Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Marcelo: irmãos Sobral são “embaixadores mais qualificados do que a generalidade da nossa diplomacia”. Diplomatas não gostaram

MARISCAL/EPA

Associação Sindical dos Diplomatas Portugueses (ASDP) enviou um protesto ao Palácio de Belém, devido aos comentários do Presidente sobre os irmãos Sobral

No estilo que lhe é habitual, a 23 de abril, Marcelo Rebelo de Sousa espraiou-se em elogios aos irmãos Sobral, vencedores do Festival da Eurovisão, durante a cerimónia de condecoração com o grau de comendadores da Ordem de Mérito, chegando mesmo a afirmar que estes são “embaixadores mais qualificados e mais eficientes do que a generalidade da nossa diplomacia”.

Se na praça pública as palavras do Presidente da República caíram bem, houve também muitos diplomatas que ficaram ofendidos com as mesmas, sabe-se agora. Passados quatro dias, a 27 de abril, a Associação Sindical dos Diplomatas Portugueses (ASDP) enviou um protesto ao Palácio de Belém, revela o “Público” esta sexta-feira.

“Não posso deixar de lamentar as declarações proferidas por Vossa Excelência a propósito da ‘generalidade da nossa diplomacia’ que […] colocam em causa a competência e profissionalismo de toda uma carreira especial do Estado, denegrindo a sua imagem e, como tal, a própria credibilidade das instituições públicas”, escreveu o embaixador João Ramos Pinto, presidente do conselho directivo da ASDP na carta enviada ao Presidente da República a 27 de abril.

De acordo com o matutino, dos 463 diplomatas portugueses, 350 estão inscritos na ASDP, o único sindicato da carreira.

Durante a cerimónia na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, o Presidente elogiou o “êxito singular” da canção Amar Pelos Dois, que em 2017 ganhou o Festival da Eurovisão, e comparou os dois irmãos Sobral aos diplomatas profissionais. “Na prática, são embaixadores de Portugal. Por mérito próprio. Por mérito do seu talento e da sua aplicação”, disse Marcelo.

Nas horas seguintes, diplomatas de diferentes gerações indignados com aquele comentário, perguntaram à ASDP se iria reagir - algo que acabou por acontecer.

Contactado pelo “Público” a propósito desta situação, Marcelo Rebelo de Sousa enviou, através do seu assessor de imprensa, um comentário escrito, no qual sublinha a “excelência” da diplomacia portuguesa, mas passa por cima da frase que esteve na origem do protesto da ASDP.

“Não está, nem nunca esteve em causa, como tenho referido sempre, a excelência da nossa diplomacia. Mas a própria realização, neste momento, do Festival Eurovisão da Canção em Lisboa fala por si quanto à projeção alcançada por quem, pela sua qualificação e eficácia, projeta a imagem de Portugal no mundo. Direi mesmo mais: não me sinto nada complexado pelo facto de haver personalidades da Cultura e do Desporto que em muito ultrapassam a projeção internacional do atual Presidente da República Portuguesa”, defendeu o Presidente.

Palácio de Belém, mais tarde, informou que o chefe da Casa Civil, Fernando Frutuoso de Melo, já tinha respondido por escrito ao protesto do embaixador Ramos Pinto, escreve o matutino.