Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Especialistas receitam oito dias de férias

d.r.

Investigadores garantem que o nível máximo de bem-estar é conseguido ao oitavo dia sem trabalhar. Aconselham-se férias curtas e frequentes

Descansar oito dias seguidos várias vezes ao longo do ano é a melhor forma de gozar férias. Um estudo de investigadores da universidade finlandesa de Tampere mostra que a saúde melhora a partir do segundo dia de descanso e atinge o pico máximo de bem-estar ao oitavo.

Responsável pela investigação - publicada no jornal espanhol "El Mundo" e esta sexta-feira no "Diário de Notícias" -, Jessica de Bloom explica que "as provas reunidas até agora indicam que o efeito saudável das férias é idêntico quer durem oito dias ou 15". A psicóloga organizacional garante que o estudo realizado revela que os níveis de energia e a saúde aumentam ao segundo dia de descanso, atingindo o valor máximo ao fim de oito dias sem trabalhar. Portanto, a equipa aconselha a repartir os períodos de férias.

"Existem evidências empíricas de que as férias promovem a saúde e que, após um longo período sem pausas, somos mais vulneráveis a doenças cardiovasculares e aumenta o risco de morte prematura", diz a investigadora. E planear as férias, por exemplo uma viagem, estimula, só por si, o bem-estar.

Em Portugal, a lei do trabalho impõe um período mínimo de dez dias úteis consecutivos de férias.