Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Farmácias vão passar a fazer testes do VIH e da hepatite B e C

João Carlos Santos

Os preços dos testes ainda não são conhecidos – em Espanha variam entre os 25 e os 30 euros

O Governo vai publicar esta segunda-feira, em Diário da República, um despacho, invocando “a defesa do interesse público”, em que passa a autorizar nas farmácias portuguesas a realização de testes rápidos para a deteção de infeção por VIH e hepatites virais (B e C) sem necessidade de prévia prescrição médica, avança o “Público”.

A adesão a este procedimento, de acordo com o matutino, deverá ser voluntária; os preços dos testes ainda não são conhecidos – em Espanha variam entre os 25 e os 30 euros.

Para saber se se está infetado com algum dos vírus, bastará picar o dedo e recolher três gotas de sangue – o resultado estará pronto em 15 minutos.

Trata-se de uma medida de combate ao diagnóstico tardio de VIH/sida, índice em que Portugal apresenta uma das percentagens mais elevadas da União Europeia. Este tipo de testes, lembremos, já está disponível desde há anos nos hospitais e centros de saúde, em centros de aconselhamento de deteção precoce da infecção VIH/sida (CAD).

“O que nos interessa é diversificar as formas de as pessoas acederem aos testes. Esta medida vai permitir identificar de forma mais precoce casos de infecção e acabará por contribuir para reduzir o estigma social”, disse a diretora dos programas nacionais para a infeção VIH/sida e hepatites virais da Direção-Geral da Saúde (DGS), a médica Isabel Aldir, em declarações ao matutino.