Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

PCP assegura que vai votar contra a nova taxa do sal

José Sena Goulão/ Lusa

Para o PCP, a solução para o elevado consumo de sal deve ser encontrada em medidas de prevenção e não pela via fiscal

Na generalidade, o Orçamento de Estado para 2018 terá um sim do PCP. Mas na especialidade ainda há espaço para dúvidas. A taxa sobre os elementos com elevado teor de sal, por exemplo, poderá não chegar a ser implementada. Isto é, se depender dos comunistas.

“O PCP não acompanha a posição do Governo e o Governo tem conhecimento disso. [A ação] não deve ser pela via fiscal, mas sim pela via da prevenção”, assegurou Paulo Sá, deputado do PCP, em declarações ao “Jornal de Negócios” esta terça-feira.

A taxa sobre o sal, que integra o OE para 2018, foi uma medida muitas vezes defendida pelo ministro Adalberto Campos Fernandes, que chegou a negociar diretamente com a indústria.

Dentro do Governo, esta medida não será consensual, escreve o “Negócios”. Ainda assim, acabou por integrar o OE para 2018 incidindo sobre três categorias de produtos: bolachas e biscoitos; alimentos que integrem flocos de cereais e cereais prensados; e batatas fritas ou desidratadas pré-embaladas desde que tenham na sua constituição mais do que um grama de sal por cada 100 gramas de produto.