Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Passivo do PS está em cerca de €20 milhões, mas saldo de 2016 foi positivo

PEDRO SARMENTO COSTA / Lusa

O Partido Socialista fechou 2016 com 255.460,14 euros de saldo positivo

Há quatro anos que o saldo do Partido Socialista no final do ano não era positivo: fechou 2016 com 255.460,14 euros. Desde 2012 que este cenário já não ocorria. Este número torna-se ainda mais relevante, tendo em conta que em 2015 o saldo negativo foi de 1,044 milhões de euros e o passivo do partido está hoje nos 20,7 milhões de euros.

Segundo o “Público” esta terça-feira, estes dados constam do relatório de contas entregue a semana passada à Entidade das Contas e Financiamentos Políticos que funciona no Tribunal Constitucional. Os mesmos foram confirmados pelo secretário nacional para a organização do PS, Luís Patrão, ao matutino. “Estamos a reduzir o défice, é o primeiro ano desde 2013 que temos resultado positivo”, explicou.

Um dos factores determinantes para a recuperação das contas do PS foi a renegociação da dívida quer aos bancos quer a fornecedores. “Pagámos as dívidas inferiores a mil euros primeiro e depois as dívidas até dois mil euros. Por fim, negociámos as dos grandes credores, como os CTT, a PT, as empresas que organizam os congressos, a FIL”, revelou Luís Patrão.

Um dos dados mais destacados das contas do PS foi o aumento do passivo entre 2013 e 2015 em cerca de sete milhões de euros. Luís Patrão frisou que este se deveu ao facto de a anterior direcção socialista ter previsto “uma subvenção das autárquicas sem ter em conta os cortes de 20% impostos por uma alteração à lei, que na prática resultavam em menos 36%”. Essa foi a “origem do buraco financeiro de mais de três milhões e que fez disparar a dívida”.