Anterior
Comboios urbanos do Porto param este domingo
Seguinte
Número de desempregados por despedimento coletivo dispara em 2012
Página Inicial   >  Economia  >  Rompuy quer foco na mudança da idade de reforma na UE

Rompuy quer foco na mudança da idade de reforma na UE

Presidente do Conselho Europeu diz que a reforma dos sistemas de aposentação estará em cima da mesa na próxima cimeira dos 27, que arranca na quinta-feira.
Lusa |
Rompuy quer foco na mudança da idade de reforma  na UE

O presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, quer que os Estados-membros olhem para a mudança da idade de reforma, tendo em conta uma maior esperança média de vida, escreve hoje o jornal alemão "Welt am Sonntag".

"Nós podemos dar recomendações para a União Europeia como um todo, [dizer], por exemplo, que existe uma relação entre a idade de aposentação e a esperança de vida, disse Herman Van Rompuy ao jornal.

"Podemos comprometer todos os 27 Estados-membros a reformar os seus sistemas de aposentação dentro de um prazo específico e de forma a atender um objetivo fixo", sustentou, ao defender que era importante que não se fizessem apenas recomendações deixando, de seguida, cada país agir como entende, pois há limites que devem ser traçados.

"É um dos assuntos que temos de discutir nos próximos meses", realçou, ao afirmar que este será um dos tópicos em cima da mesa na cimeira europeia de dois dias que começa na quinta-feira em Bruxelas e vai reunir os chefes de Estado e de Governos da Europa a 27.

A crise na Zona Euro estará no topo da agenda do encontro entre os líderes da UE. 

 


Opinião


Multimédia

Retrato político de um país livre

Traçámos um mapa partindo dos resultados das eleições para a Assembleia Constituinte de 1975 e dos resultados das últimas eleições legislativas em 2011. O que mudou ao longo desse tempo? Como é que cada concelho votou em 1975 e em 2011? E como evoluiu a abstenção? Clicando sobre o ano e depois sobre os concelhos, no mapa ou no filtro, surgem as respostas.

Quase ninguém ficou em casa

Foi num 25 de Abril como o deste sábado, mas há 40 anos e numa liberdade então recentemente tomada: a 25 de Abril de 1975, Portugal testemunhou as primeiras eleições livres e universais após quase meio século de ditadura. Estas são as histórias, os retratos, os apelos e as memórias de um tempo que mudou o rosto do país.

Edwin. O rapaz que aprendeu a sonhar

O que Edwin sabia sobre a vida era sobreviver. Na cabeça dele não cabiam sonhos e os dias eram passados à procura de comida para ele e para a mãe e para o irmão. A fome espreitava nos cantos da barraca de palha no Quénia e ele escondia-se dela como podia - chupar as pedras era uma forma de a enganar. Mas a sorte dele mudou porque alguém viu nele outra coisa. E tudo começou numa dança. Agora, os mesmos dedos que agarravam as pedras tocam hoje teclas de um piano Bechstein. E os pés dele já não estão nus mas calçados. Com chuteiras. Primeiro no Benfica, agora no Estoril, o miúdo de 15 anos que fala como gente grande descobriu que tinha um sonho: ser futebolista. Como Drogba.

26 mil esferográficas, 14 mil urnas e 760 quilos de lacre. Os números de uma eleição histórica

Mais de mil caixas de lacre foram usadas pelas secções de voto que por todo o país, no dia 25 de abril de 1975, recolheram os boletins de milhões de eleitores. O Expresso percorreu os quatro mapas de despesas das eleições para a Assembleia Constituinte, elaborados pelo STAP, para saber quanto dinheiro esteve envolvido, onde e como foi gasto. Cada valor em escudos foi convertido para euros a preços correntes, tendo em conta a inflação. 

Todas as ilhas têm a sua nuvem

Raul Brandão chamou-lhe 'A Ilha Branca'. Como viajante digo que tem um verde diferente das outras oito que com ela formam o arquipélago dos Açores. É tenra, mansa, repousante e simultaneamente desafiante. Esconde segredos como a lenda da Maria Encantada e um vulcão florestado a meio do século passado que nos transporta para uma dimensão sulfurosa e mágica. Obrigatória para projetos de férias de natureza.

Em três quartos de hora não se esquece só a idade. "Esquece-se o mundo"

Maria do Céu dá três voltas ao lar sempre que pode. Edviges vai a todos os velórios, faz hidroginástica e sopas de letras. António dá um apoio na Igreja e nos escuteiros. Tudo é uma ajuda para passar os dias quando se tornam todos iguais. No Pinhal Interior Sul, a região mais envelhecida da União Europeia, quase um terço da população tem mais de 65 anos. Os mais velhos ficaram, os mais novos partiram.

Profissão: Sniper

O Expresso foi ver como são selecionados, que armas usam, para que missões estão preparados os snipers da Força de Operações Especiais do Exército. São uma elite dentro da elite. Um pelotão restrito. Anónimo. Treinam diariamente com um único objetivo: eliminar um alvo à primeira, mesmo que esteja a centenas de metros. Humano ou material. Sem dramas morais, dizem.

Xarém com conquilhas

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione com esta nova receita.

O que se passa dentro da cabeça dele

O que leva um tipo a quem iam amputando uma perna a regressar ao sítio onde os ossos se desfizeram, uma e outra vez, e testar os limites do seu corpo? Resposta: a busca pelo salto perfeito, que ele diz existir dentro dele e que ele encontrará mais dia menos dia. É a fé e a confiança que o movem e o levam a pular para lá do que é exigido a um campeão olímpico e mundial que não tem mais nada a provar a ninguém - a não ser a ele próprio. Este é um trabalho que publicámos em agosto de 2014, quando o saltador se preparava para os Europeus e falava das metas que tinha traçado para 2015 e 2016: mostrar que não estava acabado. Sete meses depois, provou-o no Europeu de pista coberta em Praga, onde venceu este fim de semana.

Amadeu, que aprendeu o mundo no campo e tinha o coração na ponta dos dedos

Em Portugal, a dedicação à língua mirandesa tem nome próprio: Amadeu Ferreira, o jurista da CMVM que - quando todos diziam que "era uma loucura impossível" - arranjou tempo para traduzir "Os Lusíadas", a "Mensagem", os quatro Evangelhos da Bíblia e ainda duas aventuras do Asterix para uma língua que pertence a um cantinho do nordeste português e é falada por menos de 15 mil pessoas. No final de 2014 deu ao Expresso aquela que viria a ser a sua última entrevista. Morreu no passado domingo e esta quinta-feira foi lançada a sua biografia, "O fio das lembranças", com quase 800 páginas.

Temos 16 imagens que não explicam o mundo, mas que ajudam a compreendê-lo

O júri do World Press Photo queria dar o prémio maior da edição deste ano (e talvez das edição todas) a uma fotografia com "potencial para se tornar icónica". A primeira imagem desta fotogaleria, por ser "esteticamente poderosa" e "revelar humanidade", é o que o júri procurava. A fotografia de um casal homossexual russo, a grande vencedora, é a primeira de 16 imagens de uma seleção onde há Messi desolado, migrantes em condições indignas no Mediterrâneo, a aflição do ébola, mistérios afins e etc - são os contrastes do mundo.

Elvis. Gostamos ou não gostamos?

Ele não é consensual, mas é incontornável. Dispunha de penteado majestoso e patilha marota, aparentava olhar matador e pose atrevida. E deixou canções: umas fáceis e outras nem tanto, por vezes previsíveis e às vezes inesperadas, ora gentis ora aceleradas. E ele, Elvis, nasceu em janeiro de 1934 - há precisamente 40 anos, ao oitavo dia. Temos quatro textos sobre o artista: Nicolau Santos, Rui Gustavo, Nicolau Pais e João Cândido da Silva explicam o que apreciam, o que toleram e o que não suportam.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Desfile de vedetas

Saiba tudo sobre os modelos concorrentes ao Carro do Ano 2015/Troféu Essilor Volante de Cristal. Conheça o essencial sobre os 20 automóveis participantes nesta iniciativa, da estética, às características técnicas, do preço ao consumo. A apresentação ficará completa no dia 3 de janeiro.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.


Comentários 63 Comentar
ordenar por:
mais votados
E porque não o senhor Van Rompuy dizer assim:
Nós podemos dar recomendações para a União Europeia como um todo, por exemplo, éstabelecer que os salários e as reformas sejam do mesmo nivel em todos os países.
Podemos comprometer todos os 27 Estados-membros dentro de um prazo específico e de forma a atender um objetivo fixo, que era importante que não se fizessem apenas recomendações deixando, de seguida, cada país agir como entende....

É um dos assuntos que temos de discutir nos próximos meses, que este será um dos tópicos em cima da mesa na cimeira europeia de dois dias que começa na quinta-feira em Bruxelas e vai reunir os chefes de Estado e de Governos da Europa a 27.
Re: E porque não o senhor Van Rompuy dizer assim:
Re: E porque não o senhor Van Rompuy dizer assim:
Re: E porque não o senhor Van Rompuy dizer assim:
Re: E porque não o senhor Van Rompuy dizer assim:
Re: E porque não o senhor Van Rompuy dizer assim:
Ó rompui os Portugueses c/ os esforço d vos aturar
Ò Van vai-te , pode ser para onde quizeres SAIdaki
Re: E porque não o senhor Van Rompuy dizer assim:
Ó Portugueses v falar em longevidade e estética
1 tipo q pertence à Bélgica do tacho
Presidente
Presidente não eleito de uma organização internacional sem base democrática, que desconhece a igualdade de tratamento entre os seus Estados-membros, que promove os interesses dos Bancos, grupos de investidores, industriais, etc. consoante a sua dimensão e localização, que se baseia na concorrência entre Estados, com políticas condicionadas por uma infinidade de variáveis, e que agora tem um arroubo de "normalização" da idade da reforma, em função da esperança "MÉDIA" de vida, quando as próprias estatísticas do Eurostat (2009-2010, eurostat.ec.europa.eu/tgm/table.do?tab=table&plugin=1&language=en&pcode=tps00025) indicam que, se a média europeia é de 76,7 anos para os homens, existem variações que vão de 67,5 (Lituânia) até 79,4 (Suécia), e no caso das mulheres é de 82,6, com variações entre 77,4 (Bulgária) e 85 (França), sem contar com outra estatística MUITO IMPORTANTE que é a da "esperança de vida de boa saúde" que dá números completamente diferentes, pois em 2010 ela era de apenas 52,1 anos para os homens na Eslováquia, comparada com os 70,5 na Suécia, e para as mulheres, de 52,3 na Eslováquia e de 70,6 em Malta!!! (ec.europa.eu/health/indicators/healthy_life_years/hly_en.htm#fragment2).

Em Portugal a esperança de vida para os homens é de 76,5, e para as mulheres de 82,6; e a esperança de vida de boa saúde é respectivamente de 58,0 para os homens e 55,9 para as mulheres, o que significa que é ABSURDO QUERER UNIFORMIZAR AS IDADES DA REFORMA COM BASE NUMA MÉDIA EUROPEIA!!!
ALIÁS...
Re: ALIÁS...
Re: Presidente
Fugir à questão
Tenho para mim que esta gente são pessoas da conjuntura e nunca pensam além disso. Querem adiar a idade da reforma, baseados nas contas das pensões.

Esquecem que vão criar mais um empecilho à criação de emprego, para os jovens.
  Os velhos vão reformar-se mais tarde e ficam a fazer o quê nas empresas ?? Há montes de profissões que só +podem ser exercidas por gente como mobilidade e agilidade físicas, não há pedreiros de 70 anos, o carpinteiro só pode com barrotes pequenos, o electricista pode cair do escadote.

O que há que pensar é em diminuição do horário de trabalho,em part-time, conjugado com outras actividades privadas produtivas, tipo tratar da horta ou do quintal, tirando algum rendimento alimenta.

Deveria haver algum político com dimensão que declarasse o que toda a gente sabe : Não há trabalho para todos, não há que fazer, está tudo feito, com desemprego da ordem dos 20%.
  Não podemos evaporar essa gente, é preciso combater o stress da inutilidade, que arrasa qualquer um. Mas também não se podem pôr a transportar caixas de Lisboa para o Porto, para as trazer de volta no dia seguinte.

Desapareceram os políticos, substituídos por empregados bancários, que só vêem o dia de amanhã....

Com esta gente estamos tramados...........
Re: Fugir à questão
Re: Fugir à questão
Re: Fugir à questão
Re: Fugir à questão
Re: Fugir à questão
a decadência do império europeu
Esta gente continua a prosseguir a sua agenda sinistra sem que tenham mandato para tal. Julgam-se os detentores da verdade e do conhecimento e entendem que não precisam de dar satisfações a ninguém. Porém, todos sabemos que servem os interesses obscuros daqueles que continuam a manobrar na sombra. Quer queiramos quer não, chegou o ponto em que é preciso pôr um travão nas suas ambições desmedidas.
Re: a decadência do império europeu
O que se verifica
É que UE não tem os mesmos direitos e obrigações para todos os estados membros, e enquanto isso não acontecer isto não passa de uma fantochada tipo soares.
Re: O que se verifica
Re: O que se verifica
Este Sr.ganha 100mil euros por mês!
E o Barroso a mesma coisa.Afinal estão lá os dois a fazer o quê?Parece que a mesma coisa.
Morrer a trabalhar
A nova moda defendida por estes neo-liberais não para eles , mas sim para os outros.

"Perdoa-lhes pai , que eles não sabem o que fazem".

Estes neo-liberais estão loucos , cada vez que tentam fazer alguma coisa para endireitar o barco , mais o lançam para o fundo mais rapidamente.
Re: Morrer a trabalhar
Re: Morrer a trabalhar
Re: Morrer a trabalhar
eureka
Com a crescente dificuldade de acesso aos sistemas de saúde, resolvemos toda esta trapalhada da idade da reforma. Em Portugal não aumentamos a idade da reforma, diminuímos a esperança média de vida.
Re: eureka
Re: eureka
Este Rompeido é NADA ! Quem o ELEGEU afinal ?
Este magricela, devia era calar-se, pois não representa nada de DEMOCRÁTICO !
De RESTO ninguém sabe quem ele é ou quem o elegeu !
Só sei que não fui EUUUU !
Re: Este Rompeido é NADA ! Quem o ELEGEU afinal ?
Lá está mais um...
Esta malta é toda doida...
O ideal é reformar aos 70 anos, pois a esperança média de vida aumentou bastante, e receber 50% ou 25% da reforma... Estou a ver que daqui a 40 anos (ou talvez bem menos), tendo em conta o estado das coisas, vou ter de processar o estado português por me ter lesado nos descontos, fazendo com que aquilo que eu descontei, não seja aquilo que eu receba na reforma...
Ha o mesmo probléma en toda a Europa
Ha o mesmo problema en toda a Europa. é normal que este senhor se inquiete..ha que saber que a França, onde a esperança de vida é superior à de Portugal, baixou a idade da reforma para uma parte de populaçao para os 60 anos, o oposto do que fazem os outros paises. Vive-se mais, é normal que se trabalhe mais! Nao percebo onde esta o problema....ou o povinho como o costume nao quer trabalhar et so quer praia e sol??
Re: Ha o mesmo probléma en toda a Europa
Re: Ha o mesmo probléma en toda a Europa
Re: Ha o mesmo probléma en toda a Europa
Re: Ha o mesmo probléma en toda a Europa
Este génio que de democrata pouco deve ter .....
Saberá esta figura de gente o que é trabalhar ... sim trabalhar, porque ele muito possivelmente nunca conheceu o que a palavra contêm de mais amargo ...!
Re: Rompuy quer foco na mudança da idade de reform
Tenho para mim e esta é mais uma pista no sentido da constituição de uma federação europeia. Só nesse caso este tipo de universalização seria possível. Aumentar idade da reforma e valor de reformas por si só não resolve a questão de fundo, a qual passa por voltar a relocalizar as indústrias na Europa (principalmente as deslocadas para a China a troco de mão-de-obra escrava), apostar no sector agrícola e promover o desenvolvimento sustentável, entre outros. Só assim se pode criar verdadeira riqueza e emprego para as gerações futuras e actuais, potenciando a sustentabilidade do "Estado Social" (seja ele numa federação europeia ou não).
REFORMAS É AS POLITICAS, OS POLITICOS EM MAIS 80%
Os politicos, o parlamento europeu e nacionais, os politicos, partidos e governos, incluindo a CEE é que deviam reduzir em biliões de euros os seus custos, incluindo com a abolição de todas as benesses e mordomias, diversas reformas e e acumulações de pensões ...
DEVIAM FAZER para eles o que fazem aos restantes portugueses, era reformarem-se só com uma unica reforma e somente aos 65 anos, ou então com mais de 600 meses de descontos, ou sejam, mais de 42 anos de descontos efectivos ...
Deviam pugar para fazerem a eles como fazem aos privados e função publica, que trabalharam no privado e publico ou em Portugal e no estrangeiros e juntão/UNIFICAM os diversos descontos numa só e única pensão ...
Deviam era de reduzir. também, as estruturas politicas do país e da CEE em mais de 80% desde deputados, juntas freguesias, assembleias de freguesia e municicpal, incluindo dos açores e madeira, passando as suas competências para as Câmaras Municipais (a verdadeira regionalização e poder local), incluindo acabar com institutos, fundações, empresas publicas e municipais etc. (privatizando-as), incluindo rádios e a vergonhosa RTP etc. etc.
Pois para sustentar tuda essa gentinha impõe mais sangue, suor e lágrimas do povo, incluindo através de mais impostos e dos vergonhosos e imorais REDUÇÕES DE SALÁRIOS, PENSÕES, SUBSIDIOS DE FÉRIAS E DE NATAL DE QUEM TRABALHOU E DESCONTOU UMA VIDA ...
TENHAM UM PINGO DE DIGNIDADE, ÉTICA, INCLUINDO MORAL CRISTÃ ( 10 MANDAMENTOS DA LEI DE DEUS ...).
Dilema
Sou a favor do aumento da idade da reforma se o país tiver actividade económica para dar trabalho aos mais novos e aos mais idosos.
Haveria menos encargos sociais, mais produtividade e, consequentemente, melhor nível de vida.
No entanto, como é a situação actual, em que o país não tem condições para dar trabalho a tanta gente, aumentar a idade da reforma seria um disparate. O contrário seria mais razoável. Reduzir a idade da reforma para dar lugar aos mais novos e estes teriam de contribuir, porventura mais, para os novos (velhos) reformados.
É que um grave problema que se poderá verificar com os jovens é a "calcificação da coluna" que depois não a deixam dobrar...
Comentários 63 Comentar

Últimas

Receba a nova Newsletter
Ver Exemplo

Pub