Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

PT obrigada a pagar comissão anual para usar nome da Altice

Exposição aos escândalos que envolveram a Portugal Telecom e o tema PT/BES estão na base da fragilidade das duas marcas

josé caria

PT vai pagar para usar o nome da empresa que a detém – o valor em causa não é conhecido. Responsáveis da Altice consideram modelo “justo, direto e transparente”

A Altice comprou a Portugal Telecom (PT) em 2015. Ou seja, a PT é da Altice – até aqui, nada de novo. Mas agora, em 2017, a PT está prestes a mudar de identidade (nos próximos meses) e passar a chamar-se Altice Portugal – de forma a representar a empresa mãe. Só que para esta mudança de identidade ocorrer, a PT teve de firmar um contrato com a Altice, a mesma empresa que a detém e controla, e está obrigada a pagar uma anuidade por participar no clube de empresas associadas à empresa mãe.

Simplificando: a PT vai ter de pagar à Altice uma comissão de franchising anual para usar o seu nome, avança o “Público” esta sexta-feira. Na prática, a PT vai pagar para usar o nome da empresa que a detém – o valor em causa não é conhecido, nem aos fins que se destina.

“O que estamos a tentar é apanhar os diferentes fluxos e os negócios desenvolvidos por cada país, para depois monetizar esses fluxos dentro do grupo”, disse Michel Combes, presidente executivo da Altice ao matutino, lembrando ainda que há outras empresas em Portugal que têm o mesmo tipo de procedimentos.

O presidente executivo da PT explica que a empresa portuguesa beneficia de pertencer a um grupo que tem empresas em França, Estados Unidos, Israel e República Dominicana, e como tal tem de pagar à Altice. De acordo com uma investigação do jornal suíço “Le Temps” no ano passado, a comissão a pagar à Altice deve rondar os 2% e 3% sobre as receitas locais; tendo em conta estes números, a PT terá de pagar entre 50 a 70 milhões de euros por ano à empresa mãe.