Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Banco de Portugal acusa KPMG de falhas no BES

PAULO CUNHA / LUSA

Na base da acusação estão irregularidades entre 2011 e 2014, nomeadamente omissão de perdas na carteira de crédito do BES Angola. A KPMG diz só ter tido conhecimento das imparidades depois de o Estado angolano ter dado uma garantia pública, legitimada pelo BdP, que protegeu o BES

Passados quase quatro anos da queda do grupo Espírito Santo, o Banco de Portugal (BdP) avançou com um processo contra-ordenacional à auditora KPMG, devido a irregularidades detectadas na inspecção das contas do Banco Espírito Santos e BES Angola, entre 2011 e 2014, revela o “Público” esta terça-feira.

Segundo o matutino, o BdP acusou, em março, a KPMG Portugal de não ter cumprido, em 2011 e 2012, com as normas de auditoria e de ter omitido, e em 2013 e 2014, as perdas identificadas na carteira de crédito do BESA, por sua vez, auditado pela KPMG Angola.

Porém, para a consultora este processo não faz sentido. Estão em causa duas empresas distintas, diz. Mais: havia informação pública a que o BdP podia aceder.

De acordo com a KPMG, as imparidades no BES Angola só foram do seu conhecimento depois de o Estado angolano ter dado uma garantia pública, legitimada pelo BdP, que protegeu o BES.

Até ao momento, ainda não houve condenações neste processo.