Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Quase 21% dos jovens portugueses nem estudam nem trabalham

Os jovens portugueses continuam a ter uma das taxas de abandono escolar precoce das mais altas da OCDE: 35% para uma média da OCDE de 21%

Entre o ano 2000 e 2016, a percentagem de jovens, com idades entre os 15 e os 29, sem estarem a trabalhar ou a estudar em Portugal quase duplicou, de acordo com o relatório “Education at a Glance”, da OCDE. No início do século este valor estava nos 11%. Números de 2016 ficaram nos 20,8%, revela o “Diário de Notícias” esta quarta-feira.

Segundo o relatório da OCDE, Portugal está no sexto lugar na tabela de países com mais jovens desempregados e sem estudar - ficando apenas abaixo da Itália, México, Espanha, França e Grécia.

No final de agosto, o Eurostat já havia divulgado dados relativos aos jovens dos 18 aos 24 que não trabalhavam nem estudavam em Portugal; nesse mês, foi avançada uma percentagem de 12%, valor que se encontra em linha com a média da OCDE.

Os jovens portugueses continuam também a ter uma das taxas de abandono escolar precoce das mais altas da OCDE: 35% para uma média da OCDE de 21%.

  • Despesa por aluno do ensino superior é baixa e caiu entre 2010 e 2014

    Relatório da OCDE sobre o sector da Educação traz boas e más notícias para o país. A qualificação dos portugueses está a aumentar rapidamente e em áreas importantes para a economia. Mas há ainda problemas sérios de insucesso e abandono, sobretudo no ensino secundário. O envelhecimento do corpo docente é outro dos desafios apontados no relatório Education at a Glance, que acaba de ser divulgado