Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Reitor da Universidade Fernando Pessoa julgado por desvio de três milhões

"Site" da Universidade Fernando Pessoa

Esta não é a primeira vez que Salvato Trigo é arguido num processo criminal por desvio de fundos. No final dos anos 1990, foi condenado a dez meses de prisão suspensos, num processo relacionado com o desvio de subsídios do Fundo Social Europeu

Salvato Trigo, reitor da Universidade Fernando Pessoa, está a ser julgado no Tribunal Judicial da Comarca do Porto por ter alegadamente desviado “pelo menos” três milhões de euros daquela instituição de ensino privado em benefício próprio e da sua família, avança o “Público” esta segunda-feira.

Segundo a acusação a que o matutino teve acesso, o reitor terá utilizado vários esquemas para fazer sair avultadas quantias das contas da fundação que detém a universidade; este dinheiro acabaria, depois, por ser canalizado para uma empresa do próprio e da sua família direta – mulher e filhos.

Questionado pelo ”Público”, Salvato Trigo afirmou que a “acusação é completamente falsa” e insiste na presunção de inocência. “Isto é uma vingança de um antigo técnico oficial de contas da instituição”, disse o reitor da Fernando Pessoa.

Apesar da sua defesa e ter alegado estar inocente, Salvato Trigo interpôs um recurso judicial para impedir o jornal de consultar o processo em causa.

O julgamento deste processo arrancou em outubro e está a decorrer à porta fechada, na sequência de uma decisão do juiz do processo a pedido do único arguido no caso.

O matutino lembra ainda esta não é a primeira vez que Salvato Trigo é arguido num processo criminal por desvio de fundos. No final dos anos 1990, foi condenado a dez meses de prisão, suspensos, num processo relacionado com o desvio de subsídios do Fundo Social Europeu, quando era diretor da Escola Superior de Jornalismo do Porto.