Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Eurico Brilhante Dias: “Projetos em carteira podem representar oito mil empregos”

Pedro Nunes/Lusa

Os novos investimento “dificilmente” terão o mesmo impacto mediático da Google, mas isso não significa que não sejam importantes ou de grande envergadura, garantiu o governante

A Google vai abrir escritórios em Oeiras e criar 500 postos de trabalho; a Amazon irá apostar no Porto e criar outros tantos. Mas, no curto prazo, o investimento de grandes empresas estrangeiras em Portugal não ficará por aqui: só os projetos que o Governo tem neste momento em carteira podem representar mais oito mil postos de trabalho, disse Eurico Brilhante Dias, secretário de Estado da Internacionalização, em declarações ao “Diário de Notícias” esta quinta-feira.

“Em 2015 e 2016 contratualizámos 1,6 mil milhões de euros de investimento. No conjunto dos projetos em carteira, com candidatura ao sistema de incentivos, a Aicep tem hoje um pipeline de 2,3 mil milhões de euros de candidaturas firmes, o que nos faz perspetivar um ano de 2018 de grandes concretizações. Neste conjunto de investimentos não está a Google, por exemplo, nem os mais de 50 projetos que a Aicep tem neste momento em carteira na área dos centros de competências, dos serviços partilhados e da indústria”, disse.

Os novos investimento “dificilmente” terão o mesmo impacto mediático da Google, mas isso não significa que não sejam importantes ou de grande envergadura, garantiu.

“O impacto mediático [Google] é dificilmente ultrapassável, além de que 535 postos de trabalho é uma operação muito grande. Mas isso não significa que não venhamos a ter outros investimentos importantes, como, por exemplo, no setor automóvel e na aeronáutica, que reforçam a cadeia de valor com um duplo efeito”, disse.

Segundo o governante socialista, a AICEP espera fechar um processo em que apoiará a internacionalização de cerca de 1050 PME ainda esta semana. “Isto significa que a procura das empresas pelo Portugal 2020 para internacionalização é praticamente o triplo do que tivemos no QREN”, explicou.