Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Banco de Portugal conclui que não há bolha imobiliária

Marcos Borga

Relatório do BdP conclui não existir sobrevalorização dos preços da habitação em Portugal”, mas não afasta a possibilidade de existirem “apreciações excessivas” nas grandes cidades. Documento refere também que cerca de 55% das transacções de habitações realizadas este ano não foram financiadas por créditos bancários

Depois dos ditos “anos da crise”, o mercado imobiliário em Portugal tem vindo a crescer. Tanto que já se especula a existência de uma nova bolha - e os seus possíveis riscos. É algo que o relatório de estabilidade financeira do Banco de Portugal afasta, para já, conforme conta o “Jornal de Negócios” esta quinta-feira.

A análise levada a cabo pelo BdP “permite concluir pela não existência de sobrevalorização dos preços da habitação em Portugal”, lê-se no documento publicado esta quarta-feira.

Durante o primeiro semestre de 2017, os preços da habitação em Portugal aumentaram 7%, em relação ao mesmo período do ano anterior.

A evolução recente “aponta para a ausência de sinais de sobrevalorização no mercado imobiliário residencial, embora indique que os preços da habitação em Portugal se estão a aproximar dos seus fundamentos económicos”, explica a instituição liderada por Carlos Costa.

Ainda assim, há sinais preocupantes. O BdP não afasta “a possibilidade de existirem apreciações excessivas em determinadas áreas geográficas, nomeadamente em grandes centros urbanos”.

De acordo com o mesmo documento, um dos motivos para considerar que não há uma expansão em demasia no mercado nacional é que a mesma não foi sustentada pelo crédito: cerca de 55% das transacções de habitações realizadas este ano não foram financiadas por créditos dados por bancos nacionais.