Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Tribunais reabertos no início do ano tiveram em média dois julgamentos... por mês

Mário Cruz / Lusa

A sala de audiências de Monchique não teve nenhum julgamento desde que foi reaberta

Em média, cada um dos um dos 20 tribunais, encerrados em 2014 e que o Governo de António Costa decidiu reabrir em janeiro deste ano, realizou menos de dois julgamentos por mês, revela o “Público” esta quarta-feira. Ao todo, realizaram-se 191 julgamentos durante o primeiro semestre do ano.

Os números fornecidos pelo Ministério da Justiça ao jornal revelam alguns sucessos, mas também alguns falhanços evidentes. A sala de audiências de Monchique, por exemplo, não teve nenhum julgamento desde que foi reaberta – os dois primeiros estão marcados para setembro e outubro, respetivamente.

Segundo o matutino, em seis meses nunca por ali passou nenhum juiz à excepção do presidente da comarca de Faro, Sénio Alves, que se deslocou ao local para acompanhar uma das secretárias de Estado da Justiça. Em 2014, Paula Teixeira da Cruz tinha justificado o encerramento deste tribunal devido à falta de procura.

No segundo lugar da tabela dos tribunais menos utilizados surge Sines, com um único julgamento nestes primeiros meses.

Quanto aos casos de sucesso, Sever do Vouga surge em primeiro lugar, com 24 julgamentos. Dois juízes passam por este tribunal todas as semanas. Logo a seguir, surgem Paredes de Coura, no distrito de Viana do Castelo, Boticas, no de Vila Real, e Resende, no de Viseu, onde foram realizados 20 julgamentos em média durante o mesmo período.