Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Concurso de aluguer de helicópteros para combate aos incêndios voltou a falhar

NUNO ANDRE FERREIRA

No início de março, o primeiro concurso lançado pelo Estado foi cancelado porque a maioria das empresas apresentou propostas acima do que era o preço base do caderno de encargos

Pela segunda vez no espaço de um mês, o concurso lançado pelo Estado para o aluguer de helicópteros para combate aos incêndios este verão voltou a falhar. De acordo com o “Público” esta quinta-feira, as propostas para os helicópteros ligeiros foram acima do que o Governo está disposto a pagar; o júri do concurso foi intransigente e optou, então, por excluir as propostas de quatro empresas.

Segundo o relatório preliminar do concurso, a que o matutino teve acesso, o júri decidiu pela “exclusão” das propostas das empresas HTA, Helicópteros, Babcock, Helibravo e Heliportugal relativas ao aluguer dos 28 helicópteros que ainda estão em falta.

No início de março, lembremos, o primeiro concurso foi cancelado porque a maioria das empresas apresentou propostas acima do que era o preço base do caderno de encargos; o Ministério da Administração Interna, nesse momento, decidiu lançar um concurso urgente no prazo de quinze dias.

Em fevereiro, o Estado fechou o aluguer de 10 helicópteros ligeiros para todo o ano à empresa Helibravo - decisão que foi entretanto publicada no Portal Base.

Já neste último concurso, foram garantidos 12 aviões. O relatório preliminar indica que foram assegurados os dois aviões de coordenação, adjudicados à empresa Avitrata; dois aviões anfíbios pesados à empresa Babcock e oito aviões anfíbios médios à empresa Agro-Montiar.