Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Todos os helicópteros Kamov do Estado estão parados

António Pedro Ferreira

O único Kamov do Estado que ainda estava a voar avariou na semana passada

Dos seis helicópteros Kamov do Estado, dois foram enviados para manutenção, no final do ano passado, devido à elevada utilização que tiveram durante o combate aos incêndios do último verão; dois estão avariados e em reparação; um sofreu um acidente grave, ainda em 2012, e até hoje não foi reparado por causa dos elevados custos associados.

Até à semana passada sobrava ao Estado um helicóptero, mas agora já não há nenhum disponível, revela o “Público” esta terça-feira. O último Kamov que estava operacional foi proibido de voar após uma uma inspecção pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

Na semana passada, o único Kamov que ainda estava a voar avariou, o operador arranjou-o, mas não obteve a licença de voo pela ANAC por ter sido “detectada uma não-conformidade”, disse o regulador ao matutino.

A Everjets pediu que fosse aceite uma extensão ao limite de vida de uma peça importante por mais um ano, mas a ANAC não aceitou por se tratar de um segundo pedido de extensão - o limite da peça era janeiro de 2017 e passou para janeiro de 2018.

O aparelho, que estava ao serviço do INEM a partir da base de Santa Comba Dão, não pôde ser substituído por nenhum outro helicóptero.

O helicóptero “não tem problema nenhum, está em plenas condições de voo. A ANAC tem uma leitura em relação a um componente e nós somos contra", disse Ricardo Dias, presidente da Everjets ao “Público”.