Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Margarida Marques: “Há vontade de que Mário Centeno possa ser o ministro das Finanças europeu ou o presidente do Eurogrupo”

Margarida Marques reafirma que a possibilidade do ministro das Finanças vir a ser presidente do Eurogrupo está a ser discutida em Bruxelas

Afastada no Governo em julho no meio de alguma polémica, Margarida Marques, ex-secretária de Estado dos Assuntos Europeus, continua fiel às medidas do executivo e crente em Mário Centeno. Em entrevista ao jornal digital “Eco” esta segunda-feira, a ex-governantes diz que mantém uma “ótima” relação com António Costa e com o Partido Socialista, apesar de ter sido afastada, sem justificações, do cargo que ocupava no Governo.

Margarida Marques tece, inclusive, muitos elogios ao ministro das Finanças, confirmando a possibilidade deste vir a ser presidente do Eurogrupo, mesmo que os partidos da direita estejam cépticos que essa discussão esteja a ocorrer em Bruxelas.

“Os seus pares perceberam a sua capacidade, o seu empenhamento, em lidar com o enquadramento europeu, com as regras europeias, e [Mário Centeno] conseguiu mostrar uma capacidade de liderança e resiliência, relativamente a todas as dificuldades que passou, e tem de facto, claramente, uma capacidade de vir a ser o ministro das Finanças europeu. É um cenário completamente visto pelos seus pares. Pela minha experiência, por aquilo que vi e ouvi junto dos meus pares na altura, posso dizer que havia de facto uma vontade de que Mário Centeno pudesse ser o ministro das Finanças europeu ou o presidente do Eurogrupo”, apontou.

Na mesma entrevista, Margarida Marques relembrou a colaboração que teve da parte do comissário europeu Carlos Moedas, no processo das sanções por défice excessivo. “Naquilo que eu trabalhei com o comissário Carlos Moedas, designadamente em todo este processo das sanções e da suspensão dos fundos, tivemos sempre um grande entendimento e empenhamento mútuo naquilo que era necessário fazer”, disse.