Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Governo em alerta com seca na Beira Interior e Alentejo. Vai ser ativada Comissão de Prevenção

NICOLAS ASFOURI/GETTY

O secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins, admitiu que se não forem tomadas medidas de imediato, alguns concelhos poderão chegar a agosto sem água para as suas populações

O calor é o paraíso de uns, o inferno de outros. Quanto mais a sul do país, maior a escassez de água. O alerta foi dado: Vários concelhos do Alentejo e da Beira Interior podem chegar a agosto sem água para a população. De acordo com números do Sistema Nacional de Informação de Recursos Hídricos, no final de junho cerca de 80% do território nacional estava em seca severa ou extrema; das 60 barragens que há pelo país, 18 iniciaram o verão com menos de metade da água que conseguem armazenar.

O Governo está em preocupado e vai de imediato ativar a Comissão Permanente de Prevenção, Monitorização e Acompanhamento dos Efeitos da Seca, criada há pouco mais de um mês pelo Conselho de Ministros. A identificação concreta dos concelhos com mais problemas ainda não está feita, mas o Governo vai já passar ao terreno.

“De uma forma geral no país há motivos de preocupação e sobretudo na Bacia do rio Sado o caso já é mesmo muito preocupante”, admitiu o secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins, em entrevista à “TSF” esta sexta-feira.

As dez albufeiras do Sado têm todas as suas reservas de água abaixo dos 40%. Em algumas o valor ronda mesmo os 20%, aponta “TSF”.

Segundo o governante, “é preciso tomar medidas de contenção de consumos, criar regras e sobretudo alertar para a situação gravíssima que estamos a viver”.

Carlos Martins admite que se não foram tomadas medidas de imediato, alguns concelhos poderão chegar a agosto sem água para as suas populações.

Na próxima semana, o Governo irá dar início a reuniões com agricultores, responsáveis pela gestão das albufeiras e os municípios que se prevê que tenham mais problemas no abastecimento de água nos próximos meses.