Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Ministério Público pediu ajuda ao FBI para investigar Manuel Pinho

Manuel Pinho, ministro da Economia de 2005 a 2009, é um dos nove arguidos na investigação sobre a EDP

luís barra

Objetivo dos procuradores era obter informações sobre o período em que Manuel Pinho deu aulas na Universidade de Columbia

O Ministério Público pediu apoio ao FBI e ao regulador da bolsa norte-americana (SEC) na investigação ao processo das rendas energéticas pagas à EDP, o dito caso dos CMEC, do qual Manuel Pinho, ex-ministro da Economia da José Sócrates, é arguido, avança o “Correio da Manhã” esta sexta-feira.

De acordo com o matutino, o objetivo dos procuradores era obter informações sobre o período em que Manuel Pinho deu aulas na Universidade de Columbia. Desta forma, poderia depois cruzá-las com as doações feitas pela EDP àquela universidade nova-iorquina e os contratos relativos aos Custos de Manutenção do Equilíbrio Contratual (CMEC) negociados entre Manuel Pinho e a empresa.

Esta notícia tem por base um e-mail incluído no processo dos CMEC, a que o “CM” teve acesso. O pedido em causa, datado de maio de 2016, foi feito pela procuradora-adjunta Rita Costa Simões, a pedido do procurador Carlos Casimiro, e endereçado, a princípio, para o SEC.

Depois de realizar vários contactos com o Departamento de Justiça dos EUA, o responsável da SEC encaminhou a procuradora para um investigador do FBI. Cinco dias depois, o investigador do FBI enviou uma lista de documentos da universidade com dados relativos a Pinho, montantes doados por empresas à universidade (em que se inclui a EDP) e salários pagos a docentes.

“A empresa fez importantes doações à Universidade Columbia ao mesmo tempo que o antigo ministro da Economia Manuel Pinho foi convidado para lá lecionar”, lê-se no documento que o matutino consultou.