15
Anterior
Agências de viagens fazem "descontos loucos" a 4 de maio
Seguinte
O novo enoturismo na Herdade do Esporão
Página Inicial   >  Economia  >  Turismo  >   Roquette não quer desistir de Alqueva

Roquette não quer desistir de Alqueva

José Roquette pondera parar o investimento turístico face às dificuldades colocadas pela banca, mas acredita poder chegar a um acordo.

|
Roquette não quer desistir de Alqueva

O empresário José Roquette, promotor de um megaprojeto turístico junto ao Alqueva, no concelho de Reguengos de Monsaraz, pondera desistir do projeto face às dificuldades de financiamento colocadas pelos bancos CGD e BPI.

A obra no Alqueva está parada à espera de €35 milhões para concluír a primeira fase, onde já foram investidos cerca de €55 milhões, metade dos quais de capitais próprios.

"Apesar do Parque Alqueva ter sido classificado pelo Governo como Projeto de Interesse Estratégico Nacional em agosto de 2011, não foi ainda possível concluir o modelo de financiamento com adequada repartição de risco com os bancos financiadores, em", adianta José Roquette, frisando que "não podemos continuar a suportar esses custos, sem um modelo de financiamento aprovado".

Para o empresário, pode haver luz ao fundo do túnel. "Embora esteja muito preocupado, ainda acredito que seja possível chegar a um acordo que permita continuar o projeto com adequada repartição do risco entre todos os intervenientes", salienta José Roquette.

"Se tal não se vier a verificar, será com enorme tristeza e frustração que tomarei a decisão de parar definitivamente o projeto, o que implicará a perda de cerca de 200 empregos diretos e 300 indiretos, e o fim do projeto âncora do destino Alqueva", avança o empresário. 


Opinião


Multimédia

Cheesecake com manjericão e doce de tomate

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 15 Comentar
ordenar por:
mais votados
Empresários têm de lutar sozinhos?
Todos sabemos como é difícil investir em Portugal.

Desde as pedinchices, às cunhas, aos patrocínios, às dificuldades, às reprovações, até às ameaças, tudo dificulta um empresário de fazer aquilo que sabe fazer: investir, criar riqueza.

Depois disso vencido e ter uma Banca amorfa e medricas, é a cereja em cima do bolo do desânimo.
Re: Empresários têm de lutar sozinhos?
Re: Empresários têm de lutar sozinhos?
E o aeroporto de Beja de portas encerradas

Sem uma Banca Forte não há uma economia robusta.

Eu oiço falar em projectos no sul de país, que a concretizarem-se colocavam Portugal com um desemprego quase a zero. e sabe. se que sem o pleno emprego não há economia maravilha.

E são projectos não de Patos Bravos. e muitos deles nem da banca precisam so precisam de o país estar como esteve até 2007.

A politica do actual governo esta errada e não os empresários e trabalhadores portugueses.

A politica do corta, corta só da esmola e sopa de pobre.
Re: E o aeroporto de Beja de portas encerradas
Re: E o aeroporto de Beja de portas encerradas
Re: E o aeroporto de Beja de portas encerradas
Re: E o aeroporto de Beja de portas encerradas
Re: E o aeroporto de Beja de portas encerradas
Re: E o aeroporto de Beja de portas encerradas
Re: E o aeroporto de Beja de portas encerradas
Re: E o aeroporto de Beja de portas encerradas
Re: E o aeroporto de Beja de portas encerradas
Governantes CURTOS DE VISTA e de ambições...
Não estarei cá para ver, mas a barragem do alqueva ainda irá ser recordada como hoje recordamos e aplaudimos todas as que o Salazar (não sou nem nunca defendi este senhor) mandou fazer até as pequenas do plano nacional de rega...
Se não fosse isso, hoje, o nosso país era um país onde os Camelos já tinham sido transferidos do Norte de África para cá... teríamos pelo menos o Alentejo e Algarve iguais ao deserto ali de baixo de Marrocos....
Ainda veremos os reis do petróleo a pagarem a água mais cara que o dito...
Só é pena que as grandes obras neste país sejam partidarizadas e não consideradas um grande bem para todos.
ÁGUA É VIDA meus caros... E QUANTOS MAIS ALQUEVAS TIVERMOS, mais garantidos estaremos e poderemos resistir às secas ciclicas com menos prejuizos...
Não façam como fizeram com a nossa industria, pescas e agricultura quando entramos para e UE... que agora todos gritam que temos que industrializar... pescar... cultivar... etc.
Estou cansado de ver como se destroi um país e depois aparecem os BETINHOS QUE NOS GOVERNAM E OS SEUS ARAUTOS a pensar que descobriram a polvora e a congratularem-se com as novas indústrias... novos agricultores... novos pescadores.... etc...
SOMOS MUITO MESQUINHOS... SOMOS DE VISTAS CURITSSIMAS.... só vemos o dia de hoje...
È triste... e sei do que falo... já lá vão muitas dezenas de anos neste mundo macaco... e não fiquei só por cá... corri e vi outras "paisagens...", vi outros mundos com outras ambições...
Passem bem.
Re: Governantes CURTOS DE VISTA e de ambições...
Comentários 15 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Últimas


Pub