Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Comandos: famílias pedem 650 mil euros de indemnização

Familiares de Hugo Abreu pedem 300 mil euros e os pais de Dylan da Silva 350 mil

Os pais dos dois instruendos que perderam a vida no curso 127 de Comandos querem ser indemnizados pelo Estado e pelos arguidos, noticia esta segunda-feira de manhã o “Público”. A família de Hugo Abreu pede 300 mil euros e os pais de Dylan da Silva 350 mil.

Segundo o jornal, os pais de Hugo Abreu sentem-se “defraudados pela confiança que depositaram no Exército português, a quem o filho estava confiado”. Dos 300 mil euros, 200 mil são pedidos a título de indemnização por perda do direito à vida e 30 mil por danos sofridos pela vítima, e 70 mil pelos danos sofridos pelos pais.

No pedido de indemnização civil, entregue no dia 12 de julho, pelo advogado dos familiares de Hugo Abreu, Ricardo Sá Fernandes, argumenta-se que os 19 arguidos do processo "violaram voluntariamente todos os procedimentos adotados nos cursos de todas as Forças Especiais da NATO" cujas normas preveem um plano de hidratação adaptado às condições climatéricas, e prosseguiram, apesar de terem conhecimento e formação para reconhecerem "os sinais de alerta" dos sintomas de "falência física".

No pedido que será entregue, brevemente, pelo advogado Pedro Saraiva, em representação da família de Dylan da Silva, justifica-se o valor mais elevado (350 mil euros) com o facto deste militar ter falecido uma semana depois de Hugo Abreu. “O nosso pedido é maior devido a este compasso de sofrimento até à morte e todo esse sofrimento é indemnizável”, explicou ao “Público” Pedro Saraiva.