Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Ex-políticos e membros de gabinetes abrangidos na nova proposta de cobertura da ADSE

David Clifford

No novo diploma propõe-se que a inscrição de cônjuges de titulares, bem como dos seus unidos de facto, só seja possível se a pessoa em causa - a que se vai inscrever - não tenha mais do que 65 anos

A nova proposta do Governo para o alargamento de cobertura da ADSE, enviada ao Conselho Geral e de Supervisão na semana passada, indica que este sistema de saúde deverá abranger no futuro não só os políticos como os membros dos gabinetes e os titulares de subvenções mensais vitalícias, revela o “Jornal de Negócios” esta segunda-feira.

Além dos trabalhadores do Estado, poderão beneficiar do sistema de saúde ADSE “os reformados e os aposentados, os titulares dos órgãos de soberania e os membros dos respectivos gabinetes, os titulares de cargos públicos e os gestores públicos, os titulares de subvenções mensais vitalícias, bem como os trabalhadores de outras entidades com as quais a ADSE celebre acordos específicos para a atribuição de benefícios”, lê-se na proposta diploma.

Nenhum destes beneficiários eram referidos no diploma que está em vigor neste momento e que a nova proposta prevê revogar.

Para além disso, no diploma entregue aos membros do Conselho Geral e de Supervisão, propõe-se também a que a inscrição de cônjuges de titulares, bem como dos seus unidos de facto só seja possível se a pessoa em causa - a que se vai inscrever - não tenha mais do que 65 anos. Contudo, passado um ano do primeiro anúncio sobre o alargamento da ADSE, o preço de inscrição de cônjuges continua em aberto.