Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Troca de dívida no Novo Banco vai avançar

A venda do Novo Banco vai ser discutida esta quarta-feira no Parlamento

Foto Nuno Botelho

Durante o mês de junho deverão ser anunciadas as condições finais da oferta de troca de dívida

Apesar da oposição dos obrigacionistas, a troca de dívida do Novo Banco destinada a gerar 500 milhões de euros para a instituição vai avançar, durante o mês de junho como já havia referido o primeiro-ministro António Costa a semana passada. Esta terça-feira, o "Jornal de Negócios” refere que esta operação vai mesmo avançar de acordo com o plano inicial: será dado início esta semana aos contactos informais com os investidores que detêm obrigações do banco.

Os três bancos de investimentos que vão assessorar o Novo Banco na oferta de troca de dívida – Mediobanca, JP Morgan e Deutsche Bank – vão entretanto contactar os obrigacionistas que, na semana passada, se manifestaram contra esta operação.

Tal como o Expresso avançou na semana passada, a oposição a esta operação foi manifestada pela sociedade anglo-saxónica PJT Partners, que diz representar mais de 30% dos obrigacionistas do Novo Banco, em cartas enviadas à instituição, ao Banco de Portugal e ao Ministério das Finanças.

PJT Partners pedia ao supervisor para ter acesso à informação detalhada sobre o Novo Banco e disponibilizava-se a adquirir a instituição nas mesmas condições que a Lone Star, ainda não terão tido resposta formal.

Após os contactos informais com os investidores a desenvolver nos próximos dias, durante o mês de junho deverão ser anunciadas as condições finais da oferta de troca de dívida.

O sucesso desta operação é imprescindível para concluir a venda da instituição à Lone Star.