Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Redução do IRS pode acontecer em 2018 e 2019... com o apoio do BE

“Não nos parece que seja possível esta margem orçamental [200 milhões de euros] num único orçamento para fazer esse caminho”, disse Catarina Martins, à saída da audição convocada pelo Presidente da República

O Bloco de Esquerda está disposto a alinhar pelo mesmo tom que o Governo no que toca à descida do IRS, caso os custos para as Finanças sejam demasiado avultados. Catarina Martins, líder do BE, assumiu na segunda-feira que se reforma dos escalões do IRS se mostrar demasiado custosa, será possível fasear a medida, de forma a que esta seja aplicada em 2018 e 2019, conta o “Público”.

O Programa de Estabilidade aprovado pelo executivo de António Costa na quinta-feira passada trouxe um número desconfortável para cima da mesa: uma redução de 200 milhões de euros no IRS em 2018 - o que não agradou nem ao Bloco nem ao PCP.

“Não nos parece que seja possível esta margem orçamental num único orçamento para fazer esse caminho”, disse Catarina Martins, à saída da audição convocada pelo Presidente da República, na segunda-feira.

Para a líder bloquista, a revisão dos escalões do IRS é “uma medida cujo custo ascende a dois mil milhões de euros (que já passou pelo fim da sobretaxa), por isso terá de ser feita em mais do que um orçamento. Só faltam dois orçamentos. Esse caminho terá de ser iniciado no Orçamento do Estado para 2018”.