Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Zeinal Bava aderiu ao mesmo perdão fiscal que Ricardo Salgado

Zeinal Bava foi durante anos conhecido como um presidente que concentrava o poder e controlava tudo

Tiago Miranda

Antigo presidente da PT terá usufruído do perdão fiscal que vigorou em 2012. Suspeita-se que tenha beneficiado de pagamentos oriundos do Grupo Espírito Santo, através da ES Enterprises

Zeinal Bava, antigo presidente da PT, aderiu ao mesmo perdão fiscal – o Regime Excecional de Regularização Tributária que vigorou em 2012 (RERT III) – usado por Ricardo Salgado, presidente do BES, para fazer regressar a Portugal parte do presente que recebeu do construtor José Guilherme, avança o “Jornal de Negócios” esta sexta-feira.

A declaração de adesão ao RERT III consta da lista de documentos recolhidos no âmbito da Operação Marquês, apurou o matutino.

O Banco de Portugal já tinha revelado em janeiro deste ano que Zeinal Bava tinha aderido ao perdão fiscal, após o juiz Carlos Alexandre ter determinado a quebra do sigilo relativamente à eventual adesão do antigo gestor, e também de Henrique Granadeiro, aos perdões fiscais que vigoraram em 2005, 2010 e 2012.

Bava terá usufruído do perdão que vigorou em 2012 – suspeita-se que tenha beneficiado de pagamentos oriundos do Grupo Espírito Santo, através da ES Enterprises.

Neste momento, ainda não se sabe que valores estão em causa. Contactado pelo “Jornal de Negócios”, não foi possível obter qualquer comentário de Zeinal Bava.