Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Gastos com PPP do sector rodoviário aumentaram 17% em 2016

AUTOESTRADAS As entradas em Lisboa e no Porto escapam à atualização das portagens. Na rede Brisa o aumento médio é de 0,86% pra todas as classes de veículos.

FOTO JOÃO CARLOS SANTOS

As parcerias público-privadas do sector rodoviário representaram um encargo para a Infraestruturas de Portugal de 1.241,3 milhões de euros em 2016

As parcerias público-privadas (PPP) do sector rodoviário representaram um encargo para a Infraestruturas de Portugal (IP) de 1.241,3 milhões de euros em 2016, mais de 17% face aos encargos registados no ano anterior, conta o “Jornal de Negócios” esta segunda-feira.

Os custos referentes às PPP no ano passado representam também um desvio de 2% face orçamentado pela IP. Segundo o relatório de contas da empresa, o desvio global de 24,4 milhões de euros verificado em 2016 “deveu-se essencialmente ao pagamento, não previsto em orçamento, de indemnização à Auto-Estradas do Atlântico no valor de 29,7 milhões de euros, determinada por tribunal arbitral”.

No mesmo documento, a IP salienta que “se atingiu em 2016 o ‘pico’ de pagamentos relativos às parcerias rodoviárias”.

Os encargos com as concessões do Estado – antigas scut e com portagem real – ultrapassaram em quase 6% o orçamentado, tendo representado um custo de 717,8 milhões de euros, revela o matutino.