Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

14 mil enfermeiros saíram de Portugal desde 2010

Nuno Botelho

Em 2016, mais de 1600 enfermeiros pediram os papéis para emigrar

Ganhar mais 12 mil euros por ano, por comparação com o que poderiam auferir, no máximo, se continuassem a trabalhar em Portugal. Esta é uma das muitas justificações que levou mais de 14 mil enfermeiros com título de especialista a sair do país desde 2010, conta o “Diário de Notícias” esta terça-feira.

De acordo com os dados cedidos pela Ordem dos Enfermeiros, entidade a quem estes profissionais de saúde têm de pedir o certificado de equivalência para poderem exercer noutro país, o ‘boom’ de emigração de enfermeiros ocorreu entre 2011 – com a saída de 1175 profissionais – e 2015 – com 2717 saídas -, mas esta tendência ainda não abrandou. Em 2016, mais de 1600 enfermeiros pediram os papéis para emigrar.

Com uma greve dos enfermeiros a decorrer, que resulta da recusa do Ministério da Saúde em aceitar a integração da categoria de especialidade na carreira, o matutino foi fazer as contas de quanto é que estes profissionais ganham.

Segundo o “DN”, os enfermeiros têm rendimento anual bruto de aproximadamente 16.800 euros, menos cerca de 12.000 do que um enfermeiro especialista em Inglaterra, que recebe pelo menos 28.965 por ano, um valor que aumenta consoante os anos de experiência. Para além disso, os enfermeiros emigrados são pagos consoante o seu título de especialidade e tem a possibilidade de progressão na carreira - algo que não ocorre em Portugal.