. 26 pessoas ficaram feridas, seis dos quais necessitaram de receber assistência hospitalar, 15 foram detidas, entre as quais um bombeiro, segundo refere o "El Pais",


Após mais de uma semana de protestos, as manifestações contra as medidas de austeridade em Espanha ganharam quinta-feira maior amplitude, com os protestos a estenderem-se a 80 cidades, dos mais diversos pontos do país

Madrid e Barcelona foram os pontos de maior tensão. Na capital espanhola, a polícia, que havia começado por expressar a sua solidariedade para com os manifestantes, acabou por intervir após a meia-noite, chegando mesmo a disparar balas de borracha na área circundante da Puerta del Sol para dispersar os manifestantes que lançaram garrafas e outros objetos contra as autoridades.

Cerca de 120 polícias bloquearam o acesso dos manifestantes ao congresso.

Os organizadores referem que cerca de 800 mil pessoas participaram no protesto de Madrid, mas segundo as estimativas do "El Pais", a adesão ter-se-á situado na ordem das 100 mil.



Comentários 28 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
Nós por cá...
Nós por cá não temos cohones para fazermos disto! É pena... mas temos o que merecemos!
Re: Nós por cá... Ver comentário
Re: Nós por cá... Ver comentário
Re: Nós por cá... Ver comentário
Re: Nós por cá... Ver comentário
Re: Nós por cá... Ver comentário
Re: Nós por cá... Ver comentário
Re: Nós por cá... Ver comentário
Re: Nós por cá... Ver comentário
Re: Nós por cá... Ver comentário
Re: Nós por cá... Ver comentário
Re: Nós por cá... Ver comentário
Re: Nós por cá... Ver comentário
Re: Nós por cá... Ver comentário
Re: Nós por cá... Ver comentário
Re: Nós por cá... Ver comentário
....
vale de muito...vão fazer o quê o mesmo que os gregos? os espanhois andam ha 15 anos a viver de especulação agora caiu-lhes em cima e ainda não é nada...o que muito nos queixamos por cá lá vai ser a sério proque tÊem a maior bolha imobiliária da europa e uma instabilidade a nível do emprego que permite estes eventos...isto não ´´e só gastar, estradas gratuitas, salários elevados sem produtividade, uma banca super especuladora...ai está...agora vai-lhes doer
Re: .... Ver comentário
Re: .... Ver comentário
Certo
Quanto mais manifestações, mais os cofres se voltam a encher.
Re: Certo Ver comentário
REVOLUÇAO
NAO HA ALTERNATIVA,ONTEM O INSTRUMENTO DO CAPITAL NAO TEVE PEJO EM DISPARAR CONTRA UMA MULTIDAO PACIFICA,O QUE VEM POR POR TERRA OS ARGUMENTOS DE QUE O CAPITAL ABDICA DOS PRIVILEGIOS PACIFICAMENTE,A ARMA DO POVO FOI O PROTESTO PACIFICO A RESTOSTA A BALA DE BORRACHA,POR ISSO NAO TEMOS ALTERMATIVA NOS OS ASSALTADOS FAZER A REVOLUÇAO
Re: REVOLUÇAO Ver comentário
Re: REVOLUÇAO Ver comentário
Re: REVOLUÇAO Ver comentário
Re: REVOLUÇAO Ver comentário
Re: REVOLUÇAO Ver comentário
La conta Patxi Andion
Estou ouvindo a música do genial Patxi Andión. Diz mais ou menos isto:
Nos passaran la conta e tu
Tendras que pagar i yo
Tendrei que pagar tambien
Habera que pagar!!!

Pois é! Há que pagar! Esta geração, aqui como em Espanha, gastou o que tinha e o que pôde pedir emprestado. E, o que eu acho imoral, transferiu para as gerações futuras a obrigação de honrar os compromissos assumidos. É assim como o pai comprar a crédito um carro de luxo e deixar as prestações para os filhos pagarem. Agora que os credores apertam, em vez de se tentar pagar (com sacrifício!) o que se deve, tenta-se passar a dívida adiante, para o filhos e netos pagarem. Os indignados deviam exigir que quem fez a dívida a pague, mesmo com sacrifício. Mas parece que não querem isso. Parece que querem empurrar a austeridade para a frente, para os netos. Desde que outros paguem, tudo vai bem. O problema é que os credores querem o que se lhes deve, já! Porque o dinheiro foi emprestado pelos bancos, mas pertence a inúmeros aforradores que agora temem pelas suas economias investidas em fundos de investimento (talvez mal geridos!). E bem diz o Patxi: nos passran la conta ...
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub