Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Incêndios. Fundo europeu só ajuda com estragos acima de €500 milhões

PAULO CUNHA/epa

Em 14 anos, o fundo europeu aprovou ajudas a Portugal na ordem dos 84 milhões de euros

Para Portugal poder recorrer ao Fundo de Solidariedade da União Europeia, os estragos dos incêndios que assolam o país têm de ascender a 1,5% do PIB da região. No caso da região Centro, de onde faz parte Pedrógão Grande, o critério de elegibilidade é de cerca de 510 milhões de euros, conta o “Jornal de Negócios” esta terça-feira.

Em 14 anos, o fundo europeu aprovou ajudas a Portugal na ordem dos 84 milhões de euros. A maior fatia desta verba foi atribuída em 2003, quando os incêndios florestais provocaram estragos avaliados em 1,2 mil milhões de euros, e Portugal recebeu 48,5 milhões.

As seguintes maiores fatias foram para a Madeira, em 2010, por causa das cheias e dos desmoronamentos – ajuda de 31 milhões de euros – e em 2016, por causa dos fogos – 3,9 milhões de euros.

Questionado pelo “Negócios”, o Ministério dos Negócios Estrangeiros não revelou o montante que poderá ser solicitado ao instrumento criado depois das inundações europeias de 2002, que tem este ano um orçamento de cerca de mil milhões de euros para atribuir.