Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Montepio injectou mais 30 milhões na Lusitânia Seguros

Tomás Correia tem sofrido alguns reveses nos últimos tempos e ao ‘castigar’ Fernando Ribeiro Mendes dá um sinal de que não quer vozes discordantes na administração da Associação

Desde 2012, a Lusitânia Seguros acumulou prejuízos de 148 milhões de euros

A Associação Mutualista Montepio Geral, chefiada por António Tomás Correia, aplicou, através da Holding Montepio Seguros, 30 milhões de euros na Lusitânia Seguros em 2017, avança o “Público” esta segunda-feira.

Esta operação foi imposta pelo supervisor dos seguros, a Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões (ASF), e possibilitou repor os capitais da Lusitânia nos patamares mínimos para continuar a operar.

Segundo o matutino, este reforço de capital surgiu em simultâneo com a revisão dos resultados de 2016 da Lusitânia, com os prejuízos a passarem de 8,4 milhões de euros para 34,625 milhões de euros, aliviando desta forma as contas de 2017, cujas perdas se ficaram por 16,3 milhões de euros.

Desde 2012, a Lusitânia Seguros acumulou prejuízos de 148 milhões de euros; neste valor, já estão incluídos os prejuízos do ano passado.

De acordo com o relatório de 2017, com as contas auditadas pela KPMG, a Lusitânia Seguros reconhece que desde abril de 2017 conhecia uma situação de insuficiência de capitais.