Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Pais pagam 56% dos gastos dos estudantes do ensino superior em Portugal

Foto Nfactos

Os estudantes nacionais pagam apenas 44% dos custos que têm com a frequência das universidades e politécnicos, segundo dados publicados recentemente no estudo Eurostudent, que avalia as condições sócio-económicas da vida dos estudantes na Europa

Em Portugal não há “mini-jobs”, empregos part-time e bem pagos que permitam aos estudantes ter independência financeira e tempo livre para estudar, como acontece na Holanda ou Alemanha; existem pouquíssimas bolsas que cubram todos os custos mensais e a universidade não é gratuita. Eis alguns dos motivos para que, no nosso país, os pais sejam responsáveis por pagar 56% dos gastos dos estudantes do ensino superior. Ao nível europeu, só na Sérvia, Irlanda e Geórgia é que os pais contribuem mais (64%), conta o “Público” esta quarta-feira.

Portugal é um dos países da Europa em que os alunos mais dependem das famílias para tirar um curso superior e daqueles em que os jovens ficam até mais tarde em casa dos pais. Os estudantes nacionais pagam apenas 44% dos custos que têm com a frequência das universidades e politécnicos, segundo dados publicados recentemente no estudo Eurostudent, que avalia as condições sócio-económicas da vida dos estudantes na Europa.

De acordo com o Eurostudent, 49% dos alunos do ensino superior portugueses vivem com os pais durante a sua licenciatura ou mestrado, sendo que este número é bem superior à média internacional que é de 36%.

Este dado tem um efeito direto nas despesas da família: os estudantes que vivem com a família são aqueles que têm uma menor contribuição para os custos com a educação: pagam 26% dos custos. Os estudantes que vivem sozinhos, por sua vez, contribuem com 60% das despesas.